Margot at the Wedding

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Margot at the Wedding
Margot e o Casamento (PT/BR)
 Estados Unidos
2007 •  cor •  93 min 
Direção Noah Baumbach
Produção Scott Rudin
Coprodução Blair Breard
Roteiro Noah Baumbach
Elenco Nicole Kidman
Jennifer Jason Leigh
Jack Black
John Turturro
Ciarán Hinds
Halley Feiffer
Gênero comédia dramática
Cinematografia Harris Savides
Edição Carol Littleton
Distribuição Paramount Vantage
Lançamento Estados Unidos 16 de novembro de 2007 (limitado)
Brasil 28 de abril de 2008 (DVD)
Idioma inglês
Orçamento US$ 10 milhões
Receita US$ 2 897 757[1]
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Margot at the Wedding (no Brasil e em Portugal: Margot e o Casamento) é um filme do gênero comédia dramática de 2007 dirigido por Noah Baumbach.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Margot é uma escritora de sucesso, mas neurótica que traz seu filho de 11 anos de idade, Claude para passar um fim de semana visitando sua irmã de espírito livre Pauline às vésperas de seu casamento com Malcolm na casa de Pauline e Malcolm em Long Island. Margot desaprova a escolha de Pauline do noivo, que vai se tornar uma das várias fontes de tensão entre as duas irmãs. Malcolm também tem espírito livre, mas também sem sucesso, desmotivado, socialmente inadequado e "completamente desinteressante". Porque muito do tempo de Malcolm é gasto com pinturas, reprodução de música e escrever cartas para revistas, Margot sente que Pauline poderia ter escolhido melhor. Enquanto na cidade, Margot também será entrevistada em uma livraria local por Dick Koosman, um autor de sucesso com quem Margot está colaborando em um roteiro. A filha adolescente de Dick Maisie também visita a casa.

Embora Pauline esteja feliz que Margot apareceu, as duas compartilham uma fonte de tensão. Margot desaprova escolhas de vida de Pauline – além de se casar com Malcolm, Pauline está grávida, fato que ela não compartilhou com Malcolm ou sua filha pré-adolescente Ingrid. Pauline se ressente ao saber que suas experiências de vida têm sido usadas ​​na escrituras de Margot. Ela também se irrita quando descobre que Margot compartilhou os segredos que disse a ela em confiança – incluindo sua gravidez. Cada uma das irmãs se sente injustamente escolhida uma pela outra. Ao invés de cuidar das suas frustrações, as irmãs cuidam daqueles ao seu redor. Pauline começa a desconfiar que o seu noivo é inadequado. Margot espeta crescentemente o constrangimento físico e emocional de seu filho. Como ele cresce, Claude se torna mais um alvo legítimo de seus poderes impiedosos de observação. As tensões vêm à cabeça duas vezes. A entrevista de Margot torna-se desastrosamente errada quando as questões de Dick tornam-se pessoais. Enquanto Pauline interroga Malco sobre os e-mails que ele recebeu de uma de suas alunas de 20 anos de idade. Em uma discussão entre Pauline e Margot é levantada a questão que Margot sofre de transtorno bipolar.

Fugindo para um motel, Pauline com raiva confronta Margot sobre como sua vida tem sido utilizada nos livros de Margot. No dia seguinte, quando Margot aconselha-a a fazer uma pausa com Malcolm, Pauline sai e conversa com Malcolm pelo telefone. Ele estando em miséria a impede de rejeitá-lo diretamente, embora não estando claro que ela vá abandoná-lo. Margot decide ficar com sua irmã, mesmo quando ela envia Claude de ônibus para Vermont. Quando o ônibus se afasta com Claude, Margot se arrepende abruptamente e corre atrás dele. Tomando um assento ao lado Claude, Margot recupera o fôlego.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Margot at the Wedding teve recepção geralmente favorável por parte da crítica especializada. Com base em 37 avaliações profissionais, alcançou uma pontuação de 66% no Metacritic.

Em avaliações favoráveis, do The Hollywood Reporter, Michael Rechtshaffen disse: "Noah Baumbach acompanhou seu aclamado avanço de 2005 "The Squid and the Whale", com outro ironicamente observado guia envolto de adulação ao vencedor inicialmente bem pensado."

Da Rolling Stone, Peter Travers: "Dissidentes que veem este filme como um chafurdo na auto-absorção não estão prestando atenção. Baumbach está perfeitamente sintonizado com os engraçados jogos mentais de pessoas inteligentes que apenas pensam que são impermeáveis ​​ao sentimento."

The A.V. Club, Scott Tobias: "Margot tem um realismo cozinhado na fossa que é verdadeiramente inquietante, como um filme de John Cassavetes preenchido por uma hiper-articulação. Se nada mais, Baumbach merece crédito por se recusar a agradar ao público."

Newsweek David, Ansen: "Margot at the Wedding, cruelmente engraçado nas ações das muitas virtudes de "Squid (and the Whale)" - é psicologicamente astuto, sociologicamente morto, refrescantemente não formulado - mas é um filme consideravelmente mais resistente, menos insinuante. Pessoas que insistem em afáveis protagonistas "simpáticas" podem achar que é uma pílula amarga para engolir."

Chicago Sun-Times, Roger Ebert: "Assim ele vai com a família neste filme. Todos os seus membros estão envolvidos em um processo mútuo de disparar uns aos outros para baixo. Assistir Margot at the Wedding é como suavizar um bloco sem fendas."

Portland Oregonian, Marc Mohan: "O efeito geral do filme é fazer você querer um estatuto de limitações sobre quanto tempo os adultos desajustados estão autorizados a culpar seus pais".[2]

Referências

  1. «Margot at the Wedding» (em inglês). www.boxofficemojo.com. Consultado em 22 de julho de 2016 
  2. «Margot at the Wedding» (em inglês). Metacritic. Consultado em 19 de abril de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]