Marduquenadinaque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marduquenadinaque
Rei da Babilônia
Amran Kudurru 01.jpg

Cudurru de Marduquenadinaque.
Reinado 1 100 a.C. - 1 082 a.C.
Antecessor(a) Enlilnadinapli
Sucessor(a) Marduquesapiquezeri
Dinastia Segunda dinastia de Isim
Nascimento Século XII a.C.
  Babilônia
Morte 1082 a.C. (?)
  Babilônia
Filho(s) Marduquesapiquezeri (?)
Pai Ninurtanadinsumi

Marduquenadinaque (em acádio: mdAMAR.UTU-na-din-MU; transl.: Marduk-nādin-aḫḫē , lit. "Marduque é doador de irmãos") foi o sexto rei da Segunda dinastia de Isim da Babilônia. Foi filho de Ninurtanadinsumi e irmão do famoso Nabucodonosor I e foi precedido por seu sobrinho Enlilnadinapli, pela qual o depôs (de acordo com a crônica babilônica).[1] De acordo com a Lista C de reis da Babilônia e com a crônica assíria, ele reinou por volta de dezoito anos.[2] Marduquenadinaque foi considerado como um rei mais bem-sucedido.

História[editar | editar código-fonte]

Marduquenadinaque patrocinou vários projetos de construção no seu país (provavelmente Ur) e manteve o Império Assírio à distância.[Nota 1] No final de seu reinado, o rei assírio Tiglate-Pileser I invadiu as cidades do norte da Babilônia Dur-Curigalzu, Sipar de Samas, Sipar de Anunitu, Babilônia e Opis e queimou os palácios do rei babilônico na Babilônia, que é afirmado nas duas inscrições do rei da Assíria e na história sincronística.[3] Ainda não se sabe se Marduquenadinaque faleceu ou morreu em um cativeiro, mas claramente a invasão dos assírios não tem a ver com sua morte.[4] Na crônica assíria relata que ele desapareceu numa época que houve uma fome severa numa terra e um número crescente de tribos aramaicas que saqueavam as plantações e as posses do povo assírio.[5]

Após a sua desconhecida morte, Marduquenadinaque foi sucedido por, que provavelmente deva ser seu filho, Marduquesapiquezeri.[Nota 2]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. Segundo duas inscrições reais posteriores (Senaqueribe 223, ll. 48-49 e Senaqueribe 24 vi 2), Marduquenadinaque até invadiu a cidade assíria Ecalatum e carregou as estátuas dos deuses Adade e Sala para a Babilônia.
  2. A frase que indica a relação exata entre os dois reis está quebrada; a reconstrução é baseada em uma passagem que é preservada tanto na Crônica de Walker quanto na Crônica Eclética e, portanto, pode ser totalmente reconstruída por comparação entre esses dois textos afirmando que Marduquesapiquezeri era filho de Marduquenadinaque.

Referências

  1. Inscrições Reais Babilônicas Online (a).
  2. Inscrições Reais Babilônicas Online (b).
  3. Inscrições Reais Babilônicas Online (c).
  4. G. Frame. Rulers of Babylonia, From the Second Dynasty of Isin to the End of Assyrian Domination (1157-612 BC). Toronto et al.: University of Toronto Press, 1995. pág. 38-44.
  5. Inscrições Reais Babilônicas Online (d).