Marcos Damigo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Marcos Damigo
Nascimento 1973 (43 anos)
Ocupação Ator, autor, preparador corporal, diretor e produtor de teatro
IMDb: (inglês)

Marcos Damigo (São Paulo, 1973) é um ator, autor, preparador corporal, diretor e produtor de teatro brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em São Paulo em 1973, formou-se técnico em Agropecuária pela UNESP Jaboticabal em 1991 e chegou a cursar dois anos de Agronomia na UNESP Botucatu. Em 1993, conheceu Roberto Freire (psiquiatra), que o ajudou a descobrir sua vocação de ator. Começou seus estudos de teatro em 1994 com o ator e diretor Gerson Steves na Oficina Teatral Mazzaropi, em São Paulo. Em 1995, ingressou na Escola de Arte Dramática (EAD), da Universidade de São Paulo (USP).

Estreou na televisão em 1998, no SBT, como protagonista da novela Fascinação, de Walcyr Carrasco, formando par romântico com a atriz Regiane Alves.

Seus primeiros trabalhos como ator foram ao lado da atriz e contadora de estórias Tecka Mattoso. No projeto "Livro em Movimento", montavam espetáculos para espaços não-convencionais baseados em obras literárias, como "O Rouxinol e a Rosa", de Oscar Wilde, e "Luas e Luas", de James Thurber.

Em 2010, esteve em turnê como ator em “As Pontes de Madison”, direção de Regina Galdino, com Marcos Caruso e Denise Del Vecchio, e dirigiu sua primeira peça, “Os Visitantes”, de Priscila Gontijo, que ficou em cartaz no Teatro Glaucio Gill, no Rio.

No cinema, atuou em “Bellini e a Esfinge”, dirigido por Roberto Santucci do livro de Toni Belotto, e “Sonhos Tropicais”, de André Sturm, ambos em 2002.

Marcos Damigo vem sendo chamado também para gravações de audiolivros (audiobooks). Em 2009 gravou Contos memoráveis de Arthur Azevedo e, atualmente, está trabalhando na gravação de um livro de Afonso Romano de Santana.

Em 2011, Marcos interpretou o personagem homossexual Hugo Abrantes[1] em Insensato Coração, novela das 21 horas da TV Globo de Gilberto Braga e Ricardo Linhares. Graças à sua participação na novela, o ator participou de uma campanha, no início de 2012, contra a homofobia.

Neste mesmo ano, Marcos estreou o espetáculo Deus é um DJ, de Falk Richter, no qual contracenou com Maria Ribeiro sob a direção de Marcelo Rubens Paiva.

Em 2012, atua junto a Bel Kowarick em Dueto para Um, texto do inglês Tom Kempinski e direção de Mika Lins.

Em 2013, interpreta o Dr. Rubens na novela Joia Rara, de Thelma Guedes e Duca Rachid, vencedora do prêmio Emmy Internacional de melhor novela.

Em 2014 entra para o espetáculo Lampião e Lancelote, baseado em livro de Fernando Vilela, adaptado por Bráulio Tavares e dirigido por Débora Dubois, com trilha originalmente composta por Zeca Baleiro, em turnê por algumas capitais e na cidade de São Paulo.

Em 2015 atua em Caros Ouvintes, espetáculo que estreou no MASP e já realizou quatro temporadas de sucesso em São Paulo, texto e direção de Otávio Martins.

Estreou em 2016 o monólogo As Sombras de Dom Casmurro, adaptação do clássico Dom Casmurro de Machado de Assis realizada por Toni Brandão e dirigida por Débora Dubois.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Nota Ref
1998 Fascinação Carlos Eduardo da Silva Prates Protagonista [2]
1998 Você Decide ---- Participação especial
2000 Sandy & Junior Miguel Coadjuvante
2005 Mad Maria Benjamim Coadjuvante
2007 Malhação Luciano Rocha Coadjuvante
2011 Insensato Coração Hugo Abrantes Coadjuvante
2013 Joia Rara Dr. Rúbens Coadjuvante [1]

Documentário[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Filmes
Ano Título Papel
1999 Movimento -----
2001 Bellini e a Esfinge Samuel Rafidjian
2002 Sonhos Tropicais -----

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • 1995 - Píramo e Tisbe, texto e direção de Vladimir Capella
  • 1998 - Cuidado: Garoto Apaixonado, texto de Toni Brandão e direção de Débora Dubois (ator)
  • 1999 - Cabra: Épico de Canudos, direção de Georgette Fadel (autor e ator)
  • 1999 - Grogue, texto de Toni Brandão e direção de Débora Dubois (ator)
  • 2000 - Subúrbia, texto de Eric Bogosian e direção de Francisco Medeiros (ator)
  • 2000 - Ladrão de Frutas, direção de Rodrigo Matheus (autor)
  • 2002 - Hamlet, de William Shakespeare, direção de Francisco Medeiros (ator)
  • 2003/2004 - O que morreu mas não deitou? trabalho coletivo (ator e coordenador de dramaturgia)
  • 2006 - O Retrato de Dorian Gray, baseado em livro de Oscar Wilde, direção de Débora Dubois (autor da adaptação, ator e produtor)
  • 2008 - A Forma das Coisas, de Neil Labute e direção de Guilherme Leme (diretor de movimento)
  • 2008 - Otelo, de Shakespeare, direção de Diogo Vilela e Marcus Alvisi (ator)
  • 2009 - A Geração Trianon, de Anamaria Nunes e direção de Luiz Antonio Pilar e Christina Bethencourt (ator)
  • 2009 - A Noite Mais Fria do Ano, texto e direção de Marcelo Rubens Paiva (produtor)
  • 2010 - Os Visitantes, texto de Priscila Gontijo (diretor)
  • 2010 - As Pontes de Madison, de Robert James Walter e direção de Regina Galdino (ator)
  • 2010 - RockAntygona, adaptação da tragédia de Sófocles por Caio de Andrade e direção de Guilherme Leme (assistente de direção)
  • 2011 - Deus É um DJ, de Falk Richter e direção de Marcelo Rubens Paiva (ator e idealizador)
  • 2012 - Dueto para Um, de Tom Kempinski e direção de Mika Lins (ator)
  • 2013 - perfeitos, perversos, educados, de Howard Brenton e direção coletiva de Marcos Damigo, Grace Passô e Rodrigo Bolzan (ator, tradutor e diretor)
  • 2014 - Lampião e Lancelote, adaptação do livro de Fernando Vilela por Bráulio Tavares, direção de Débora Dubois (ator)
  • 2015 - Dias de Felicidade, de Leilah Assumpção e direção de Regina Galdino (assistente de direção)
  • 2015 - Caros Ouvintes, texto e direção de Otávio Martins (ator e assistente de direção)
  • 2016 - As Sombras de Dom Casmurro, adaptação de Toni Brandão para o livro de Machado de Assis, direção de Débora Dubois

Referências

  1. a b Araújo, Rosa (20 de dezembro de 2010). «'Insensato coração' terá seis personagens gays e um homofóbico». RIUS. Consultado em 4 de janeiro de 2011. 
  2. Redação SBT (1 de novembro de 2011). «Novela Fascinação está de volta ao SBT em novembro». Consultado em 10 de novembro de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]