Marcelo Trekinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Marcelo Trekinho
Surfista
Dados Pessoais
Nome completo Marcelo Ribeiro Pessoa
Apelido Trekinho
Nacionalidade Rio de Janeiro, Brasil Brasil
Nascimento 17 de agosto de 1979 (42 anos)
Residência atual Rio de Janeiro
Ocupação Fresurfer
Posição Regular


Marcelo Ribeiro Pessoa, nascido no Rio de Janeiro, mais conhecido como Marcelo Trekinho[1] é um surfista brasileiro adepto do freesurf.[2],

Iniciou sua carreira como surfista profissional participando de campeonatos nacionais e, mais tarde, participou também de competições internacionais. Foi o único surfista a receber três notas 10, em uma única etapa do SuperSurfe.[3][4]. Durante o período de 2001 a 2010, esteve engajado no Wold Qualifying Series (WQS) [5] destacando-se em algumas competições internacionais e contribuindo para a promoção e reconhecimento do surfe brasileiro no exterior.

Posteriormente, optou pelo freesurf e continuou representando seus patrocinadores fora do circuito de surfe tradicional.

Fez história ao ser convidado à integrar o time de surfistas selecionado por Roberto Moura, importante cineasta e produtor brasileiro, para participar de seus documentários históricos sobre o surfe no país: Surf Adventures - O Filme e Surf Adventure - A Busca Continua [6][7] entrando de vez para a história do surfe brasileiro.

O filme foi indicado à prêmios de cinema, em diferentes categorias,no Brasil e no exterior, tais como: Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro (Brasil), Festival de Anglet (França)[8], dentre outros.

Trekinho protagonizou também diversos filmes e séries na televisão brasileira e na internet, tais como: A Vida que Eu Queria e inovou ao co-apresentar o 1o webcast brasileiro sobre surfe, o Séries Fecham, ambas iniciativas apoiadas pelo Canal OFF.

Foi também um dos precursores do tow-out surfe no Brasil. [9][10],


Biografia[editar | editar código-fonte]

Trekinho teve seu início nos esportes radicais através do skate e começou a surfar em 1991.[11][12] Já esteve na liderança do ranking brasileiro de surfe em 2005.[13]

Ele foi o primeiro, e permanece sendo o único, surfista brasileiro a conseguir 3 notas 10 em uma única etapa do SuperSurfe (2002),[14][15] primeira divisão do surf nacional.[11] Na World Surf League, sua melhor colocação foi um 25o lugar no Volcom Pipeline Pro, em 2010.[16]


É conhecido por ser um dos protagonistas do programa "A vida que eu queria", do Canal OFF[17], e também por sua participação em outras iniciatvas do canal, entre elas: Baseado em Fatos Reais, Hidrodinâmica, 80 e Tal. Foi pioneiro ao co-apresentar o 1o webcast brasileiro sobre surf: Séries Fecham <O webcast ‘’Séries Fecham’’ foi lançado há muitos anos atrás, quando a tecnologia era desconhecida da indústria do surfe no país. Seu pioneirismo advém deste fato e também por ter se originado a partir de idéias espontâneas de jovens surfistas brasileiros. Era todo feito á mão e de improviso. Criado e co-apresentado por Marcos Sifú, Marcelo Trequinho, Julio Addlere João Paulo Pimentel, o Jompa, agradou pela inovação e irreverência.</ref>[18], lançado em 2009, tinha por objetivo veicular conteúdos sobre o surfe que não eram cobertos pela mídia tradicional,na época.

Atualmente, vive no Rio de Janeiro.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Filmogografia
Ano Título do Filme Diretor Participação Referências
2008 Surf Adventure 2: a Busca Continua Roberto Moura Surfista [19] [20] [21]
2002 Surf Adventures - O Filme Roberto Moura Surfista [22]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Televisão
Ano Título do Filme Canal Participação Referências
2021 Baseado em Fatos Reais Canal OFF Surfista [23]
2015 Hidrodinâmica Canal OFF Surfista [24]
2012/2018 A Vida Que Eu Queria (6 temporadas) Canal OFF Roteirista e Surfista [25]


[26]


Webcasts/ Webseries[editar | editar código-fonte]

Webcast/ WebSeries
Ano Título do Filme Participação Referências
2013 Strange Brains Surfista [27]
2009 Séries Fecham Co-Apresentador [28][29]

Referências

  1. Diogo Rodriguez (5 de novembro de 2009). «Nos Tow Ins da Vida». Revista Trip. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  2. Redação Surftotal (1 de fevereiro de 2018). «Free Surf vs. Competição». SurfTotal.com. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  3. «Oi SuperSurf reestreia com 160 surfistas de 13 estados do Brasil». Terra. 13 de julho de 2015. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  4. «Baterias do SurperSurf seguem até terceira fase com disputas entre diferentes gerações do surfe». Gaúcha ZH. 16 de julho de 2015. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  5. Redação O Globo (13 de outubro de 2007). «Troca de Guarda». Jornal O Globo, Caderno Matutino pág 31 (Acervo). Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  6. Silvana Arantes (1 de fevereiro de 2002). «Documentário Desvencilha Surf da Praia». Folha de São Paulo- Ilustrada. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  7. Eduardo Torelli (3 de janeiro de 2017). Entrando de vez para a história do surfe brasileiro. «Surf Adventrure 2: em Detalhes» Verifique valor |url= (ajuda). Zoom Magazine. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  8. Redação Hardcore (17 de junho de 2010). «Surf Adventure 2». Revista Hardcore. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  9. {citarweb| url=https://www.waves.com.br/arquivo/ferrugem-alem-do-limite/%7Ctitulo=Tow Out, Ferrugem além do limite |autor=David Nagamini|publicado= Revista Waves online|data=1 de dezembro de 2011|dataacesso=15 de janeiro de 2022 |}}
  10. {citarweb| url=https://www.surfingportugal.com/tow-in-e-tow-out/%7Ctitulo= |autor=Federação Portuguesa de Surf|publicado=Surfing Portugal Site|dataacesso=13 de janeiro de 2022 |}}
  11. a b «Trekinho». WetWorks 
  12. «Vida Sobre Rodas». Globo Esporte 
  13. «Surfe: Trekinho vence e assume a liderança». Estadão. 26 de junho de 2005 
  14. «Oi SuperSurf reestreia com 160 surfistas de 13 estados do Brasil». Terra. 13 de julho de 2015. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  15. «Baterias do SurperSurf seguem até terceira fase com disputas entre diferentes gerações do surfe». Gaúcha ZH. 16 de julho de 2015. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  16. «Marcelo Trekinho Surfer Bio». World Surf League 
  17. Pesca, Bruno (5 de fevereiro de 2013). «Viajando em campo minado». Revista Trip 
  18. Marcos Bollmann (8 de outubro de 2013). «Canal OFF fecha parceria com Rexona». Consultado em 13 de dezembro de 2021 
  19. Redação Jornal do Brasil (26 de março de 2009). «Surf Adventures:gênero está dando onda». Jornal do Brasil. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  20. «Marcelo Trekinho». IMDb 
  21. Redação Origem do Surfe (14 de junho de 2016). «O Fantástico Mundo de Trekinho». Origem do Surf/ Folha/ Uol. Consultado em 12 de janeiro de 2022 
  22. {citar web|url=bases.cinemateca.gov.br/cgi-bin/wxis.exe/iah/?IsisScript=iah/iah.xis&base=FILMOGRAFIA&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=ID=026412&format=detailed.pft/ |titulo= Surf Adventures:o Filme|autor=Cinemateca Brasileira |acessodata=13 de janeiro de 2022}}
  23. {{citar web|url=Anderson Ramos (11 de janeiro de 2021). «Canal OFFstréia baseado em Fatos Reais nesta quarta-feira». Ouniversodatv. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  24. {{citar web|url=Anderson Ramos (10 de julho de 2018). «Hidrodinâmica - Canal OFF». Ouniversodatv. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  25. Steven Allain (9 de abril de 2012). «Uma Vida dos Sonhos». Hardcore. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  26. {{citar web|url=Anderson Ramos (11 de janeiro de 2021). «Canal OFFstréia baseado em Fatos Reais nesta quarta-feira». Ouniversodatv. Consultado em 15 de janeiro de 2022 
  27. Emiliano Xavier de Miranda (27 de junho de 2013). «Strange Brains - Trekinho na Cabeça». Revista Waves. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  28. Marcos Bollmann. «Skatista Bob Burnquist participa do Series Fecham no portal OFF JAM». Waves. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  29. Redação Surfecult (15 de fevereiro de 2013). «20 Goiabadas». Consultado em 13 de janeiro de 2022 


Ligações externas[editar | editar código-fonte]