Maria da Grécia e Dinamarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Maria
Grã-Duquesa da Rússia
Princesa da Grécia e Dinamarca
Nascimento 3 de março de 1876
  Atenas, Reino da Grécia
Morte 14 de dezembro de 1940 (64 anos)
  Atenas, Reino da Grécia
Sepultado em Cemitério Real de Tatoi, Atenas, Reino da Grécia
Nome completo Maria Georgievna
Cônjuge Jorge Mikhailovich da Rússia (1900–1919)
Perikles Ioannidis (1922–1940)
Descendência Nina Georgievna da Rússia
Xenia Georgievna da Rússia
Casa Holsácia-Gottorp-Romanov
Eslésvico-Holsácia-Sonderburgo-Glucksburgo
Pai Jorge I da Grécia
Mãe Olga Constantinovna da Rússia

Maria Georgievna da Grécia e Dinamarca (Atenas, 3 de março de 1876 - Atenas, 14 de dezembro de 1940) foi a quinta criança e segunda filha a nascer do rei Jorge I da Grécia e da sua esposa, a grã-duquesa Olga Constantinovna da Rússia, sendo, por isso, um membro da família Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Maria nasceu em Atenas, sendo irmã mais nova do futuro rei Constantino I da Grécia, do príncipe Jorge da Grécia e Dinamarca, da princesa Alexandra Georgievna da Grécia e Dinamarca e do príncipe Nicolau da Grécia e Dinamarca. Era irmã mais velha do príncipe André da Grécia e Dinamarca e do príncipe Cristóvão da Grécia. Ela era muito chegada à sua prima Xenia Alexandrovna. Mais tarde ambas se casaram com dois dos filhos do grão-duque Miguel Nikolaevich da Rússia e juntaram-se em várias ocasiões.

Casamento[editar | editar código-fonte]

No dia 30 de abril de 1900, Maria casou-se com o grão-duque Jorge Mikhailovich da Rússia em Corfu, Grécia. Jorge, que era conhecido na família pela afável alcunha de "Gogi", sempre a amara e sempre a tentou conquistar, mas ela não estava interessada. Durante a sua juventude Maria apaixonou-se por um plebeu e pediu autorização ao pai para se casar com ele, mas o rei da Grécia recusou. Foi apenas nesta altura que Maria aceitou finalmente casar-se com Jorge, mas apenas depois de assegurar que o seu lugar nas linhas de sucessão grega e dinamarquesa estavam assegurados. Ela nunca escondeu que não estava apaixonada por Jorge, mas ele acreditou que os sentimentos dela poderiam mudar com o tempo.

Maria no baile imperial de 1903 no Palácio de Inverno

O casal teve duas filhas: Nina, nascida no dia 7 de junho de 1901 e Xenia, nascida no dia 9 de agosto de 1903. À medida que elas cresciam, Maria aproveitou todas as oportunidades que tinha para passar mais tempo no estrangeiro, utilizando o argumento da saúde das filhas para passar algum tempo longe do marido. Ela estava em Londres quando rebentou a Primeira Guerra Mundial e não pode regressar à Rússia, pelo que passou os anos seguintes no Reino Unido onde fundou um hospital militar.

Maria ficou viúva no dia 30 de janeiro de 1919, quando o seu marido foi assassinado por bolcheviques na Fortaleza de Pedro e Paulo em São Petersburgo.

No dia 16 de dezembro de 1922, Maria voltou a casar-se, desta vez com Perikles Ioannidis em Wiesbaden. Morreu na sua terra natal de Atenas durante a Guerra Greco-Italiana de 1940-41.

A sua filha Xenia viveu durante muitos anos em Long Island com Anna Anderson, uma mulher que afirmava ser a sua prima Anastásia Nikolaevna.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Royal Coat of Arms of Greece.svg
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Maria da Grécia e Dinamarca
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.