Marco Rodrigues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Marco Rodrigues (1982, Amarante) é um fadista português.

Percurso[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Amarante mas aos 8 anos foi viver para Arcos de Valdevez. Começou por cantar com o pai que era tocador de acordeão.

Fica em 2º lugar na Grande Noite do Fado do Porto. Aos 15 anos vai viver para Lisboa após o divórcio dos pais.

Em 1999 torna-se o vencedor da Grande Noite do Fado, no Coliseu dos Recreios, na categoria Sénior. Poucos meses depois estreia-se como profissional no Café Luso – onde é actualmente fadista e violista residente, para além de diretor artístico.

Em 2006 lança o seu primeiro álbum, Fados da Tristeza Alegre, pela Ocarina. Um ano depois é distinguido com o Prémio Amália Rodrigues, na categoria Revelação.

Em 2008 participa no Festival RTP da Canção, com o tema "Em Água e Sal", alcançando o 3.º lugar nesse certame.

No ano de 2010 é editado o álbum Tantas Lisboas que tem convidados como Carlos do Carmo e Mafalda Arnauth. Marco Rodrigues assina a composição de dois dos temas - "O inverso do fado" e "Onde vou". Entre os compositores e letristas deste disco destacam-se Boss AC, Tiago Torres da Silva, Inês Pedrosa e Tiago Machado, este último assina também a produção do álbum.

Em Tantas Lisboas Marco Rodrigues canta o seu amor por… Lisboa. O concerto de lançamento do disco teve lugar no Teatro São Luiz (Lisboa).

Em agosto de 2011 é convidado pela cantora brasileira Maria Gadú para gravar um tema no seu novo trabalho.

Dá um concerto no Teatro da Trindade que assinala o lançamento de uma nova edição do "Tantas Lisboas", numa edição especial e limitada que integra seis temas tocados ao vivo.

Colabora com Fernando Alvim no disco "Fados & Canções do Alvim", onde interpreta "O Tempo a Cantar". São realizados concertos comemorativos na Casa da Música, no Porto, em dezembro de 2011, e em maio de 2012 no Teatro da Trindade, em Lisboa.

A 2 de dezembro de 2011, integra o elenco de fadistas que atuaram na Gala Fado Património da Humanidade, espetáculo comemorativo da distinção do Fado como Património Imaterial da Humanidade, atribuída pela UNESCO. Interpreta "A rima mais bonita", numa das atuações mais aplaudidas do concerto transmitido em direto na RTP1.

Em maio de 2012 actua na abertura dos espetáculos de Maria Gadú, nos coliseus de Lisboa e Porto.

Marco Rodrigues foi agraciado com a medalha de mérito cultural pela Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, em 11 de julho de 2012, em cerimónia na Casa das Artes de Arcos de Valdevez.

Em Março de 2013 é lançado o álbum "EntreTanto".

Em 2016, foi indicado ao Grammy Latino de Melhor Álbum Folclórico por seu álbum Fados do Fado.[1]

Seu pai é Carlos Rodrigues.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Fados Da Tristeza Alegre (Ocarina, 2006)
  • Tantas Lisboas (Universal, 2010)
  • Tantas Lisboas (Universal, 2011) [CD+DVD]
  • EntreTanto (Universal, 2013)
  • Fados Do Fado (Universal, 2015)
Outros
  • Fados & Canções do Alvim | Fernando Alvim (Universal, 2011) [participação especial]
  • Mais Uma Página | Maria Gadú (Slap, 2011) [participação especial]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Guitarra e Viola Douradas.png Marco Rodrigues venceu a Grande Noite do Fado 1999 da Casa da Imprensa dem Lisboa, na categoria de Seniores Masculinos
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Lista completa de nominados a Latin GRAMMY 2016». Univision. Univision Communications. 21 de setembro de 2016. Consultado em 1 de novembro de 2016