Marco Alba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marco Alba
Prefeito de Gravataí
Período 7 de abril de 2017[1]
Antecessor Nadir Rocha
Período 1 de janeiro de 2013
1 de janeiro de 2017
Antecessor Acimar Silva
Nadir Rocha
Sucessor Nadir Rocha
Deputado Estadual do Rio Grande do Sul
Período 2002 até 2007
e 2010 até 2012
Dados pessoais
Nascimento 15 de novembro de 1958 (61 anos)
Gravataí, Rio Grande do Sul
Primeira-dama Patrícia Bazotti Alba
Partido PMDB
Profissão Advogado

Marco Aurélio Soares Alba (Gravataí, 15 de novembro de 1958) é um político brasileiro, filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).

Trajetória[editar | editar código-fonte]

Marco Aurélio Soares Alba é formado em direito. Começou na vida pública aos 20 anos, em 1979, como auxiliar de topografia, na Prefeitura de Gravataí. Em 1982, aos 23 anos, elegeu-se vereador pela primeira vez.

Na Câmara de Vereadores, foi relator da Lei Orgânica Municipal, reconhecida como modelo de legislação voltada ao interesse coletivo e, por reconhecimento dos demais vereadores, presidiu o Legislativo municipal (1990-1991). Ainda no âmbito municipal, foi secretário Municipal de Indústria e Comércio (1985-1988).

Foi duas vezes secretário de Estado. Inicialmente, foi chefe de gabinete da Secretaria Estadual do Trabalho, Cidadania e Assistência Social (SETCAS). Em 1995, foi nomeado secretário substituto e, após, titular da SETCAS. No ano seguinte, coordenou o escritório político do então Ministro dos Transportes Eliseu Padilha. Também foi conselheiro da Trensurb, entre 1998 e 2002.

Elegeu-se deputado estadual pela primeira vez em 2002, com 27.452 votos, sendo reeleito em 2006 com 52.147 votos. Em 2007, assumiu a Secretaria Estadual de Habitação, Saneamento e Desenvolvimento, função que representou uma oportunidade de trabalhar de forma direta na execução de políticas públicas que garantiram o desenvolvimento do Estado e a qualidade de vida dos gaúchos. Em 2009 se viu envolvido nas denuncias da operação Solidária, onde PF acredita que o mesmo recebeu propina. 4

Em 2010, foi escolhido por 82.269 gaúchos para a Assembleia Legislativa, sendo a segunda maior votação entre os deputados estaduais. No último mandato, foi presidente da Comissão de Constituição e Justiça, considerada a mais importante do parlamento gaúcho. Participou ainda das Comissões do Mercosul e Assuntos Internacionais e de Economia e Desenvolvimento Sustentável.

Em outubro de 2012, Marco Alba foi eleito prefeito de Gravataí. Em 2016, concorreu à reeleição, mas foi derrotado por Daniel Bordignon. Deixou a prefeitura em 1 de janeiro de 2017, quando foi sucedido pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Nadir Rocha, que assumiu o Executivo após Daniel ser declarado inelegível.[2] Marco Alba foi reeleito prefeito na eleição suplementar ocorrida em 12 de março de 2017 ao vencer Rosane Bordignon, esposa de Daniel.[3]

Referências

  1. Rafael Trajano (7 de abril de 2017). «Marco Alba toma posse para seu segundo mandato como prefeito de Gravataí». Correio de Gravataí. Consultado em 19 de abril de 2017 
  2. https://gravatai.atende.net/#!/tipo/pagina/valor/5
  3. Débora Ely (12 de março de 2017). «Marco Alba é reeleito prefeito de Gravataí». Zero Hora. Consultado em 12 de março de 2017 


Precedido por
Acimar Silva
Prefeito de Gravataí
2013 - atualmente
Sucedido por
-


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.