Marialva (Mêda)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portugal Portugal Marialva 
  Freguesia  
Antiga vila de Marialva: vista das ruínas da vila e do Castelo de Marialva
Antiga vila de Marialva: vista das ruínas da vila e do Castelo de Marialva
Brasão de armas de Marialva
Brasão de armas
Marialva está localizado em: Portugal Continental
Marialva
Localização de Marialva em Portugal
Coordenadas 40° 54' N 7° 14' O
País Portugal Portugal
Concelho MDA-mêda.JPG Mêda
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente Luís Miguel Pires Marinho (PS)
Área
 - Total 19,15 km²
População (2011)
 - Total 255
    • Densidade 13,3 hab./km²
Código postal 6430
Orago São Tiago

Marialva é uma freguesia portuguesa do concelho da Mêda, no distrito da Guarda, Beira Interior Norte. Tem 19,15 km² de área e 255 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 13,3 hab/km².

História[editar | editar código-fonte]

Designada Cividade dos Áravos (em latim: Civitas Aravorum) à época romana,[1] terá sido reconstruída no tempo de Trajano e Adriano, tendo sido ponto de confluência e cruzamento de vias, entre as quais a via imperial da Guarda a Numão.

Os Godos instalaram-se na região alterando o nome para São Justo, sucedendo-lhes a ocupação árabe e o seu novo nome, Malva, reconquistada por D. Fernando Magno de Leão, em 1063, e novamente rebaptizada para Marialva.

D. Afonso Henriques mandou-a repovoar, concedendo-lhe o primeiro foral em 1179. Conhece-se novo repovoamento durante o reinado de D. Sancho I, no século XIII, altura em que o povoado terá extravasado além muros, formando-se assim o Arrabalde.

Durante o reinado de D. Dinis foi criada a Feira (1286) e recebe Foral Novo (1512) já em tempos de D. Manuel. Ambos procederam a obras no castelo.

Possivelmente derivada à localização fronteiriça - e estimulada pela Feira, ao 15ª dia de cada mês, que concedia diversos privilégios aos moradores e feirantes - assistiu-se no século XII à fixação de judeus.

Foi vila e sede de concelho entre 1157 e 1855. Era constituída pelas freguesias de Aldeia Rica, Barreira, Carvalhal, Coriscada, Gateira, Marialva (Santiago), Marialva (São Pedro), Pai Penela, Rabaçal e Vale de Ladrões. Tinha, em 1801, 2 919 habitantes.

Após as reformas administrativas do início do liberalismo foram-lhe anexadas as freguesias de Chãs e Santa Comba. Tinha, em 1849, 4 042 habitantes e ocupava uma superfície de 166 km².

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Marialva [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
494 545 567 684 740 688 736 728 888 727 489 460 326 271 255

No censo de 1864 figura no concelho de Vila Nova de Foz Côa. Passou para o actual concelho por decreto de 04/12/1872

Economia[editar | editar código-fonte]

A sua economia baseia-se principalmente na actividade agrícola, tendo como principais produtos a batata, os cereais, o vinho e o azeite.[3]

Topografia[editar | editar código-fonte]

A aldeia foi fundada "em zona montanhosa e granítica de topografia algo difícil e irregular, descendo até à margem esquerda da ribeira de Marialva. Ergue-se num monte rodeado de outeiros e penhascos."[4]

Referências

  1. Saa 1964, p. 246.
  2. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  3. GRAÇA, Eduardo; ESTEVES, Victor - Carta do lazer das aldeias históricas: roteiro de Marialva, p. 10
  4. PORTUGAL. Comissão de Coordenação da Região Centro - Programa das aldeias históricas de Portugal: Beira Interior, p. 46

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Saa, Mário. As grandes vias da Lusitania: o itinerário de Antonino Pio. 5. Lisboa 


Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.