Marcos Magalhães

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Marcos Magalhães é um realizador brasileiro, nascido em 20 de dezembro de 1958.

Marcos Magalhães é autor de diversos curtas-metragens em animação, entre os quais "Meow!", ganhador do Prêmio Especial do Júri no Festival de Cannes 1982 [1] e "Animando", filmado no National Film Board of Canada em 1983 Animando. “Animando” ganhou o Prêmio de Melhor Filme Didático no Festival de Espinho, Portugal, e até hoje é frequentemente exibido em programas de TV, escolas e cursos de animação do mundo inteiro.

Em 1985 Marcos Magalhães participou de um acordo de cooperação Brasil-Canadá com duração de dois anos, no qual foi responsável pela implantação do primeiro curso profissional de animação realizado no Brasil. Em 1986 coordenou o projeto "Planeta Terra", filme coletivo realizado por 30 animadores brasileiros para o Ano Internacional da Paz da ONU.

Entre 1990 e 1995 acompanhou o processo criativo de Fernando Diniz, artista diagnosticado esquizofrênico e um dos expoentes do Museu de Imagens do Inconsciente. O resultado foi o filme “Estrela de Oito Pontas”, animado por Fernando Diniz, com coordenação de Marcos e produção de Cláudia Bolshaw, com o apoio da Bolsa Vitae de Artes. O filme ganhou de três prêmios “Kikito” no Festival de Gramado de 1996 e Melhor Animação no Festival de Havana, em 1996.

É o criador e animador do ratinho de massinha do programa de TV "Castelo Rá-Tim-Bum", com música de Hélio Ziskind.

Em 1998/99 realizou, como artista-visitante na Divisão de Animação e Artes Digitais da University of Southern California em Los Angeles, o filme “DoiS”, que combina animação direta na película com computação gráfica 3D.

Em 2002 Marcos foi bolsista da John Simon Guggenheim Foundation, com o projeto “Dar Alma”, sobre a realização de filmes de animação por não-profissionais.

É professor de Cinema de Animação no curso de graduação em Design desde 2002 e coordenador do curso de pós-graduação em Animação desde 2004, na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Em 2007 conclui o curta HOMEM ESTATUA, com a técnica inédita de animação de desenhos de modelo vivo.

Desde 1993, Marcos é um dos fundadores e diretores de Anima Mundi, Festival Internacional de Animação do Brasil, hoje um dos cinco principais eventos de animação no mundo.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

  • Animando, curta metragem, Canadá/Brasil (1982)

Referências