Marco Valério Messala (cônsul em 161 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Marco Valério Messala (em latim, Marcus Valerius M. F. M. N. Messalla) foi um político da República Romana que ocupou o consulado em 161 a.C.

Filho do cônsul de 188 a.C. Marco Valério Messala e neto do também cônsul de 226 a.C. Marco Valério Messala.

Foi cônsul pela sua vez em 161 a.C., com Caio Fânio Estrabão como colega. Durante a época do seu consulado o Senado romano emitiu um decreto proibindo aos retóricos gregos a residência em Roma.[1] Nesse ano também se representaram pela primeira vez as obras de teatro Phórmion e Eunucho de Públio Terêncio Africano.

Messala também destacou por ter sido degradado pelos censores; porém, acabou ocupando ele o cargo de censor em 154 a.C.[2]

Referências

  1. Gell. ii. 24, xv. 11; Suetônio Clar. Rhet. i.
  2. Valério Máximo ii..9. § 9.
Precedido por:
Públio Cornélio Lêntulo (sufeito) e Cneu Domício Enobarbo (sufeito)
Cônsul da República Romana com Caio Fânio Estrabão
161 a.C.
Sucedido por:
Lúcio Anício Galo e Marco Cornélio Cetego