Maria Helena da Cruz Coelho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Maria Helena da Cruz Coelho
Nascimento 15 de maio de 1948 (71 anos)
Cidadania Portugal
Ocupação historiadora
Empregador Universidade de Coimbra

Maria Helena da Cruz Coelho GOIH[1] (Porto, 15 de maio de 1948) é uma historiadora medievalista portuguesa, Professora Catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, diretora do Instituto de Paleografia e Diplomática da mesma Universidade.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciada (1971) e doutora (1983) em História pela Universidade de Coimbra. Atualmente é académica correspondente da Academia das Ciências de Lisboa e da Real Academia de la Historia, académica de número da Academia Portuguesa da História, Presidente do Conselho Directivo da Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais, desde 2003 e Directora da Revista Portuguesa de História.[2].

A sua investigação, divulgada em mais de trezentas e cinquenta reuniões científicas no país e no estrangeiro, e em mais de duzentos artigos e obras, incide sobre as mais diversas temáticas do período medieval, com destaque para a história religiosa, institucional, económico-social, o mundo rural e o poder local, a paleografia e diplomática. Recebeu o Prémio Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian, sete prémios da Academia Portuguesa da História e a medalha de mérito, Grau Ouro, da Câmara Municipal de Arouca, a 21 de abril de 1992.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • O Poder Concelhio das Origens às Cortes Constituintes, Coimbra, CEFA, 1986 (co-autoria).
  • Seia. Uma terra de fronteira nos séculos XII-XIII, Seia,Câmara Municipal, 1986.
  • Arouca — uma terra, um mosteiro, uma santa, Arouca,Câmara Municipal, 1989.
  • De Coimbra a Roma. Uma viagem em meados de Quinhentos, Coimbra, Coimbra Editora, 1990 (co-autoria).
  • Homens, Espaços e Poderes, 2 vols.,vol. I, Notas do Viver Social, vol. III, Domínio Senhorial, Lisboa, Livros Horizonte, 1990.
  • História Medieval de Portugal. Guia de Estudo, Porto, 1991.
  • A Feira de Coimbra no contexto das Feiras Medievais Portuguesas, Coimbra, 1993.
  • Cartas de Feira de Bragança (sécs. XIII-XV), Bragança, 1993 (co-autoria).
  • Festa e Sociabilidade na Idade Média, Coimbra, 1994.
  • Superstição, Fé e Milagres na Idade Média, Coimbra, 1995.
  • Repertório Bibliográfico da Historiografia Portuguesa, Coimbra, 1995 (supervisão científica em co-autoria).
  • Ócio e Negócio, Coimbra, 1998.
  • Sant´Antonio da Lisbona in Santa Croce di Coimbra, Padova, 1998.
  • Forais e Foros da Guarda, Guarda, 2000 (co-autoria).
  • Forais de Montemor-o-Velho, Montemor-o-Velho, 2002.
  • Arouca - uma terra, um mosteiro, uma santa, 2ª ed. revista e melhorada, Arouca, Real Irmanadade da Rainha Santa Mafalda, 2005.
  • D. João I, Lisboa, Círculo de Leitores, 2005.
  • Um cruzamento de fronteiras. O discurso dos concelhos da Guarda em Cortes, Porto, 2006 (co-autoria).
  • Foral de D. Manuel I a Santarém, Santarém, Câmara Municipal, 2007, pp. 317.
  • D. João I, o que re-colheu Boa Memória, Lisboa, Temas e Debates, 2008, 448 pp.
  • O Poder Concelhio das Origens às Cortes Constituintes. Notas de História Social, 2ª ed. revista, Coimbra, Centro de Estudos e Formação Autárquica, 2008, 226 páginas (em co-autoria).
  • D. João I, O de Boa Memória, Lisboa, QuidNovi, 2009, 95 pp.
  • Montemor-o-velho a caminho da Corte e das Cortes, Montemor-o-Velho, Câmara Municipal, 2010, 237 pp.
  • O Foral Manuelino de Jarmelo, Jarmelo, IMC.IP/Museu da Guarda- Associação Cultural e Desportiva do Jarmelo, 2010, 103 páginas (em co-autoria).
  • Memórias Municipais. Os Forais de Vila de Rei, Vila de Rei, Câmara Municipal-Roma Editora, 2010, 79 páginas.
  • D. Filipa de Lencastre. A Inglesa Rainha. 1360-1415, Vila do Conde, QuidNovi-Academia Portuguesa da História, 2011, 94 páginas.
  • D. Leonor de Portugal. A Imperatriz. 1434-1467, Vila do Conde, QuidNovi-Academia Portuguesa da História, 2011, 94 páginas.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas