Maria Ana de Áustria, Rainha de Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Maria Ana
Retrato por Jean Ranc (1729)
Rainha Consorte de Portugal e Algarves
Reinado 27 de outubro de 1708
a 31 de julho de 1750
Predecessora Maria Sofia de Neuburgo
Sucessora Mariana Vitória da Espanha
 
Nascimento 7 de setembro de 1683
  Linz, Áustria, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 14 de agosto de 1754 (70 anos)
  Paço da Ribeira, Lisboa, Portugal
Sepultado em Panteão da Dinastia de Bragança, Igreja de São Vicente de Fora, Lisboa, Portugal
Nome completo  
Maria Ana Josefa Antônia Regina
Marido João V de Portugal
Descendência Maria Bárbara de Portugal
Pedro, Príncipe do Brasil
José I de Portugal
Carlos de Portugal
Pedro III de Portugal
Alexandre de Portugal
Casa Habsburgo (por nascimento)
Bragança (por casamento)
Pai Leopoldo I do Sacro Império Romano-Germânico
Mãe Leonor Madalena de Neuburgo
Religião Catolicismo
Assinatura Assinatura de Maria Ana

Maria Ana Josefa Antônia Regina de Habsburgo (Linz, 7 de setembro de 1683 – Lisboa, 14 de agosto de 1754) foi esposa do rei D. João V de Portugal e Rainha Consorte de Portugal de 1708 até 1750, além de Regente em duas ocasiões, a 1716 e 1742, durante inviabilidades do marido. Nascida uma arquiduquesa da Áustria, era filha do imperador Leopoldo I do Sacro Império Romano-Germânico e de sua terceira mulher, Leonor Madalena de Neuburgo.

A cidade de Mariana, Minas Gerais, no Brasil, foi nomeada a partir de D. Maria Ana.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida em Linz, como uma arquiduquesa da Áustria, Maria Ana era filha do imperador Leopoldo I do Sacro Império Romano-Germânico e de sua terceira mulher, Leonor Madalena de Neuburgo.[2]

A 27 de outubro de 1708, Maria Ana casou-se com o rei D. João V de Portugal afim de selar uma aliança entre Áustria e Portugal contra a França e Espanha durante a Guerra da Sucessão Espanhola. O embaixador encarregado de pedir a arquiduquesa, em casamento, foi o Conde de Vilar Maior, Fernando Teles da Silva, que se apresentou em Viena, na Áustria, numa embaixada riquíssima e sumptuosa, como nunca se havia visto naquela corte. A dia 9 de julho de 1708 celebrou-se o casamento na Catedral de Santo Estêvão, sendo procurador do rei D. João V o imperador José I, irmão da noiva, e o celebrante o Cardeal da Saxônia, a quem o embaixador presenteou com um dos seus coches puxado a seis cavalos. A nova rainha veio numa esquadra de onze naus para Lisboa, onde chegou a 26 de outubro, foi recebida com festas brilhantíssimas.[3]

Dona Maria Ana foi uma rainha que empreendeu reformas na corte lusa e seus costumes.[4] Classista, uma das grandes influenças empreendidas sob a corte lusa por parte de D. Maria Ana foi a segregação entre homens e mulheres, bem com entre servos e senhores. Como D. João V, a rainha também tinha um exuberante gosto, especialmente por festas; D. Maria Ana tendia a convidar toda a nobreza portuguesa para magníficos festivais, que duravam dias.[5]

Descrita como muito devota, bonita e culta, foi regente de Portugal em duas ocasiões, a 1716, quando o rei realizou uma viagem para Alentejo, e a 1742, quando o rei adoeceu gravemente.[2]

Dona Maria Ana faleceu no Palácio de Belém a 14 de agosto de 1754.[6] Após sua morte, seu corpo foi sepultado no Panteão da Dinastia de Bragança, na Igreja de São Vicente de Fora, enquanto que seu coração foi levado à Áustria e sepultada na Cripta Imperial de Viena.

Descendência[editar | editar código-fonte]

D. Maria Ana teve seis filhos do seu casamento com D. João V, dos quais três se sentaram nos tronos de Portugal e Espanha:[2]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Conheça um pouco da História de Mariana: A primeira cidade de Minas. Prefeitura Municipal de Mariana. Consultado em 30 de julho de 2022.
  2. a b c «Maria Ana de Áustria (D.).». Portugal - Dicionário Histórico, Corográfico, Heráldico, Biográfico, Bibliográfico, Numismático e Artístico IV. p. 833. Consultado em 5 de novembro de 2013.
  3. (V. Portugal, vol. III, pag. 1048 a seguintes, artigo dedicado a D. João V; e Ano Histórico do padre Francisco de Santa Maria, vol. II pag. 334 e seguintes).
  4. Nizza da Silva, Maria Beatriz (2009). Reis de Portugal: D. João V. Lisboa: Temas & Debates, p. 33.
  5. Nizza da Silva, Maria Beatriz (2009). Reis de Portugal: D. João V. Lisboa: Temas & Debates, p. 34.
  6. Vale, Teresa; Gomes, Carlos (1994). SIPA (ed.). "Palácio Nacional de Belém". Lisboa, Portugal: SIPA – Sistema de Informação para o Património Arquitectónico. Arquivado em 28 de setembro de 2011. Consultado em 18 de julho de 2011.
  7. http://imperiobrasileiro-rs.blogspot.com/2015/11/chefa-da-casa-real-portuguesa-esta.html
  8. Genealogie ascendante jusqu'au quatrieme degre inclusivement de tous les Rois et Princes de maisons souveraines de l'Europe actuellement vivans (em francês). Bourdeaux: Frederic Guillaume Birnstiel. 1768. p. 100.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Nizza da Silva, Maria Beatriz (2009). Reis de Portugal: D. João V. Lisboa: Temas & Debates.


Precedido por
Maria Sofia de Neuburgo
Flag of Portugal (1667).svg
Rainha de Portugal

17081750
Sucedido por
Mariana Vitória de Espanha
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Maria Ana de Áustria, Rainha de Portugal
Ícone de esboço Este artigo sobre Rainhas de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.