Maria Ana da Áustria (1738–1789)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Ana
Arquiduquesa da Áustria
Retrato por Martin Van Meytens, localizado no Palácio de Schönbrunn, em Viena.
 
Casa Habsburgo-Lorena
Nome completo
Maria Ana Antônia Joana Josefa
Nascimento 6 de outubro de 1738
Palácio Imperial de Hofburg, Viena, Áustria, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 18 de outubro de 1789 (51 anos)
Klagenfurt, Áustria, Sacro Império Romano-Germânico
Pai Francisco I do Sacro Império Romano-Germânico
Mãe Maria Teresa da Áustria


Maria Ana Antônia Joana Josefa de Habsburgo-Lorena (em alemão: Maria Anna Josepha Antonia von Habsburg-Lothringen) (Viena, 6 de outubro de 1738 - Klagenfurt, 19 de novembro de 1789) foi uma arquiduquesa da Áustria, segunda filha da imperatriz Maria Teresa e de Francisco I, Sacro Imperador Romano-Germânico.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Maria Ana da Áustria

Por Jean-Étienne Liotard, 1762

Maria Ana nasceu no Palácio Imperial de Hofburg em Viena, no centro do poderio da Monarquia de Habsburgo. Foi a herdeira presuntiva das terras hereditárias dos Habsburgo entre 1740 e 1741 até o nascimento de seu irmão José, mais tarde José II, Imperador do Sacro Império Romano-Germânico.

Maria Ana era altamente inteligente, mas portadora de deficiência física. Ela sofria de má saúde, agravada pelos quartos airosos e frios do Palácio Imperial de Hofburg. Em 1757 ela contraiu pneumonia e quase morreu, tendo recebido a extrema unção. Embora tenha sobrevivido, sua capacidade de respiração foi danificada permanentemente, ela desenvolveu uma fusão de sua coluna vertebral que causou a ela uma protuberância nas costas.

Apesar de seus talentos e inteligência, Maria Ana era detestada pela alta sociedade, seus interesses científicos foram considerados inapropriados para seu gênero. Desde então, ela começou uma estreita relação com seu pai, e supostamente se tornou sua filha favorita. Ela compartilhou seu interesse em ciência e conduziu experimentos em química e física. Maria Ana muitas vezes desempenhava papéis importantes nos principais eventos de estado, inclusive atuando como madrinha no batismo de sua irmã, a futura rainha da França Maria Antonieta.

Vida eclesiástica[editar | editar código-fonte]

O Palácio de Klagenfurt, onde Maria Ana viveu a maior parte de sua vida após o fim da construção do mesmo edifício em 1771.

Perto de sua irmã mais nova Maria Isabel, viveram juntas nos mesmos conventos até suas mortes. Maria Ana foi abadessa superiora em Praga e mais tarde em Klagenfurt.

Enquanto estava viajando a caminho de Versalhes, em 1770, Maria Antonieta ficou em Klagenfurt por uma noite.

A morte da Imperatriz[editar | editar código-fonte]

Apos a morte Imperatriz Maria Teresa em 1780, Maria Ana mudou-se definitivamente para Klagenfurt. Ela rapidamente desenvolveu uma amizade profunda com Xavéria Gasser, abadessa do convento. Graças ao generoso apoio financeiro da arquiduquesa o hospital do mosteiro pode ser reformado, tendo seu próprio médico pessoal supervisionando os pacientes do hospital.

Morte[editar | editar código-fonte]

Desde o inverno de 1788 a saúde de Maria Ana deteriorou ainda mais. Sua falta de ar piorou e ela teve de ser colocada em uma cadeira de rodas. Maria Ana morreu no dia 18 de outubro de 1789.

Suas últimas palavras foram:

"É provavelmente um bom país, eu tive que nunca amoroso. Há boas pessoas com quem eu vivia feliz e eu quase não pude sair."'

Nota[editar | editar código-fonte]