Margareth Dalcolmo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Margareth Dalcolmo
Nome completo Margareth Maria Pretti Dalcolmo
Nascimento 21 de junho de 1954 (67 anos)
Colatina, ES
Ocupação médica, pesquisadora
Área pneumologia
Instituições Fundação Oswaldo Cruz

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Pesquisa tuberculose
Anos em atividade 1978-presente
Alma mater Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória

Universidade Federal de São Paulo

Parentesco Cândido Mendes de Almeida (c. 2015)

Margareth Maria Pretti Dalcolmo (Colatina, 21 de junho de 1954) é uma médica, professora e pesquisadora brasileira.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Dalcolmo nasceu no interior do Espírito Santo no seio de uma família de descendentes de imigrantes italianos[3]. Quando tinha apenas dois anos de idade, sua família mudou-se para o Rio de Janeiro onde cresceu.[3] Quando criança gostaria de ser diplomata, porém aos dezessete anos resolveu entrar para o curso de medicina.[3]

Carreira acadêmica[editar | editar código-fonte]

Formou-se em 1978 em medicina pela Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (EMESCAM).[4] Realizou sua residência médica em pneumologia na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Após uma ampla formação de especializações em 1999, Dalcomo recebeu seu doutoramento na Escola Paulista de Medicina, vinculada a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), com a tese "Regime de curta duração, intermitente e parcialmente supervisionado, como estratégia de redução do abandono no tratamento da tuberculose no Brasil".[5]

Desde 2002, é professora adjunta da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).[6] Atua também como pesquisadora na Fiocruz.[7][8]

Atuação profissional[editar | editar código-fonte]

Estudiosa da tuberculose, foi uma das pioneiras na luta contra o tabagismo no país.[9] É autora de 16 capítulos de livros médicos, e de cerca de 70 trabalhos publicados em revistas nacionais e internacionais.[10]

Atuação na pandemia de COVID-19[editar | editar código-fonte]

Durante a pandemia de COVID-19 no Brasil, Margareth ganhou papel de destaque, sendo considerada uma das principais especialistas sobre a COVID-19 e doenças pulmonares no país.[11] Tornou-se participante ativa dos principais telejornais e programas brasileiros com o intuito de alertar a população aos riscos da doença e difundir a ciência para os telespectadores.[12][13][14]

Foi entrevistada do programa Roda Viva, da TV Cultura, juntamente como Denise Garret e Dimas Covas, para explicar a situação da pandemia no país e a questão da vacinação e os problemas políticos que o Brasil enfrenta para garantir uma campanha de vacinação que consiga alcançar toda a população brasileira.[15][16][17][18]

Divide uma coluna com os pesquisadores na área das ciências biológicas Natalia Pasternak, Robert Lent, Amilcar Tanuri e Patrícia Rocco no jornal carioca O Globo, chamado "A hora da ciência" com o intuito de, com quadros técnicos, popularizar conhecimento científico.[19]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

É casada com o imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL), Cândido Mendes de Almeida.[20] Após terem vívido mais de 25 anos juntos, em 2015, decidiram pelo casamento na Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro.[21][3] O casal não possui filhos.[3] Margareth é católica e frequenta algumas dioceses no Rio de Janeiro.[22]

Em maio de 2020, Margareth foi infectada pelo coronavírus e cumpriu o isolamento social.[23] Recuperou-se da doença após um quadro leve da doença e criticou a recomendação de negacionistas de tomarem Cloroquina e Ivermectina para o tratamento da doença.[24][25]

Honrarias[editar | editar código-fonte]

Devido sua atuação, Margareth recebeu honrarias como:

Referências

  1. Silva, Guilherme (3 de abril de 2020). «A médica capixaba no combate ao coronavírus e sucesso na TV Globo». A Gazeta. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  2. «Margareth Dalcolmo — IEA USP». Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  3. a b c d e Disitzer, Marcia (29 de dezembro de 2020). «A mulher do ano: a atuação incansável da médica Margareth Dalcolmo durante a pandemia». O Globo. Consultado em 21 de março de 2021 
  4. Fontana, Vinícius (24 de novembro de 2020). «Enfrentamento à COVID, trabalho e meio ambiente foram debatidos na Semana do Conhecimento». Universidade Federal do Espírito Santo. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  5. Dalcolmo, Margareth Maria Pretti (2000). «Regime de curta duracao, intermitente e parcialmente supervisionado, como estrategia de reducao do abandono no tratamento da tuberculose no Brasil». Universidade Federal de São Paulo. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  6. «Dra. Margareth Pretti Dalcolmo |». Rede-TB. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  7. «Margareth Dalcolmo, coordenadora do Estudo com a vacina BCG para prevenção da Covid-19». Fiocruz. Fundação Oswaldo Cruz. 5 de janeiro de 2020. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  8. «Anvisa "desmistificou essa enganação de tratamento precoce"». O Antagonista. 17 de janeiro de 2021. Consultado em 17 de janeiro de 2021 
  9. «'A Covid-19 está longe de ser controlada no país', alerta pneumologista». O Globo. 24 de novembro de 2020. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  10. a b «'A tísica na literatura: da peste ao lirismo acadêmico' é o tema da terceira palestra do ciclo da ABL 'Literatura e Medicina' coordenado pelo Acadêmico e jornalista Cícero Sandroni». Academia Brasileira de Letras. 11 de outubro de 2017. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  11. «Emocionada, médica da Fiocruz defende Revolta da Vacina ao contrário». Estado de Minas. 8 de dezembro de 2020. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  12. Mazzo, Aline (27 de dezembro de 2020). «'Ser vacinado não nos isenta de andar de máscara pelos próximos dois anos', diz Margareth Dalcolmo». Folha de S.Paulo. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  13. Rasseli, Renata (16 de dezembro de 2020). «Referência em Covid, médica do ES é entrevistada do 'Saia Justa' no 'GNT'». A Gazeta. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  14. Pneumologista Margareth Dalcolmo tira dúvidas sobre a Covid-19 - GloboNews – Jornal GloboNews - Catálogo de Vídeos, consultado em 16 de janeiro de 2021 
  15. Padglione, Cristiane (7 de dezembro de 2020). «Roda Viva reúne especialistas para discutir vacinas contra a Covid». Folha de S. Paulo. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  16. «Roda Viva responde dúvidas sobre vacinas na segunda-feira (14); envie sua pergunta pelo Twitter». TV Cultura. 7 de dezembro de 2020. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  17. «'Não é vacina da China, é vacina do Butantan', diz Dimas Covas». UOL. 14 de dezembro de 2020. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  18. Fragão, Luísa (15 de dezembro de 2020). «Médica da Fiocruz diz no Roda Viva que não haverá vacina para todos em 2021». Revista Fórum. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  19. Martin, Daniel Biasetto, Natalia Pasternak , Margareth Dalcolmo, Amilcar Tanuri , Roberto Lent , Patricia Rocco e Flavia. «A hora da Ciência - O Globo». A hora da Ciência - O Globo. O Globo. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  20. Lacerda, Lu (3 de junho de 2018). «Candido Mendes 90: poucos sorrisos – muitos amigos». Lu Lacerda. iG. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  21. «Candido Mendes casa aos 87 anos – que vigor na hora do "Sim"!». Lu Lacerda. iG. 27 de outubro de 2015. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  22. a b Machado, Dauro (22 de janeiro de 2021). «Prêmio São Sebastião para a dama da ciência Margareth Dalcolmo - Vatican News». Vatican News. Consultado em 29 de janeiro de 2021 
  23. Guimarães, Cleo (18 de maio de 2020). «Coronavírus: pneumologista Margareth Dalcolmo está infectada». Veja Rio. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  24. Schaeffer, José (26 de maio de 2020). «'Jamais usaria cloroquina', diz médica capixaba curada da Covid-19». A Gazeta. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  25. «'Saquinhos de ilusão' com vermífugos e cloroquina custam vidas, diz especialista». Saúde. iG. 12 de janeiro de 2021. Consultado em 29 de janeiro de 2021 
  26. Peçanha, Irlan (11 de maio de 2012). «Pesquisadora da ENSP recebe medalha Pedro Ernesto». Fiocruz. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  27. Caiado, Carlo (9 de maio de 2012). «Médica Margareth Dalcolmo é homenageada com conjunto de medalhas Pedro Ernesto». Carlo Caiado. Consultado em 16 de janeiro de 2021 
  28. «Prêmio Faz Diferença vai para Margareth Dalcolmo, consórcio de veículos de imprensa e Jornal Nacional; veja lista». G1. 25 de agosto de 2021. Consultado em 25 de outubro de 2021 
  29. «O Globo entrega Prêmio Faz Diferença 2020». Jornal Nacional. 26 de agosto de 2021. Consultado em 25 de outubro de 2021