Maria João Cantinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria João Cantinho
Nome completo Maria João de Oliveira Sequeira Cantinho
Nascimento 1963
Lisboa, Portugal
Nacionalidade portuguesa
Ocupação Poeta, ensaísta, professora
Principais trabalhos O Anjo Melancólico, Caligrafia da Solidão, Sílabas de Água, O Traço do Anjo
Prémios Prémio literário Glória de Sant'Anna (2017)

Maria João de Oliveira Sequeira Cantinho (Lisboa, 1963), é uma autora portuguesa. É poeta, crítica literária e ensaísta. Defendeu tese de doutoramento em Filosofia Contemporânea na Universidade Nova de Lisboa. É investigadora do Centro de Filosofia[1] da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e colaboradora do Collège d'Études Juives[2] da Universidade da Sorbonne. É professora do Ensino Secundário e foi professora do IADE (Creative University of Lisbon) entre 2011 e 2016. É colaboradora na Revista Colóquio-Letras[3] e em diversas revistas literárias e académicas e membro do Conselho Editorial do Caderno do Grupo de Estudos Walter Benjamin GEWEBE.

Foi Professora Visitante no Brasil em 2013 (Brasília, Goiânia e Rio de janeiro), tendo apresentado diversas conferências internacionalmente (Brasil, França, Inglaterra, Alemanha, Índia, Espanha, etc), assim como tem publicado vários ensaios em livros colectivos e em revistas internacionais de literatura e de filosofia. Tem igualmente organizado vários congressos, consagrados ao pensamento de Walter Benjamin (2008), Levinas (2009), Paul Celan (2012).

Recebeu o Prémio de Apoio à Edição de Ensaio 2002 da Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas, dependente do Ministério da Cultura pela sua tese de mestrado: O Anjo Melancólico: Ensaio sobre o Conceito de Alegoria na obra de Walter Benjamin[4]. É actualmente membro da Direcção[5] do PEN Clube Português, sócia da APE (Associação Portuguesa de Escritores) desde 2014 e da APCL (Associação Portuguesa de Críticos Literários).

Desde 2011 que integra Júris literários, nomeadamente dos Prémios de Poesia, de Ficção e de Ensaio do Pen Clube Português, do Prémio Jacinto Prado Coelho da APCL, do Prémio Biografia, da APE e do Grande Prémio da Narrativa da APE. Foi Júri, também do Prémio Oceanos, em 2017.

Colaborou em diversas publicações e revistas literárias, em Portugal e no Brasil. Coordenou antologias de Poesia para revistas como Lichtungen (Áustria) e Blanco Móvil (México). Foi directora da Revista Café com Letras e é actualmente editora da Revista Caliban.Foi agraciada com o Prémio literário Glória de Sant'Anna (2017) e nomeada como finalista do Prémio Telecom em 2006, pela sua obra Caligafia da Solidão (Editora Escrituras, 2005) e nomeada como finalista do Prémio PEN na Modalidade de Poesia, pela sua obra Do Ínfimo (Editora Coisas de Ler, 2016), em 2017.

É curadora da Colecção Trás-os-Mares, que edita autores portugueses no Brasil, através da Editora Circuito, com o escritor e editor Renato Rezende.

Representou Portugal em vários Festivais de Poesia e de Literatura, como Lodève (Voix Vives du Mediterranée, 2005), Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, 2009), Sète (Voix Vives du Mediterranée, 2011)[6], Sidi Bou-Said (Voix Vives du Mediterranée, 2014)[7], Festival International de Poésie de Marrakech, 2015[8], Festival de poesia de Sète (Voix Vives du Mediterranée) em 2017. Esteve como convidada na Universidade de Poitiers, a convite do Instituto Camões, na Universidade de Hamburgo, também a convite do instituto Camões.

Obra[editar | editar código-fonte]

Ensaio[editar | editar código-fonte]

  • O Anjo Melancólico: Conceito de Alegoria na Obra de Walter Benjamin[9], Lisboa, Angelus Novus, 2002.
  • Reflexões Em torno de Maria Zambrano[10], Lisboa, Câmara de Lisboa, 2007. (Co-editado por Maria João Cantinho, Maria João Cabrita e Isabel Lousada).
  • Reconhecimento e Hospitalidade, Lisboa, Edições 70, 2011 (co-editado por Maria João Cantinho, Maria Lucília Marcos, Paulo Barcelos).
  • Paul Celan: Da Ética do Silêncio à Poética do Encontro, Lisboa, Edições Centro de Filosofia, 2015 (co-editado por Cristina Beckert, Maria João Cantinho, Carlos João Correia e Ricardo Gil Soeiro).
  • Sousa Dias, Pré-Apocalypse Now: Diálogo com Maria João Cantinho sobre Política, Estética e Filosofia, Editora Documenta, Lisboa, 2016.

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Abrirás a Noite com um Sulco,[11] Lisboa, Editora Hugins, 2001 (Menção honrosa do Prémio da Associação Fernando Pessoa, 2001)
  • Sílabas de Água,[11] Lisboa, editora Ver o Verso, 2005 (com a artista plástica Ana Calhau).
  • O Traço do Anjo, Porto, Editora Edium, 2011.
  • Do Ínfimo, Ed. Coisas de Ler, Lisboa, 2016. (recentemente galardoado com o Prémio Glória de Sant'Anna).

Antologias de Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Cintilações da Sombra II, Lisboa, Labirinto Editora, 2013 (Editada por Victor Oliveira Mateus).
  • La Alquimia del Fuego, Madrid, 2014.
  • 70 Poemas para Adorno, Nova Delphi, Lisboa, 2015.
  • La Otra, 2017.

Ficção[editar | editar código-fonte]

  • A Garça, Leiria, edições Diferença, 2001.[11]
  • Caligrafia da Solidão, S.Paulo, Editora Escrituras, 2006. (Nomeada como finalista ao Prémio Telecom).
  • Cantos de Solidão, Porto, Editora Ver o Verso, 2006.

Literatura Infantil[editar | editar código-fonte]

  • A História do Palhaço Bonifácio, Porto, Editora Ver o Verso, 2006.
  • Os Sete Irmãos, Porto, Editora Ver o Verso, 2008.

Referências citadas

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • -Página de Maria João Cantinho do Centro de Filosofia
  • -Página do Collège d'Études Juives.
  • -CV de Maria joão Cantinho.
  • -Textos de Maria João Cantinho.
  • -Espaço online da escritora MJC no site DAS LETRAS
  • -Centro de Documentação de Autores Portugueses - DGLB
  • -Página do Pen Clube Português.
  • Escritores Online
  • -Referências da Revista Colóquio-Letras.