Marcelo de Oliveira Guimarães Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Marcelo de Oliveira Guimarães Filho (Salvador, 1 de março de 1976) é um político brasileiro e ex presidente do Esporte Clube Bahia.[1]

Carreira Política[editar | editar código-fonte]

Marcelo Guimarães Filho
Marcelo de Oliveira Guimarães Filho
Vereador de Salvador
Período 1 de janeiro de 2001

até

1 de janeiro de 2003

Deputado federal do Brasil pela Bahia
Período 1 de fevereiro de 2003

até

1 de fevereiro de 2011

Presidente do Esporte Clube Bahia
Período 1 de fevereiro de 2008

até

1 de fevereiro de 2013

Dados pessoais
Nascimento 01 de março de 1976 (42 anos)

Salvador, Bahia

Brasil

Nacionalidade brasileiro
Partido PR
Profissão Advogado, empresário e político

Filho do político, empresário, e também, ex-presidente do Esporte Clube Bahia, Marcelo de Oliveira Guimarães, Marcelinho, como é chamado iniciou sua carreira política no ano de 2000 quando foi eleito vereador pelo município de Salvador.[2] Com o bom resultado obtido na eleição municipal, se candidata para cargo de Deputado federal pelo estado da Bahia em 2002 sendo eleito com 52.389 votos.[3] Em 2006 é novamente eleito Deputado federal com 92.253 votos.[4] Porém o êxito eleitoral não é obtido nos pleitos federais de 2010, mesmo obtendo por volta de 63.000 vot consegue ser eleito suplente.[1]

História como dirigente esportivo[editar | editar código-fonte]

Marcelinho, nunca pensou em ser presidente de clube de futebol. Seu pai já havia sido presidente do Esquadrão de Aço, porém foi muito criticado por ter rebaixado o time para a Segunda Divisão de 2004,[5] e para a Terceira Divisão de 2006.[6] As eleições presidenciais do clube em 2008 foram tensas, e após uma indicação de um amigo e conselheiro do Esquadrão de Aço, ele aceitou a missão de trazer o Bahia de volta ao cenário do futebol nacional.[7]

A Crise em 2013[editar | editar código-fonte]

Após sofrer duas goleadas contra o seu maior rival[8] e as desclassificações prematuras no Campeonato do Nordeste[9] e Copa do Brasil,[8] o presidente sofre grandes pressões para sua renúncia,[10] sendo então considerada persona non grata. A insatisfação contra a sua gestão se agrava após vários jogadores revelados pelo clube terem seus contratos rescindidos por falta de depósito do FGTS.[11]


Referências

  1. a b «Câmara de Deputados/Biografia de Marcelo Guimarães». Consultado em 19 de junho de 2013. 
  2. «TSE/Resultados das Eleições 2000 - Salvador». Consultado em 19 de junho de 2013. 
  3. «TSE/Resultados das Eleições 2002 - Bahia». Consultado em 19 de junho de 2013. 
  4. «TSE/Resultados das Eleições 2006 - Bahia». Consultado em 19 de junho de 2013. 
  5. «Ibahia /E.C. Bahia». Consultado em 19 de junho de 2013. 
  6. «Portal Terra Esportes». Consultado em 19 de junho de 2013. 
  7. «O Estadão». Consultado em 19 de junho de 2013. 
  8. a b «Globoesporte.com». Consultado em 19 de junho de 2013. 
  9. «Globoesporte.com». Consultado em 19 de junho de 2013. 
  10. «Globoesporte.com». Consultado em 19 de junho de 2013. 
  11. «Globoesporte.com». Consultado em 19 de junho de 2013. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]