Maria Pia das Duas Sicílias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Pia
Infanta de Espanha
Princesa das Duas Sicílias

Duquesa consorte de Parma e Piacenza

 
Cônjuge Roberto I de Parma
Descendência Maria
Luísa
Fernando
Luísa Maria
Henrique
Maria Imaculada
José
Maria Teresa
Maria Pia
Maria Beatriz
Elías
Maria Anastássia
Augusto
Casa Real Bourbon-Duas Sicílias
Nome completo
Maria Pia da Graça de Bourbon-Duas Sicílias
Nascimento 2 de agosto de 1849
Gaeta, Reino das Duas Sicílias
Morte 29 de setembro de 1882 (33 anos)
Biarritz, França
Sepultamento Villa Borbone, Viareggio
Pai Fernando II das Duas Sicílias
Mãe Maria Teresa Isabel da Áustria


Maria Pia da Graça de Bourbon-Duas Sicílias (em italiano: Maria Pia della Grazia di Borbone-Due Sicilie, Gaeta, 2 de agosto de 1849 - Biarritz, 29 de setembro de 1882), foi princesa da Casa Real das Duas Sicílias e Duquesa de Parma e Piacenza pelo casamento.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Família[editar | editar código-fonte]

Maria Pia era a oitava filha do rei Fernando II das Duas Sicílias e de sua segunda esposa, Maria Teresa de Habsburgo, arquiduquesa da Áustria. Seus avós paternos foram o rei Francisco I das Duas Sicílias e Maria Isabel de Bourbon, infanta de Espanha; enquanto seus avós maternos foram Carlos, Duque de Teschen (herói austríaco, vencedor da Batalha de Aspern-Essling) e a princesa Henriqueta de Nassau-Weilburg. Membro de uma família numerosa, Maria Pia tinha 12 irmãos (incluindo seu irmão mais velho, Francisco II das Duas Sicílias, único filho do primeiro casamento de seu pai). Tímida e reservada, a princesa, assim como seus irmãos, foi amorosamente criada pela mãe, que abominava as festas da côrte e a vida mundana, preferindo dedicar-se exclusivamente à educação dos filhos.

Maria Pia (à esquerda) com suas irmãs (em sentido horário) Maria Imaculada, Maria Anunciata e Maria Luisa

Exílio[editar | editar código-fonte]

Com o avanço da Expedição dos Mil de Giuseppe Garibaldi sobre a Sicília e a Calábria, a família real das Duas Sicílias se refugia em Gaeta, onde as tropas fiéis a Francisco II combatem ferozmente por três meses. Em 13 de fevereiro de 1861 o exército finalmente capitula, obrigando o rei e sua família a exilar-se em Roma. Sob a proteção do papa Pio IX, a realeza destronada ocupou inicialmente o Palácio do Quirinal e, em seguida, o Palácio Farnésio.

Foi durante o exílio romano (seu lar dos doze aos vinte anos) que se iniciaram as negociações para o casamento de Maria Pia.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Casamento de Maria Pia com o duque Roberto I de Parma

A despeito das tentativas de se casar a jovem princesa com um arquiduque austríaco (como suas irmãs mais velhas, Maria Anunciata e Maria Imaculada), o acordo matrimonial acabou sendo firmado com o ex-soberano do Ducado de Parma. Mesmo destronado, Roberto I era um pretendente disputado por sua fortuna e as dificuldades financeiras enfrentadas pelos seus primos das Duas Sicílias, após o confisco de todos os seus bens, foram decisivas para o sucesso das negociações. A cerimônia de casamento realizou-se em Roma, em 5 de abril de 1869. O casal teve doze filhos e seis deles foram declarados incapacitados mentais por Maria Antonia de Bragança, segunda esposa de Roberto I, após a morte deste:

  • Maria Luísa de Bourbon-Parma (1870-1899), princesa de Parma, casou-se com Fernando de Saxe-Coburgo-Gotha, Príncipe Regente e, mais tarde, Czar da Bulgária (como Fernando I). Com descendência.
  • Fernando de Bourbon-Parma (1871-1872), príncipe de Parma.
  • Luísa Maria de Bourbon-Parma (1872-1943), princesa de Parma, declarada incapacitada mental.
  • Henrique de Bourbon-Parma (1873-1939), duque titular de Parma (1907-1939); declarado incapacitado mental.
  • Maria Imaculada de Bourbon-Parma (1874-1914), princesa de Parma, declarada incapacitada mental.
  • José de Bourbon-Parma (1875]-1950), duque titular de Parma (1939 – 195); declarado incapacitado mental.
  • Maria Teresa de Bourbon-Parma (1876-1959), princesa de Parma, declarada incapacitada mental.
  • Maria Pia de Bourbon-Parma (1877-1915), princesa de Parma; declarada incapacitada mental.
  • Maria Beatriz de Bourbon-Parma (1879-1946), princesa de Parma, casou-se com Pietro Lucchesi Palli, com descendência.
  • Elías I de Parma (1880-1959), regente titular de Parma por seus irmãos (1907-193] e 1939-1950) e duque titular de Parma (1950-1959); casou-se com a arquiduquesa Maria Ana de Áustria-Teschen, com descendência.
  • Maria Anastássia de Bourbon-Parma (1881-1881), princesa de Parma.
  • Augusto de Bourbon-Parma ([882-1882), príncipe de Parma.
A duquesa Maria Pia com seu filho Elias (futuro Elias I de Parma)

Morte[editar | editar código-fonte]

A perigosa rotina de gestações e partos consecutivos (doze filhos em treze anos de casamento), tornou a princesa obesa e doentia. Maria Pia morreu de febre puerperal, em 29 de setembro de 1882, em Biarritz, uma semana após dar à luz seu último filho. Seu corpo foi sepultado na Villa Borbone, em Viareggio.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]