Marcos Suzano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marcos Suzano
Informação geral
País Brasil

Marcos Suzano (Rio de Janeiro) é um percussionista brasileiro.

Na adolescência, escutava rock, até ouvir o naipe de percussão de um bloco carnavalesco e ficar fascinado.

Começou tocando surdo e cuíca e fixou-se no pandeiro depois de assistir a um programa com Jorginho do Pandeiro, do conjunto Época de Ouro.

Cursou Economia, mas durante o curso já freqüentava a casa de Hermeto Pascoal e de Radamés Gnattali. Estudou ritmos africanos num grupo com Paulo Moura, tocou com Zizi Possi, Água de Moringa, Marisa Monte, Zé Kéti, Gilberto Gil, Lenine e outros.

Desenvolveu técnicas para pandeiro que difundiu em cursos e oficinas.

Em 1993 sua parceria com o músico pernambucano Lenine se transformou no disco "Olho de Peixe".

Seu primeiro trabalho solo, "Sambatown", é de 1996 e traz usos inovadors para o pandeiro, intensificando a batida samba-funk e a utilização de sons mais graves.

Em 2000 saiu "Flash", seu segundo disco solo, em que o músico vai mais a fundo no uso da música eletrônica.

Suzano faz também parte do grupo Pife Muderno, liderado por Carlos Malta.

A Técnica[editar | editar código-fonte]

A técnica de Marcos Suzano parte do princípio de tocar o pandeiro "ao contrário", isto é, tomando como tempo forte não a batida do polegar, mas a das pontas dos dedos contra a pele do pandeiro (geralmente a batida das pontas dos dedos é dada fora do tempo forte, dado pelo polegar). Segundo o músico, essa técnica facilita a realização de ritmos fora do padrão do pandeiro, como compassos ímpares, por exemplo.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Olho de Peixe (com Lenine) (1993)
  • Sambatown (1996)
  • Flash (2000)
  • [Satolep Sambatown (com Vitor Ramil) (2007)][1]

Links[editar | editar código-fonte]

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.