Maria Francisca de Orléans e Bragança

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dona Francisca
Princesa de Orléans e Bragança
 
Cônjuge Duarte Nuno de Bragança
Descendência Duarte Pio
Miguel Rafael
Henrique Nuno
Casa Orleães e Bragança
Nome completo
Maria Francisca Amélia Luísa Vitória Teresa Isabel Miguela Gabriela Rafaela Gonzaga de Orléans e Bragança e Dobrzensky de Dobrzenicz
Nascimento 8 de setembro de 1914
Eu, França
Morte 15 de janeiro de 1968 (53 anos)
Lisboa, Portugal
Sepultamento Convento das Chagas de Cristo, Vila Viçosa, Portugal
Pai Pedro de Alcântara de Orléans e Bragança
Mãe Elisabeth Dobrzensky de Dobrzenicz

Maria Francisca Amélia Luísa Vitória Teresa Isabel Miguela Gabriela Rafaela Gonzaga de Orléans e Bragança e Dobrzensky de Dobrzenicz (Eu, 8 de setembro de 1914Lisboa, 15 de janeiro de 1968), tendo sido bisneta de D. Pedro II, último imperador do Brasil, e neta da última princesa imperial do Brasil, D. Isabel de Bragança e do príncipe imperial consorte, Gastão de Orléans, Conde d'Eu.

Nasceu no Castelo d'Eu, em França, sendo filha de Pedro de Alcântara de Orléans e Bragança, príncipe do Grão-Pará e pretenso príncipe imperial do Brasil, que renunciou aos seus direitos dinásticos para se casar com Elisabeth Dobrzensky de Dobrzenicz, filha de Jan Vaclav II, Conde de Dobrzensky. Maria Francisca foi sepultada no Convento das Chagas de Cristo, em Vila Viçosa, panteão dedicado às duquesas de Bragança.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Casou-se no civil, no Rio de Janeiro, aos 13 de outubro de 1942, e no religioso, aos 15 de outubro, na Catedral de Petrópolis, em com um descendente do ramo miguelista Duarte Nuno de Bragança, pretendente ao título de Duque de Bragança e à chefia da casa real portuguesa.

A união do então chefe da Casa Real Portuguesa, neto do rei D. Miguel, à princesa da Casa Imperial Brasileira, trineta do imperador D. Pedro I do Brasil e D. Pedro IV de Portugal, representa a união de dois ramos da mesma família, separados há mais de um século, após uma cisão separatista entre absolutistas e liberais e uma terrível e sangrenta guerra civil, também conhecida na história como guerra liberal.

Posteridade[editar | editar código-fonte]

De seu casamento com o pretendente Duarte Nuno de Bragança:

  1. Duarte Pio de Bragança (Berna, 15 de maio de 1945) — casou-se em 13 de maio de 1995 com Isabel Curvelo de Herédia (1966). Com descendência. Reivindica ser a titularidade do Ducado de Bragança.
  2. Miguel Rafael de Bragança (Berna, 3 de dezembro de 1946) — reivindica a titularidade do Ducado de Viseu.
  3. Henrique Nuno de Bragança (Berna, 6 de novembro de 1949) — reivindica a titularidade do Ducado de Coimbra.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.