Marco Pláucio Silvano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para seu pai, de mesmo nome, veja Marco Pláucio Silvano (defenestrador).

Marco Pláucio Silvano (em latim Marcus Plautius Silvanus), nascido em redor de 35 a.C., morto em Roma, após 9, foi um general do Império Romano, aparentado com a dinastia júlio-claudiana, cônsul em 2 a.C.,[1] e procônsul da Ásia de 4 a 5.[2] Também serviu na Panônia em 9 d.C.,[3] Dalmácia[4] e Ilírico,[5] à época da Grande Revolta Ilíria.

Biografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com Pierre Bayle, ele era filho de Urgulânia e Marco Pláucio, filho de Aulo Pláucio, e teve quatro filhos, Marco, Urgulanila, Públio e Tito; Marco foi acusado de defenestrar sua esposa e suicidou-se, Urgulanila foi esposa de Cláudio e Tito Pláucio Silvano Eliano foi cônsul duas vezes, em 799 AUC e nos tempos de Vespasiano.[6]

Pertencente à gens dos Pláucios, de origem senatorial. Sua mãe, Urgulânia, gozava da amizade de Lívia Drusila, esposa de Augusto.

Foi nomeado cônsul em 2 a.C. como companheiro de Augusto. Governou, como procônsul, a província da Ásia em 4 d.C.

Nomeado governador de Galácia e da região da Panfília em 5-6, sufocou uma primeira revolta dos isáuricos, mais tarde (em 7, guiou e reforçou duas legiões (a IV Scythica e a V Macedonica) contra os rebeldes da Panônia. Recusou unir-se às forças do legado de Mésia (Thracia Macedoniaque), Aulo Cecina Severo, mas, atacado por surpresa pelos rebeldes enquanto estava cruzando o rio Sava, a oeste de Sírmio, foi hábil tanto para salvar o exército como para chegar à sede de Tibério, em Síscia onde estava reunido exército composto por dez legiões.

Os dois anos que se seguiram levaram à completa submissão da Ilíria, que se traduziu na criação das novas províncias da Panônia e Dalmácia. Por estes sucessos foi premiado com um triunfo romano.

Referências

  1. Dião Cássio, História romana LV.0
  2. Ronald Syme, The Roman Revolution, Oxford University Press 1939, p. 435; Ronald Syme, The Augustan Aristocracy, Oxford University Press 1989, p. 340
  3. Dião LV.34
  4. Dião LVI.12
  5. Veleio Patérculo II.112
  6. Pierre Bayle, Dictionnaire historique et critique, Urgulanilla
Precedido por:
Lúcio Cornélio Lêntulo e Marco Valério Messala Messalino
Cônsul da República Romana com Augusto
2 a.C.
Sucedido por:
Coso Cornélio Lêntulo e Lúcio Calpúrnio Pisão