Maria Ana Bobone

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2010). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde outubro de 2012).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.

Maria Ana Sarmento de Beires d'Orey Bobone (Porto, 5 de Dezembro de 1974) é uma fadista portuguesa.

Família[editar | editar código-fonte]

Filha de Filipe José de Albuquerque d'Orey Bobone (Lisboa, Santos-o-Velho, 30 de Maio de 1946 - 1 de Outubro de 2009), Engenheiro Eletrotécnico pelo Instituto Superior Técnico da Universidade Técnica de Lisboa, sobrinho paterno do 4.º Conde de Bobone, e de sua mulher (Guimarães, Oliveira do Castelo, Igreja de Nossa Senhora da Oliveira, 30 de Junho de 1973) Maria Teresa de Meneses Fontes Sarmento de Beires (Porto, Santo Ildefonso, 16 de Maio de 1947). Irmã de Rodrigo Sarmento de Beires d'Orey Bobone (Lisboa, 2 de Fevereiro de 1977), solteiro e sem geração.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Maria Ana Bobone é unânimemente reconhecida como uma das melhores vozes da sua geração. Canta, e canta de uma forma distinta: na tradição das grandes vozes.

Maria Ana Bobone estreou-se a cantar Fado os 16 anos, tendo concluído posteriormente os cursos de Piano e de Canto do Conservatório Nacional de Música de Lisboa.

O seu primeiro trabalho discográfico intitulado “Alma Nova”, gravado em parceria com outros dois fadistas, viria a ser o início de uma carreira brilhante. Seguidamente, e já a solo, grava dois discos para a editora americana MA Recordings: Luz Destino e Senhora da Lapa, ambos de um gosto musical exímio e onde acolhe magistralmente novos instrumentos (cravo e saxofone) para além da habitual presença da Guitarra Portuguesa. Grava depois “Nome de Mar”, trabalho que lhe traz o merecido reconhecimento público e onde recolhe excelentes críticas por parte dos mais relevantes “media”. Nele, Maria Ana canta grandes poetas em brilhantes fados originais, cruzando o alinhamento com alguns fados de sempre.

As qualidades e o enorme talento de Maria Ana Bobone levam-na a efectuar diversas participações noutros projectos musicais, envolvendo-se constantemente em parcerias de sucesso. São estas mesmas qualidades que a levam a reunir à sua volta prestigiados guitarristas como Ricardo Rocha e Pedro Caldeira Cabral, cada um deles contribuindo com o empenho, a exclusividade e a beleza das suas composições e que, na voz de Maria Ana Bobone, alcançam a sonoridade desejada. Actua sistematicamente nas principais salas de espectáculos portuguesas (Centro Cultural de Belém, Casa da Música, São Luiz, Culturgest, entre muitas outras) assim como é convidada regular em inúmeros festivais e salas relevantes pelo mundo fora, dignificando o nome do Fado e de Portugal. Do leque destes países destacam-se Inglaterra, EUA, Brasil, Suécia, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Suiça, França, México, Itália, Marrocos, Malta e Holanda.

Lança em Junho de 2012 o seu mais recente trabalho – Fado & Piano. Nele, em parceria com o produtor Rodrigo Serrao, explora e revela a completa dimensão de todo o seu talento: compõe, escreve, canta, faz arranjos e toca todos os temas ao piano que assume como instrumento de eleição no acompanhamento do Fado (tradição que remonta ao final do século XIX), inovando, sustentada num respeito e conhecimento profundo das tradições, acompanhada pela incontornável Guitarra Portuguesa e pelo Contrabaixo. Tudo isto torna Maria Ana Bobone, numa das mais importantes e distintas referências artísticas da actualidade.

www.mariaanabobone.com

Discografia[editar | editar código-fonte]

Alma Nova; Luz Destino; Senhora da Lapa; Nome de Mar; Fado & Piano, sendo este o mais recente disco www.kbranca.com

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou com seu primo em segundo grau Frederico Mendes de Almeida Bobone (Lisboa, São Domingos de Benfica, 22 de Dezembro de 1972), filho de Pedro Manuel Roma Bobone (Lisboa, São Sebastião da Pedreira, 22 de Abril de 1944), sobrinho paterno do 4.º Conde de Bobone, e de sua mulher (Lisboa, São Domingos de Benfica, 25 de Novembro de 1967) Maria Teresa de Carvalhosa Mendes de Almeida (Lisboa, São Domingos de Benfica, 19 de Junho de 1946), sobrinha paterna do 4.º Conde de Caria e irmã de Mafalda Mendes de Almeida, primo-irmão de Madalena Bobone, de quem tem um filho e duas filhas: Frederico de Beires Mendes de Almeida Bobone (26 de Junho de 2002), Leonor de Beires Mendes de Almeida Bobone (8 de Dezembro de 2006) e Maria Francisca de Beires Mendes de Almeida Bobone (Lisboa, 26 de Maio de 2010).[2]

Referências

  1. "Genealogia dos Condes de Bobone", Manuel de Lancastre de Araújo Bobone e Carlos Lourenço do Carmo da Câmara Bobone, Livraria Bizantina, 1.ª Edição, Lisboa, 1996
  2. "Genealogia dos Condes de Bobone", Manuel de Lancastre de Araújo Bobone e Carlos Lourenço do Carmo da Câmara Bobone, Livraria Bizantina, 1.ª Edição, Lisboa, 1996
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.