Maria José da Bélgica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Maria José
Rainha Consorte da Itália
Reinado 9 de maio de 1946
a 12 de junho de 1946
Antecessor(a) Helena de Montenegro
Sucessor(a) Monarquia Abolida
Princesa Herdeira Consorte da Itália
Reinado 8 de janeiro de 1930
a 9 de maio de 1946
Predecessor Helena de Montenegro
Pretendente Consorte ao Trono da Itália
Reinado 12 de junho de 1946
a 18 de março de 1983
Predecessor Ela mesma (Rainha Consorte da Itália)
Sucessor Marina Ricolfi Doria
 
Nascimento 4 de agosto de 1906
  Oostende, Bélgica
Morte 27 de janeiro de 2001 (94 anos)
  Thônex, Suíça
Sepultado em Abadia de Hautecombe, Saint-Pierre-de-Curtille
Nome completo  
Maria José Carlota Sofia Amélia Henriqueta Gabriela
Marido Humberto II da Itália
Descendência Maria Pia de Saboia
Vítor Emanuel, Príncipe de Nápoles
Maria Gabriela de Saboia
Maria Beatriz de Saboia
Casa Saxe-Coburgo-Gota (nascimento)
Saboia (casamento)
Pai Alberto I da Bélgica
Mãe Isabel da Baviera
Brasão

Maria José da Bélgica (Oostende, 4 de agosto de 1906Thônex, 27 de janeiro de 2001), apelidada de "a Rainha de Maio", foi a última rainha-consorte da Itália entre maio e junho de 1946. Era filha do rei Alberto I da Bélgica e sua esposa Isabel da Baviera.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Maria José em 1920

Nascida em Oostende, Bélgica em 4 de agosto de 1906, filha dos reis Alberto I da Bélgica e Isabel da Baviera, Maria José cresceu em uma das mais liberais da Europa, frequentada por intelectuais e cientistas como Albert Einstein, recebeu uma educação que desenvolveu seu espírito crítico, entregando-se à paixão pela leitura, pela música (estudou piano e violino) e pela prática esportiva, em especial montanhismo.[1]

Em 1914, ano em que a Bélgica foi ocupada pelos alemães, Maria José foi enviada para estudar na Inglaterra, onde permaneceu até março de 1917, quando se mudou para a Itália, como hóspede do Colégio da Ss. Annunziata di Poggio Imperiale, perto de Florença, até junho de 1919.[1]

Em 1918, em Battaglia, perto de Pádua, durante uma visita da família real belga ao front italiano, Maria José, de doze anos, conheceu Humberto de Saboia, herdeiro do trono italiano, então com quatorze anos, pela primeira vez. O casamento entre os dois havia sido decidido pelas duas casas governantes para fortalecer suas relações e a própria Maria José afirmou ter crescido com a ideia de que um dia se casaria com o príncipe italiano.[1]

Em 1924, participou de seu primeiro baile. Para a ocasião ela usou uma tiara de pérolas e diamantes que tinha pertencido a Estefânia de Beauharnais.[2]

O noivado foi anunciado em 7 de setembro de 1929, ano em que as condições políticas italianas mudaram profundamente e muitos belgas não esconderam sua oposição ao casamento entre a princesa belga o herdeiro do trono de um país fascista.[1] Um ato sensacional ocorrido por ocasião do anúncio do noivado, em Bruxelas, em 24 de outubro, também contribuiu para chamar a atenção para a situação italiana, quando um jovem antifascista, F. De Rosa, tentou, sem sucesso, tirar a vida do príncipe Humberto.[1]

Maria José como princesa herdeira da Itália, c. 1930

Em 8 de janeiro de 1930, casou-se com o príncipe Humberto da Itália, herdeiro ao trono italiano, na capela do Palácio do Quirinal, em Roma.

Casamento e vida na Itália[editar | editar código-fonte]

Em 8 de janeiro de 1930, casou-se com o príncipe Humberto da Itália, herdeiro ao trono italiano, na capela do Palácio do Quirinal, em Roma. Recebeu então do papa Pio XI a insígnia de dama de 1.ª classe da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém.[3] . Eles tiveram quatro filhos:

O casamento foi infeliz, o casal vivia separado e se reunia apenas em aparições públicas e eventos oficiais.[4] Era dito que seu marido Humberto era homossexual[5] e tinha inúmeros casos amorosos com diversos homens, incluindo o diretor Luchino Visconti o ator Jean Marais.[6]

Já em 2011 foi revelada uma carta de Romano Mussolini, filho de Benito Mussolini, em que este afirma ter havido um "breve período de íntimas relações românticas" entre o "pai e a então princesa do Piemonte".[7]

Culta e educada nos valores liberais da Bélgica, Maria José adaptou-se com dificuldade à rigidez da ditadura italiana de Benito Mussolini. Durante a Segunda Guerra Mundial, ela tentou servir de intermediária para uma paz separada da Itália com os aliados. Tornou-se rainha de Itália em 9 de maio de 1946, com a ascensão ao trono de seu marido, Humberto II. Um mês depois deixou a Itália, juntamente com toda a família Saboia. A Itália então se tornou uma república.

Maria José passou a maior parte de seu exílio em Genebra, na Suíça. Ela retornou à Itália somente depois da morte de seu marido, em 1983. Morreu em uma clínica de Genebra, aos noventa e quatro anos, de câncer de pulmão.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Maria José da Bélgica
Maria José da Bélgica Pai:
Alberto I da Bélgica
Avô paterno:
Filipe, Conde de Flandres
Bisavô paterno:
Leopoldo I da Bélgica
Bisavó paterna:
Luísa Maria de Orleães
Avó paterna:
Maria Luísa de Hohenzollern-Sigmaringen
Bisavô paterno:
Carlos Antônio, Príncipe de Hohenzollern-Sigmaringen
Bisavó paterna:
Josefina de Baden
Mãe:
Isabel da Baviera
Avô materno:
Carlos Teodoro, Duque na Baviera
Bisavô materno:
Maximiliano José, Duque da Baviera
Bisavó materna:
Luísa Guilhermina da Baviera
Avó materna:
Maria José de Bragança
Bisavô materno:
Miguel I de Portugal
Bisavó materna:
Adelaide de Löwenstein-Wertheim-Rosenberg

Referências

  1. a b c d e «MARIA JOSé del Belgio, regina d'Italia». Dizionario Biografico degli Italiani (em italiano). website oficial (www.treccani.it) da Enciclopédia Treccani, nome que se conhece comummente a Enciclopedia Italiana di Scienze, Lettere ed Arti também abreviada Enciclopédia Italiana. 2008. Consultado em 7 de junho de 2022 
  2. «AN ANTIQUE PEARL AND DIAMOND TIARA». www.christies.com (em inglês). Consultado em 8 de setembro de 2020 
  3. «Bodas de principes». Hemeroteca Digital Brasileira. Jornal do Commercio. 12 de janeiro de 1930. p. 2. Consultado em 5 de março de 2018 
  4. S. Bertoldi, L'ultimo re, l'ultima regina, Milan, 1992
  5. Giovanni Dall'Orto in Aldrich, Robert; Wotherspoon, Garry Who's Who in Contemporary Gay and Lesbian History: From World War II to the Present Day, Routledge, London 2001, p452
  6. A. Petacco, Regina: La vita e i segreti di Maria Jose, Milan, 1997
  7. «Descoberta relação entre Mussolini e a última rainha de Itália» 


Maria José da Bélgica
Casa de Saxe-Coburgo-Gota
Ramo da Casa de Wettin
4 de agosto de 1906 – 27 de janeiro de 2001
Precedida por
Helena de Montenegro
Armoiries Princesse Marie José de Belgique Reine d'Italie.svg
Rainha-consorte da Itália
9º de maio de 1946 – 12 de junho de 1946
Sucedida por
Monarquia abolida


O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Maria José da Bélgica