Maria Carolina das Duas Sicílias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Maria Carolina
Condessa de Montemolin
Cônjuge Carlos Luís de Bourbon e Bragança
Casa Bourbon-Duas Sicílias
Nome completo
Maria Carolina Ferdinanda
Nascimento 29 de novembro de 1820
  Palácio Real de Caserta, Caserta, Reino das Duas Sicílias
Morte 14 de janeiro de 1861 (40 anos)
  Trieste, Império Austríaco
Enterro Catedral de São Justo, Trieste
Pai Francisco I das Duas Sicílias
Mãe Maria Isabel de Espanha

Maria Carolina Fernanda (em italiano: Maria Carolina Ferdinanda) (Caserta, 29 de novembro de 1820 - Trieste, 14 de janeiro de 1861) foi uma princesa das Duas Sicílias e infanta de Espanha e condessa de Montemolin por seu casamento com Carlos Luís de Bourbon e Bragança, pretendente carlista ao trono espanhol.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Maria Carolina era a nona filha (quinta varoa) de Francisco, duque da Calábria (depois Francisco I das Duas Sicílias) e sua segunda esposa, a infanta Maria Isabel de Espanha.[1][2]

Casou-se no Palácio Real de Caserta, em 10 de julho de 1850, com o infante Carlos Luís de Espanha,[3][4] filho de Carlos, conde de Molina, pretendente carlista ao trono espanhol, e de sua segunda esposa, a infanta Maria Teresa de Portugal, princesa da Beira entre 1793 e 1795. O casal vivia em Trieste, onde o conde de Molina havia se instalado quando seguiu para o exílio.[5]

Em janeiro de 1861, Maria Carolina, seu marido e o cunhado, o infante Fernando, visitavam a duquesa de Berry (irmã mais velha da princesa) em seu castelo de Brunnensee, na Estíria. Subitamente, Fernando começou a sentir-se mal e morreu poucas horas depois. Assustados, os condes de Montemolin retornaram imediatamente a Trieste, levando o corpo do infante morto.[5] Pouco tempo após sua chegada, Maria Carolina e Carlos Luís passaram a apresentar os mesmos sintomas que Fernando havia sentido na Estíria. A condessa de Montemolin morreu em 14 de janeiro de 1861, poucas horas após a morte de seu marido. Mesmo após os exames post mortem, os médicos não chegaram a um consenso sobre o que teria causado a morte dos três príncipes, sendo que as opiniões se dividiam entre sarampo, escarlatina e tifo.[5] A falta de informações precisas sobre a causa mortis, gerou uma onda de boatos sobre um possível envenenamento sofrido durante o aprisionamento de Carlos e Fernando, após a intentona carlista de San Carlos de la Rápita. Embora essa teoria tenha sido refutada por Manuel de Echarry, mordomo do conde, que declarou ter provado tudo o que foi consumido pelo príncipe no cárcere, a hipótese do envenenamento perdurou entre a população de Trieste.[5]

Maria Carolina foi enterrada ao lado do marido, na Capela de São Carlos Borromeu, na Catedral de Trieste.

Títulos, estilos, honrarias e armas[editar | editar código-fonte]

Estilos[editar | editar código-fonte]

  • 29 de novembro de 1820 – 10 de julho de 1850: Sua Alteza Real Princesa Maria Carolina de Bourbon-Duas Sicílias
  • 10 de julho de 1850 – 14 de janeiro de 1861: Sua Alteza Real a Condessa de Montemolin, Infanta de Espanha, Princesa de Bourbon-Duas Sicílias

Honrarias[editar | editar código-fonte]

Sacro Militare Ordine Costantiniano di San Giorgio.png Dama Grã-cruz de Justiça da Sagrada Ordem Militar Constantiniana de São Jorge[6]

Order of Queen Maria Luisa (Spain) - ribbon bar.png Dama da Ordem das Damas Nobres de Espanha

Ordre de la Croix étoilée autro-hongrois.jpg Dama da Ordem da Cruz Estrelada[6]

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. De Majo, Silvio (1997). «Francesco I di Borbone, re delle Due Sicilie». Dizionario Biografico degli Italiani - Volume 49. Consultado em 4 de Janeiro de 2015. 
  2. Lundy, Darryl. «Maria Carolina di Borbone, Principessa di Borbone delle Due Sicilie». The Peerage. Consultado em 4 de Janeiro de 2015. 
  3. Cavagna Sangiuliani di Gualdana, Antonio, conte (1858). Almanacco di Corte per l'anno 1858. Parma: Tipografia Reale. 9 páginas 
  4. Theroff, Paul. «Two Sicilies». Paul Theroff's Royal Genealogy Site. Consultado em 4 de Janeiro de 2015. 
  5. a b c d Ayuso, Miguel; Di Giovine, Francesco Maurizio (2009). «La presenza Carlista a Trieste» (PDF). TIGOR: Rivista di Scienze della Comunicazione (2): 191-198. Consultado em 4 de janeiro de 2015.  Verifique data em: |ano= / |data= mismatch (ajuda)
  6. a b «I Borbone delle Due Sicilie». Libro d'Oro della Nobilità Mediterranea. Consultado em 4 de Janeiro de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Maria Carolina das Duas Sicílias