Maria Amanda Paranaguá Dória

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Maria Amanda Paranaguá Dória
Nascimento 12 de junho de 1849
Salvador
Morte 15 de agosto de 1931 (82 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasileira
Progenitores Mãe: Maria Amanda Pinheiro de Vasconcelos
Pai: João Lustosa da Cunha Paranaguá

Maria Amanda Lustosa Paranaguá (Salvador, 12 de junho de 1849Rio de Janeiro, 15 de agosto de 1931).

Descendente da tradicional família Lustosa do Piauí pelo lado paterno: era filha de João Lustosa da Cunha Paranaguá (2º Marquês de Paranaguá), sobrinha dos barões de Paraim e Santa Filomena, e neta pelo lado materno de Joaquim José Pinheiro de Vasconcellos (Visconde de Monserrate). Em 1862 a princesa Isabel, enquanto cavava um canteiro, a atingiu com a pá. A pobre, mesmo tendo perdido a visão do olho direito, permaneceu como uma das poucas e fiéis amigas de Isabel Princesa Isabel, foi uma das grandes damas brasileiras.

Casou com Franklin Américo de Meneses Dória, barão de Loreto, tornando-se, por conseguinte, baronesa consorte de Loreto.

Foi uma dama e conselheira ao serviço efetivo de S.M. a Imperatriz, desde 1886. Acompanhou a família imperial ao exílio. Está sepultada no Cemitério São João Batista, na cidade do Rio de Janeiro.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.