Marcelino dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marcelino dos Santos
Marcelino dos Santos, 1975
Nascimento 20 de maio de 1929
Lumbo, Moçambique
Morte 11 de fevereiro de 2020 (90 anos)
Género literário romance, poesia
Magnum opus Escrever é criar

Marcelino dos Santos (Lumbo, 20 de maio de 1929 - 11 de fevereiro de 2020) foi um político e poeta moçambicano e membro fundador da Frente de Libertação de Moçambique, onde chegou a vice-presidente. Depois da independência de Moçambique, Marcelino dos Santos foi o primeiro Ministro da Planificação e Desenvolvimento, cargo que deixou em 1977 com a constituição do primeiro parlamento do país (nessa altura designado “Assembleia Popular”), do qual foi presidente até à realização das primeiras eleições multipartidárias, em 1994.

Com os pseudónimos Kalungano e Lilinho Micaia tem poemas seus publicados no Brado Africano e em duas antologias publicadas pela Casa dos Estudantes do Império, em Lisboa. Com o seu nome oficial, tem um único livro publicado pela Associação dos Escritores Moçambicanos, em 1987, intitulado “Canto do Amor Natural".

Morreu no dia 11 de fevereiro de 2020, aos 90 anos.[1]

Referências

  1. «Morreu Marcelino dos Santos, um dos fundadores da Frente de Libertação de Moçambique». Observador. 11 de fevereiro de 2020. Consultado em 11 de fevereiro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Media relacionados com Marcelino dos Santos no Wikimedia Commons

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.