Maria Aurora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Aurora Carvalho Homem
Nascimento 13 de novembro de 1937
Sátão, Portugal
Morte 11 de junho de 2010 (72 anos)
Funchal, Portugal
Nacionalidade Portuguesa
Ocupação Jornalista, escritora, poetisa

Aurora Augusta Figueiredo de Carvalho Homem[1] ComIH (Sátão, 13 de novembro de 1937 - Funchal, 11 de junho de 2010), conhecida pelo pseudónimo literário Maria Aurora, foi uma jornalista, poetisa e escritora portuguesa, uma das mais populares figuras da cultura da Madeira.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Maria Aurora nasceu em 1937 em Sátão, distrito de Viseu, filha de um autarca e de uma professora primária e neta de um médico de uma família tradicional da Beira Alta[1]; radicou-se na Madeira em 1974.[3]

Licenciada em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, foi professora do Ensino Secundário, fez rádio e televisão (apresentadora de Atlântida na RTP Madeira). Foi, também, jornalista (A Capital e Diário de Lisboa), animadora cultural e coordenadora da revista Margem, editada pela Câmara Municipal do Funchal, a cujo departamento cultural pertenceu e através do qual dinamizou a Feira do Livro.

Tem diversas obras publicadas na área da poesia e conto infantil, tendo recebido a Medalha da Cidade do Funchal.

A 10 de Junho de 2007, foi feita Comendadora da Ordem do Infante D. Henrique.[4]

No mesmo ano inicia a série documental “Ilha dos Amores”, revisitando uma série de grandes grandes histórias de amor ligadas à Madeira. Entre 2007 e 2008 apresenta o programa mensal de auditório “Funchal, 500 anos – teu nome sabe-me a Funcho”, com o objectivo de revelar a identidade das dez freguesias do concelho do Funchal.[5]

Entre as décadas 1980 e 1990 diversifica as suas atividades:através do exercício de cidadania, promoção cultural e escrita literária.[5]

Faleceu aos 72 anos, vítima de doença prolongada.[6]

Obra[editar | editar código-fonte]

Poesia
  • Raízes do silêncio, Funchal, 1982
  • Ilha a duas vozes, Funchal, 1988, com João Carlos Abreu.
  • Cintilações, Funchal, 1994, com João Lemos Gomes
  • Uma voz de muda espera: monografia sentimental, S. Pedro do Sul, 1995
  • 12 textos de desejo, Funchal, 2003
  • Antes que a noite caia, Vila Nova de Gaia, 2005
  • Discurso amoroso, Porto, 2006
Ficção
  • A Santa do Calhau: contos, Lisboa, 1992
  • Para ouvir Albinoni, Ponta Delgada, 1995
  • Leila: contos, Vila Nova de Gaia, 2005
Crónica
  • Discurs(ilha)ndo: crónicas, Funchal, 1999
Infantil
  • Vamos cantar histórias, Funchal, 1989
  • Juju a tartaruga, Lisboa, 1991
  • Maria e a estrela do mar, Vila Nova de Gaia, 2007
  • A fada Ofélia e o Véu da Noiva, Vila Nova de Gaia, 2008
  • A cidade do Funcho: a primeira viagem de João Gonçalves da Câmara, Vila Nova de Gaia, 2008.
  • Uma escadinha para o Menino Jesus, Vila Nova de Gaia, 2008.
  • Pedro pesquito e a Câmara dos Lobos, Vila Nova de Gaia, 2009.
  • O anjo Tobias e a rochinha de Natal, Vila Nova de Gaia, 2009.
  • A fada Íris e a floresta mágica, Vila Nova de Gaia, 2009.
  • Marta, Xispas e a gruta misteriosa, Vila Nova de Gaia, 2010.

Referências

  1. a b Entrevista com Lília Bernardes, Conversas Soltas, RTP-Madeira - Repetido a 19 de Agosto de 2010, 21.30.
  2. «Madeira perde uma grande dinamizadora cultural» (em português). Diário de Notícias da Madeira. Consultado em 10 de junho de 2010 
  3. «Casino da Madeira: Homenagear Maria Aurora» (em português). Casino da Madeira. Consultado em 10 de junho de 2010 
  4. «Condecorações atribuídas pelo Presidente da República na Sessão Solene comemorativa do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, em Setúbal». Presidência da República Portuguesa. Consultado em 7 de junho de 2015 
  5. a b «homem, maria aurora carvalho - Aprender Madeira». Aprender Madeira. 27 de abril de 2015 
  6. «Faleceu a jornalista e escritora Maria Aurora» (em português). Jornal da Madeira. Consultado em 10 de junho de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]