Margarida I da Dinamarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Margarida I
Rainha da Dinamarca
Reinado 10 de agosto de 1387
a 28 de outubro de 1412
Antecessor(a) Olavo II
Sucessor(a) Érico VII
Rainha da Noruega
Reinado 3 de agosto de 1387
a 28 de outubro de 1412
Predecessor Olavo IV
Sucessor Érico III
Rainha da Suécia
Reinado 24 de fevereiro de 1389
a 28 de outubro de 1412
Predecessor Alberto
Sucessor Érico XIII
 
Marido Haakon VI da Noruega
Descendência Olavo II da Dinamarca & IV da Noruega
Casa Estridsen
Nome completo
Margarida Valdemarsdatter
Nascimento março de 1353
Castelo de Vordingborg, Vordingborg, Dinamarca
Morte 28 de outubro de 1412 (59 anos)
Flensburg, Dinamarca
Sepultamento Catedral de Roskilde, Roskilde, Dinamarca
Pai Valdemar IV da Dinamarca
Mãe Edviges de Schleswig

Margarida I (Vordingborg, março de 1353Flensburg, 28 de outubro de 1412) foi a Rainha da Dinamarca e Noruega de 1387 até sua morte e também Rainha da Suécia a partir de 1389, sendo a fundadora da União de Kalmar que uniu os países escandinavos por mais de um século. Ela foi a rainha soberana da Dinamarca mesmo não sendo costume para época uma mulher reinar. Seu título na Dinamarca deve-se ao seu pai Valdemar IV. Na Noruega e Suécia ela tornou-se rainha por seu casamento com Haakon VI.[1][2][3]

Rainha reinante[editar | editar código-fonte]

Retrato posterior de Margarida.

A Dinamarca não tinha a tradição de permitir às mulheres reinarem e por isso quando o filho dela morreu, ela foi rebatizada de "Senhora do Reino da Dinamarca". Ela teve o seu próprio tratamento de "Rainha da Dinamarca", durante o ano de 1375. Normalmente Margarida era referida como "Margarida, pela graça de Deus, filha de Valdemar da Dinamarca" e "Legítima herdeira da Dinamarca" quando se refere à sua posição na Dinamarca. Outros simplesmente referem-na como a "Senhora Rainha". O Papa Bonifácio IX escreveu para ela como "Rainha da Dinamarca" ou "Rainha da Dinamarca, Noruega e Suécia".

No que se refere à Noruega, ela era conhecida como Rainha (rainha-consorte, então rainha viúva) e regente. Na Suécia, ela era Rainha viúva e Regente geral. Quando ela casou com Haakon, em 1363, ele foi ainda co-rei da Suécia a rainha Margarida, e apesar de ser deposta, nunca abandonou o título. Quando os suecos expulsaram Alberto da Suécia, em 1389, em teoria, Margarida simplesmente retomou a sua posição original.

Morte[editar | editar código-fonte]

Margarida faleceu subitamente a bordo de seu navio em Flensburgo, em 28 de outubro de 1412. Seu sarcófago feito pelo escultor Lübeck Johannes Junge (1423) fica atrás do altar-mor da Catedral de Roskilde, perto de Copenhaga. Ela deixou a propriedade para a catedral, na condição de se celebrar regularmente missas à sua alma. A Reforma (1536) interrompeu este ritual, no entanto, nesse dia um sino especial toca duas vezes em homenagem à Rainha.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Margarida I da Dinamarca


Precedido por
Alberto
Rainha da Suécia
1389 - 1412
Sucedido por
Érico XIII
Precedido por
Olavo IV
Rainha da Noruega
1387 - 1412
Sucedido por
Érico III
Precedido por
Olavo IV
Rainha da Dinamarca
1387 - 1412
Sucedido por
Érico III

Referências

  1. Örjan Martinsson. «Margareta» (em sueco). Tacitus.nu. Consultado em 12 de maio de 2016. 
  2. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Margareta». Bonniers uppslagsbok (em sueco) (Estocolmo: Albert Bonniers Förlag). p. 613. ISBN 91-0-011462-6. 
  3. «Drottning Margareta - unionsdrottning» (em sueco). Bengans historiasidor: Historien sedd från Västergötland. Consultado em 12 de maio de 2016. 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma Rainha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.