Marco Aurélio de Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Marco Aurélio de Carvalho
Vida
Nascimento 07 de julho de 1977 (43 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade Brasileiro
Dados pessoais
Alma mater Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)
Ocupação Advogado

Marco Aurélio de Carvalho (São Paulo, 7 de julho de 1977) é um advogado e articulista brasileiro atuante na defesa das prerrogativas profissionais dos advogados e no direito de defesa, fundador da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD)[1] e do Grupo Prerrogativas.[2][3] Em janeiro de 2020 seu nome foi incluído entre potenciais pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo pelo Partido dos Trabalhadores (PT), segundo informações divulgadas nos principais jornais do Brasil.[4][5][6]

Em fevereiro de 2020 foi mencionado pelo presidente Jair Bolsonaro que, ao criticar a cobertura recebida pelo jornal Folha de S.Paulo, citou artigo de Marco Aurélio de Carvalho publicado no jornal e que tratava de Fábio Lula da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do qual é advogado.[7][8]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Marco Aurélio de Carvalho é advogado formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) em 2001 e foi presidente do Centro Acadêmico "22 de Agosto”, entidade representativa dos estudantes da Faculdade de Direito da instituição, em 1999. Atualmente é secretário de relações públicas da Comissão de Direito Notarial e Registros Públicos da OAB-SP[9] e membro da Comissão de Proteção de Dados e Privacidade da OAB-RJ. É membro do Sindicato dos Advogados do Estado de São Paulo.[carece de fontes?]

Atuação como articulista[editar | editar código-fonte]

A partir de 2017, Marco Aurélio de Carvalho inicia sua atuação como articulista publicando em alguns dos principais veículos de mídia do país incluindo Folha de S.Paulo, O Estado de São Paulo, Poder 360, Congresso em Foco, Brasil 247, e veículos especializados como Consultor Jurídico, Migalhas e JOTA.[carece de fontes?]

Participa da fundação da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) em maio de 2018 e do Grupo Prerrogativas em 2019. Tais entidades assumem relevância no debate nacional em torno de questões como o processo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva,[10] o Pacote Anticrime aprovado pelo Congresso Nacional em dezembro de 2019,[11] a polêmica em torno do jornalista Glenn Greenwald e do episódio da Vaza Jato[12] e a investigação do assassinato de Marielle Franco.[13]

Em dezembro de 2019 o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, prestou homenagem ao Grupo Prerrogativas durante a última sessão do ano do conselho da entidade.[14]

Livro[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. ABJD. «ABJD/Quem somos». Consultado em 10 fev 2020 
  2. Grupo Prerrogativas. «Coordenação/Grupo Prerrogativas». Consultado em 10 fev 2020 
  3. Migalhas (25 nov 2019). «Grupo Prerrogativas lança site oficial e homenageia seus inspiradores». Consultado em 10 fev 2020 
  4. Mônica Bergamo/Folha de S.Paulo (18 jan 2020). «Lula afirma que pode surgir novidade na disputa do PT pela Prefeitura de SP». Consultado em 10 fev 2020 
  5. Revista Exame (29 jan 2020). «Petistas abririam mão de candidatura em SP se Haddad concorrer a prefeito». Consultado em 10 fev 2020 
  6. Brasil247 (18 jan 2020). «Marco Aurélio Carvalho pode ser o nome surpresa do PT para a disputa em São Paulo». Consultado em 10 fev 2020 
  7. Mônica Bergamo/Folha de S.Paulo (8 fev 2020). «Bolsonaro se queixa da imprensa e faz gesto de banana para jornalistas». Consultado em 10 fev 2020 
  8. O Globo (8 fev 2020). «Bolsonaro volta a criticar a imprensa: 'Vou dar uma banana pra vocês'». Consultado em 10 fev 2020 
  9. OAB-SP. «Composição da Comissão de Direito Notarial e Registros Públicos da OAB-SP». Consultado em 10 fev 2020 
  10. O Estado de São Paulo (28 nov 2019). «Grupo Prerrogativas classifica como parcial e punitivista nova condenação contra Lula». Consultado em 10 fev 2020 
  11. Consultor Jurídico (8 dez 2019). «Desconstrução do pacote "anticrime" de Moro e o freio contra o retrocesso». Consultado em 10 fev 2020 
  12. Mônica Bergamo/Folha de S.Paulo (21 jan 2020). «Grupo de advogados diz que denúncia contra Glenn é escalada autoritária». Consultado em 10 fev 2020 
  13. Revista Época (2 nov 2020). «Grupo de criminalistas pede investigação após fala de Bolsonaro». Consultado em 10 fev 2020 
  14. OAB Nacional (9 dez 2019). «Última sessão do Conselho Pleno em 2019 tem homenagens e lançamento de obras jurídicas». Consultado em 10 fev 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]