Maria Ana Bobone

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Maria Ana Sarmento de Beires d'Orey Bobone (Porto, 5 de Dezembro de 1974) é uma fadista portuguesa.

Família[editar | editar código-fonte]

É filha de Filipe José de Albuquerque d'Orey Bobone (Lisboa, Santos-o-Velho, 30 de Maio de 1946 — 1 de Outubro de 2009), Engenheiro Eletrotécnico, e Maria Teresa de Meneses Fontes Sarmento de Beires (Porto, Santo Ildefonso). Casou com Frederico Mendes de Almeida Bobone (Lisboa, São Domingos de Benfica, 22 de Dezembro de 1972).[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Maria Ana Bobone estreou-se a cantar Fado os 16 anos, tendo concluído posteriormente os cursos de Piano e de Canto do Conservatório Nacional de Música de Lisboa.

O seu primeiro trabalho discográfico foi "Alma Nova", gravado com outros dois fadistas. Seguidamente, e já a solo, grava dois discos para a editora americana MA Recordings: Luz Destino e Senhora da Lapa, com cravo e saxofone, além da guitarra portuguesa. Grava depois "Nome de Mar", trabalho que lhe traz reconhecimento público e críticas favoráveis na comunicação social.

Maria Ana Bobone já foi acompanhada por guitarristas de renome como Ricardo Rocha e Pedro Caldeira Cabral e atua nas principais salas de espectáculos portuguesas e festivais. Internacionalmente, já atuou na Inglaterra, EUA, Brasil, Suécia, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Suiça, França, México, Itália, Marrocos, Malta e Holanda.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Alma Nova (1994); Luz Destino (1996) Senhora da Lapa (1998); Nome de Mar (2006); Fado & Piano (2012), Smooth (2014), Presente de Natal (2018), Hino do Pirilampo Mágico (sgl 2006).

Referências

  1. "Genealogia dos Condes de Bobone", Manuel de Lancastre de Araújo Bobone e Carlos Lourenço do Carmo da Câmara Bobone, Livraria Bizantina, 1.ª Edição, Lisboa, 1996
Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço relacionado ao Projeto Música. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.