Mariano Akerman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Nascido em Buenos Aires em 1963, Mariano Akerman é um pintor, arquiteto e historiador argentino.[1] Como pesquisador e palestrante desenvolve atividades educativas que promovem a livre-expressão e a participação comunitária considerando a idiossincrasia e o contexto cultural de cada indivíduo.[2]

Composição — 12 fundamentos básicos da Gestalt, 2011.

Em 1982 inicia seus estudos em arquitetura na Universidade de Belgrano, onde recebe o diploma em virtude de um trabalho premiado, A Natureza do Espaço e os Limites da Arquitetura (1987).[3] Após receber uma bolsa do Conselho Britânico, Akerman escreve O Grotesco nas Pinturas de Francis Bacon em 1999,[4] e retoma o imaginário do célebre artista londrino em um artigo que é publicado em 2012.[5]

A partir de 1981 Akerman dá palestras em instituições tais como o Museu Nacional de Belas Artes em Buenos Aires,[6] o Museu Nacional das Filipinas em Manila,[7] o Colégio Escandinavo Hooptes Stajärna em Taytay,[8] a Academia Nacional de Artes em Lahore,[9] e a Universidade Quaid-i-Azam em Islamabad.[10]

Especializado em Comunicação Visual,[11] Mariano Akerman desenvolve séries de palestras, concursos, oficinas e exposições educativas em vários países, onde colabora com as embaixadas da Bélgica, Suécia, França, Alemanha e Suíça, incluindo as de seu país natal.[12] Empreendedor independente multidisciplinar,[13] Akerman recebeu doze prêmios internacionais em arte e educação.[14] Durante mais de três décadas de atividade,[15] e tendo freqüentado instituições culturais e educativas, Mariano Akerman deu numerosas palestras tanto na Argentina quanto nas Filipinas, no Paquistão e no Brasil.[16]

Artes Plásticas[editar | editar código-fonte]

Mariano Akerman desenha e pinta desde jovem. Em 1979 um trabalho seu é selecionado e exibido no Ministério da Educação em Buenos Aires. Em 1980 recebe o primeiro prêmio de desenho no Concurso Cantegril em Punta del Este. Participa de oficinas de pintura, as de Elisa Akerman e Carlos Nine, assim como também assiste a cursos de história da arte no Museu Nacional de Belas Artes (Argentina) e classes de desenho e pintura na Escola Superior de Belas Artes "Ernesto de la Cárcova" (Buenos Aires).

Exibe sua obra em algumas mostras coletivas, entre as quais se destacam aquelas da Casa da Pintura Argentina e os salões da Associação Latino-Americana de Artistas Plásticos.[17] As exposições individuais de Mariano Akerman são realizadas na Galeria RG en el Arte (1986),[18] o Centro de Estudos para Graduados da Universidade de Belgrano (1988),[19] a Fundação Cultural Banco de Boston (1989),[20] e o Centro Cultural General San Martín (1990).[21]

Sua obra é recebida com entusiasmo pela crítica: o imaginário de sua primeira mostra individual, Transformações de Fibras e Contos Doces, é apresentada pelo crítico de arte Bernardo Gravier, [22] e também a ela, Monique Sasegur dedica um artigo na Actualidad en el Arte (1986). A mesma crítica de arte escreve:

Na Galeria RG, Akerman dá uma conferência sobre sua obra e organiza uma visita à mostra junto com um concurso literário para os estudantes da Universidad del Salvador (USAL, Buenos Aires, 1986).

Inspirado pelo imaginário de Akerman, Renato Olivieri escreve um poema que é publicado no catálogo da segunda exposição individual do pintor, intitulada De Casca e Conteúdo. Segundo Olivieri, das aquarelas e desenhos realizados por Akerman emanam uma voluptuosidade incomum e diversos enigmas oníricos, nos quais o poeta percebe "a beleza em si mesma desabrochada em uma floração exuberante".[24]

A exposição da Universidade de Belgrano teve também a colaboração do Banco Francês do Rio da Prata, a traves de um premio estímulo que foi outorgado ao artista em meados de 1988. A presentacao da mostra fica a cargo da arquiteta Alicia Oliberos, que nos trabalhos de Akerman detecta uma interação sutil entre o que ela denomina "continente e conteúdo".[25]

Sobre as pinturas e desenhos de Akerman exibidos na Fundação Cultural Banco de Boston como Dez Pincéis através das Águas Profundas, escreve Teresita Pociello na revista Óleo e Mármore (1989), donde elogia o desenho e a articulação das composições de Akerman e os compara com os de Miró e Picasso; segundo Pociello, a presenca do imaginário na obra de Akerman é uma característica "americanista".[26]

A inauguração da mostra De Sol a Sol no Banco Federal Argentino na Recoleta em 1989 inclui a participação do coral "Línguas Vivas".[27] Trata-se de um encontro que, por sua estrutura dialética, evoca uma representação teatral clássica em contraponto: o pintor se refere à sua obra e, em seguida, o coral o responde através do canto, com pecas tais como o tango argentino Sur (Sul) o spiritual afroamericano Let My People Go (Deixe o meu povo ir). Esta última canção, por exemplo, foi escolhida para responder especificamente a uma aquarela de Akerman intitulada Dar-se conta (1988), que apresenta um plano próximo de Moisés, jovem e ainda com aparência egípcia, mais já consciente de sua até então desconhecida origem, hebraica. Esta aquarela inclui duas pirâmides distantes e o entablamento de um templo egípcio que é suportado por duas colunas, ambas com capitel de flor de lótus fechada. A tais motivos o pintor s sobrepôs uma série de franjas verticais alternadas ritmicamente e que simbolizam o aspeto que até então Moisés ignorava sobre sua identidade.[28]

Em 1990, Hilda Chanca entrevista o pintor, que se refere a sua dupla condição de artista plástico e arquiteto, indicando que ela não é um fenômeno atípico e que possuis criadores importantes como Michelangelo, Le Corbusier e Clorindo Testa.[29]

A pedido de Chanca, Akerman desenha uma mandala para o livro Ensino e Aprendizado, que é publicado pela Universidade John F. Kennedy no mesmo ano. Trata-se de um símbolo gráfico contemporâneo, delineado a partir da consideração da inter-relação entre o macro e o microcosmo.[30]

Mariano Akerman expõe em seguida no Centro Cultural General San Martín e em outras galerias de Buenos Aires (1990),[31] no Museu Nacional das Filipinas e também na Galeria Total da Aliança Francesa de Manila (2005),[32] e —a convite— na Residência da Bélgica em Islamabad (2010).[33]

Titulada As Constelações Interiores, a mostra de Akerman na Aliança Francesa de Manila é composta de cinqüenta e três pinturas e desenhos realizados entre 1989 e 2005.[34] O catálogo da exposição é apresentado por Jean-Paul Girault; a imprensa local, por sua vez, cobre o evento em inglês e em mandarim, enquanto o tagalo é incluído na entrevista que a jornalista Machel Ramos faz com o pintor e que é transmitida pela Rede Nacional de Televisão das Filipinas, em 18 de novembro de 2005.[35] "Originais, sutis e pessoais"” som os termos que o filipino Ramon Lerma emprega para descrever os trabalhos do artista argentino.[36]

Na Aliança Francesa, o pintor organiza com Maryvonne Salvan uma "busca ao tesouro" para os alunos da Escola Internacional Européia de Manila: estes precisavam revelar "mistérios ocultos" a partir de uma cuidadosa observação dos trabalhos exibidos na exposição.[37]

Em 2016, Márcia dos Santos entrevista a Akerman e o pintor expõe os seus trabalhos no Espaço Alcazar, em Copacabana.[38]

Exposições[editar | editar código-fonte]

Conferências e atividades educativas[editar | editar código-fonte]

Composição com grotescos do Renascimento.
Imagem do Programa Educativo Gestalt, 2011.[47]

Dentro do campo abordado por Akerman em suas conferências certos temas são freqüentes:

  • Tradição e inovação na arte ocidental
  • Arte moderna e vanguardas européias
  • Arte pré-colombiana e latino-americana
  • Fundamentos do desenho e da arquitetura
  • Metodologia da investigação
  • Historia da arte e dificuldades na classificação de obras
  • Grotesco e identidade
  • Estratégias do grotesco artístico
  • Colagem como técnica expressiva e seus alcances

Os ciclos educativos são geralmente organizados como uma série de conferências, nas quais o palestrante costuma convidar o público a participar em um concurso concebido em função do tema e das necessidades dos participantes.

Quem participa costuma produzir ensaios literários breves (às vezes de natureza crítica) ou trabalhos plásticos empregando a técnica da colagem. Todas as atividades buscam conectar os participantes com as particularidades do tema abordado nas conferências, possibilitando a eles expressar-se, mas também demandando um compromisso pessoal.

Entrevistado pela Agência de noticias EFE, em 2010, Mariano Akerman nota que a colagem é particularmente útil porque estimula a criatividade dos participantes: "A idéia de inventividade e expressão a partir do desenvolvimento da colagem permite às pessoas do lugar se manifestar livremente; de outra forma dificilmente conseguiriam faze-lo".[48]

Sobre as atividades artísticas e educativas desenvolvidas por Akerman em Indocuche, a escritora e crítica anglo-paquistanesa Sara Mahmood publica no início de 2012 um artigo intitulado "Mariano Akerman: Conectando Culturas".[49]

Ciclos de palestras educativas na América do Sul[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "Mariano Akerman", ArteFe, Santa Fe, Argentina, 22 de abril de 2010; Jahsonic (Jan Geerinck), "Mariano Akerman", The Art and Popular Culture Encyclopedia, 21 de agosto de 2011 (acesso 5 de maio de 2014); Hannyia Abid, "A Passion for Hope through Imagination", Blue Chip Magazine, ed. Mashaal Gauhar, 8/89, Islamabad, março-abril de 2012, p. 18.
  2. Sara Mahmood, "Mariano Akerman: Bridging Cultures", Blue Chip Magazine, VIII/87, Islamabad, janeiro-fevereiro 2012, pp. 20-24; Igor G. Barbero, "Un pintor argentino educa a través del arte en Pakistan", Ideal, Granada, 20 de abril de 2010; acesso 25 de julho de 2013.
  3. Alfonso Corona Martínez, Ensayo sobre el proyecto, Buenos Aires: CP67, 1990, p. 83; e The Architectural Project, ed. Malcolm Quantrill, Texas University Press, 2003, p. 50.
  4. Originalmente em inglês, The Grotesque in Francis Bacon’s Paintings.
  5. "Bacon: Painter with a Double-Edged Sword", Blue Chip Magazine, VIII/8, Islamabad, fevereiro-março de 2012, pp. 29-33. Iván Augusto Briceño Linares, "142 Millones de dólares costó la pintura subastada más cara del mundo", Radio Santa Fe, 1070 A.M., Bogotá, 13 de novembro de 2013 (acesso em 31/1/2014); Phyllis Stein, Francis Bacon: 73 Success Facts - Everything You Need to know about Francis Bacon, Emereo Publishing, 2014 (acesso em 20/4/2015).
  6. Buenos Aires, Museu Nacional de Belas Artes, "Conferencias - Ciclo sobre arte belga: pintura, música y arquitectura - Akerman, Bardin y Grementieri", Programación MNBA, abril de 2005.
  7. Rosalinda L. Orosa, "Significant Up-Dates", The Philippine Starweek, XIX/26, 7 de agosto de 2005, p. 15.
  8. Maria Presson, "Linné i Taytay", Star of Hope (Hoppets Stjärna), Escandinavia, 6 de março de 2007, artigo 169.
  9. Qudsia Rahim, "Mariano Akerman: Discovering Belgian Art at the NCA Auditorium, Lahore, Pakistan," Danka, Lahore, 11 de abril de 2009.
  10. "Director’s Report: 2007-2010", National Institute of Pakistan Studies, Islamabad: Quaid-i-Azam University, dezembro de 2010, p. 33, item 4.29; acesso em 13 de julho de 2015.
  11. Ideas en arquitectura, ed. Alfonso Corona Martínez, Año 1, N° 1, Buenos Aires: Fundación Universidad de Belgrano, março de 1997, p. 6.
  12. Mahmood, "Akerman: Bridging Cultures", Blue Chip, 2012, pp. 20-24.
  13. Abid, "A Passion for Hope through Imagination", Blue Chip, 2012, p. 18.
  14. "Compass", 24/7 Nocturnal Navigator, III/4, Manila, novembro de 2005C. Jude Defensor, "The Light of Linnaeus", What’s On & Expat, Manila, 21 de janeiro de 2007; Peerzada Salman, "Karachi: Between Reality and Fantasy", Dawn News, Karachi, 14-15 de junho de 2008"; acesso em 29 de julho de 2013.
  15. "Mariano Akerman", ArteFe, Santa Fe, Argentina, 22 de abril de 2010.
  16. As palestras foram em inglês, espanhol e francês. F.C. Garcia, "Istilo ng sining Belgium, tinalakay sa exhibit" (Obras mestras da arte belga), The Varsitarian, LXXVII/3, Manila, University of Santo Tomas, 6 de agosto de 2005, em tagalog; "In the Spirit of Linnaeus: The Tercentenary Lectures on Science and Art", Embaixada da Suécia, Manila, janeiro-fevereiro 2007, em inglês, acesso em 30/7/2013; Igor Barbero (EFE Noticias), "Un pintor argentino educa a través del arte en Pakistán", ABC, Madrid, 20 de abril de 2010, em espanhol, acesso em 30/7/2013; "Manifestarse en Pakistán a través del arte", MSN Video, México, 20 de abril de 2010, em espanhol, acesso em 30/7/2013; "German Art" e "Gestalt", Embaixada da Alemanha, Islamabad, 2010-2011, em inglês, acesso em 30/7/2013; Rio de Janeiro, Consulado Geral da Bélgica, Programa Estimulo Vesalius: Anatomia da Arte — A Obra da Arte como Estrutura Interdisciplinar Expressiva, julho de 2015; Rio de Janeiro, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Escola da História, VI Jornada de Estudos Medievais: A Cultura Medieval para além da Cristiandade Latina, ed. Paulo André Leira Parente e Miriam Cabral Coser, agosto-setembro de 2015; "VI Jornada de Estudos Medievais da UNIRIO", Unirio História, Rio de Janeiro: Escola de História, 2 de setembro de 2015; Fernanda Míguez Bastos, "O legado sefaradita nas artes visuais", Instituto Cervantes, Rio de Janeiro, 21 de setembro de 2015; Iván Augusto Briceño Linares, "Educación: Llegar al hueso del asunto", A puerta cerrada, Bogotá, 25 de setembro de 2015; Mauro Band, "Ciclo Acervo e Memória", Informativo ASA, 1 de outubro de 2015; Giovanni Maria Ponta di Colnago, "Vesalius: O Homem no Centro", Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro, 5 de outubro de 2015.
  17. Buenos Aires, 1984 e 1987-1989.
  18. Cartelera de galerías de arte, 9, Buenos Aires, maio de 1986; La Nación, Buenos Aires, 3 de maio de 1986, 7.
  19. Ciudad de Belgrano, Buenos Aires, 1988: "Muestras de Arte UB"; Silvia Liebermann, "Homini en la Ciudad", Ámbito Financiero, 16 de setembro de 1988; Clarín, 16 de setembro de 1988: "Muestras"; La Nación, 16 de setembro de 1988, 3:12.
  20. "Artes Plásticas", Diario del Viajero, Buenos Aires, 11 de outubro de 1989, 1; e "Arte Crítica", Somos, 18 de outubro de 1989, 22.
  21. La Nación, 6 de outubro de 1990, 3:14: "Bellas Artes".
  22. Buenos Aires, Galería RG en el Arte, Mariano Akerman: Transformaciones de fibras y cuentos dulces, março de 1986.
  23. Monique Sasegur, "Mariano Akerman: un mensaje vital", La Actualidad en el Arte, Buenos Aires, maio-junho de 1986, 58.
  24. Buenos Aires, Universidad de Belgrano, Facultad de Estudios para Graduados, Mariano Akerman: De cáscara y contenido, setembro de 1988.
  25. Oliberos, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidad de Belgrano, 1984 e 1988.
  26. "Mariano Akerman", Óleo y Mármol, Buenos Aires, 12-23 de setembro de 1989, p. 3.
  27. Coro de la Escuela en Lenguas Vivas John F. Kennedy, Buenos Aires; direção: María Elena Mena.
  28. Imagem da aquarela Dar-se conta.
  29. Hilda Chanca, "Un joven pintor", Clubs & Countries, N° 15, setembro de 1990.
  30. Dolly Dolinsky e Hilda Chanca, Enseñanza-Aprendizaje, Buenos Aires: Universidad Argentina John F. Kennedy, 1990.
  31. Banco Mayo, Galería de las Golondrinas, Banco de la Provincia de Buenos Aires e Galería de Arte SHA (1990-1991).
  32. Manila, The National Museum, Belgian Art: Images from the Belgian Collection in Manila; Here, There, Everywhere: Paintings and Drawings by Mariano Akerman, julho-agosto de 2005; Jean-Paul Girault, "Les constellations intérieures: Mariano Akerman", Alliance Française de Manille Program, outubro-dezembro de 2005, p. 3 B-2; "Compass", 24/7 Nocturnal Navigator, Vol. 3, No. 4, Manila, novembro de 2005; "Les Constellations Intérieures", Circuit, Manila, novembro de 2005, p. 8; The Daily Tribune, Manila, 6 de novembro de 2005; Ramon E.S. Lerma, "Arts: Mariano Akerman", The Philippine Star, Manila, 7 de novembro de 2005, p. F3; "Les Constellations Intérieures: Mariano Akerman", Wins News, Filipinas, 8 de novembro de 2005, p. 3, em chinês.
  33. Issam Ahmed, The Christian Science Monitor, 2 de abril de 2010; acesso em 4 de maio de 2014.
  34. "Les constellations intérieures - Mariano Akerman", Alliance Française Program, Manila, outubro-dezembro de 2005, p. 3
  35. "The Morning Show" e "Teledyario".
  36. Ramon E.S. Lerma, "Arts: Mariano Akerman", The Philippine Star, Manila, 7 de novembro de 2005, p. F3.
  37. "À la découverte d’un artiste !" , European International School Newsletter, No. 5, Manila, 15 de dezembro de 2005, p. 5; acesso em 4 de maio de 2014.
  38. Rio de Janeiro, Espaço Alcazar, Expressões em Copacabana: Mariano Akerman, junho-julho de 2016; catálogo.
  39. Cartelera de galerías de arte, N° 9, Buenos Aires, 1986; La Nación, Buenos Aires, 3 de maio de 1986, secção 2, p. 7: "Galería RG en Arte"; Monique Sasegur, "Mariano Akerman: un mensaje vital", La actualidad en el arte, Buenos Aires, maio-junho 1986, p. 58.
  40. Ciudad de Belgrano, Buenos Aires, 1988: "Muestras de Arte UB"; Silvia Liebermann, "Homini en la ciudad", Ámbito Financiero, 16 de setembro de 1988; Clarín, 16 de setembro de 1988: "Muestras"; La Nación, 16 de setembro de 1988, secção 3, p. 12.
  41. J.N., "Art", The Buenos Aires Herald, setembro de 1989; Teresita Pociello, "Mariano Akerman", Óleo y Mármol, Buenos Aires, 12-23 de setembro de 1989, p. 3; "Artes Plásticas", Diario del Viajero, Buenos Aires, 11 de outubro de 1989, 1; "Arte Crítica", Somos, 18 de outubro de 1989, p. 22.
  42. Hilda Chanca, "Un joven pintor", Clubs & Countries, N° 15, setembro 1990; La Nación, Buenos Aires, 6 de outubro de 1990, secção 3, p. 14: "Bellas Artes".
  43. Carmencita H. Acosta, "An Appointment with Art," What's On & Expat, XXIII/32, 7 de agosto de 2005, p. 12.
  44. "Compass", 24/7 Nocturnal Navigator, Vol. 3, No. 4, Manila, novembro de 2005; "'Les Constellations Interieures' exhibit by Mariano Akerman", The Daily Tribune, Manila, 6 de novembro de 2005; "Les Constellations Intérieures", Circuit, Manila, novembro de 2005, p. 8; Ramon E.S. Lerma, "Arts: Mariano Akerman", The Philippine Star, Manila, 7 de novembro de 2005, p. F3; "Les Constellations Intérieures: Mariano Akerman", Wins News, Filipinas, 8 de novembro de 2005, 3; Machelle Ramos, "Interview with Mariano Akerman", National Broadcast Net, Filipinas, TV canal 4, 18 de novembro de 2005; Maryvonne Salvan, "À la découverte d’un artiste !", EIS Newsletter, N⁰5, Manila, 15 de dezembro de 2005, p. 5 (28/7/2013).
  45. Ishrat Hyatt, "Art Historian delivers Lecture at IFWA Fundraiser," International The News, Paquistão, 30 de março de 2010, City News, p. 20; Issam Ahmed, The Christian Science Monitor, 2 de Abril de 2010.
  46. Rio de Janeiro, Espaço Alcazar, Expressões em Copacabana: Mariano Akerman, junho-julho de 2016; catálogo.
  47. Ilona Yusuf, "Enhancing Perception: The Gestalt Lectures and Collage Competition", Blue Chip Magazine, Vol. 8, N° 87, Islamabad, janeiro–fevereiro 2012, pp. 16-19; "Gestalt Educational Program", SBC News, Swiss Business Council of Pakistan Newsletter, № 6, Janeiro 2012, p. 13 (acesso em 20 de fevereiro de 2015).
  48. Igor Barbero, Noticias EFE de Espanha, Islamabad, 20 de abril de 2010: "Un pintor argentino educa a través del arte en Pakistán", ABC, Espanha, 20 de abril de 2010; e "Manifestarse en Pakistán a través del arte", MSN Video, México, acesso em 4 de maio de 2014.
  49. Sara Mahmood, "Mariano Akerman: Bridging Cultures", Blue Chip Magazine, janeiro-fevereiro de 2012, pp. 20-24 (acesso em 4 de maio de 2014).
  50. Liliana Bonvecchi, "Conferencia", Universidad de Belgrano, 23 de setembro de 2013 (acesso 9 de outubro de 2013); "Conferencia con Mariano Akerman", Agenda UB, Buenos Aires: Universidad de Belgrano, 26 de setembro de 2013 (Universidad de Belgrano; acesso 30 de setembro de 2013); Universidad de Belgrano: Anuario de actividades 2013, Buenos Aires, fevereiro de 2014, p. 16 (acesso 16 de junho de 2015); Buenos Aires, British Arts Centre de la Asociación Argentina de Cultura Inglesa, "Ser y no ser: identidad en el arte de Francis Bacon", septembro de 2013; Antonela Casco, "Especiales: Conferencia 'Ser y no ser: identidad en el arte de Francis Bacon'", News BAC Online, Buenos Aires: British Arts Centre, 20 de setembro de 2013; Ser y No Ser: Identidad en el arte de Francis Bacon; El Caso Hurva; Kahn con Meltzer.
  51. Centro de Estudos Bíblicos, setembro-outubro de 2014 (RJ-News; Palestras Cariocas; acesso em 22 de novembro de 2014); Rio de Janeiro, Consulado Geral da Bélgica, Programa Estimulo Vesalius, julho de 2015.
  52. Rio de Janeiro, Consulado Geral da Bélgica, Programa Estimulo Vesalius: Anatomia da Arte — A Obra da Arte como Estrutura Interdisciplinar Expressiva, julho de 2015; Rio de Janeiro, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Escola da História, VI Jornada de Estudos Medievais: A Cultura Medieval para além da Cristandade Latina, ed. Paulo André Leira Parente e Miriam Cabral Coser, agosto-setembro de 2015; "VI Jornada de Estudos Medievais da UNIRIO", Unirio História, Rio de Janeiro: Escola de História, 2 de setembro de 2015; Fernanda Míguez Bastos, "O legado sefaradita nas artes visuais", Instituto Cervantes, Rio de Janeiro, 21 de setembro de 2015; Iván Augusto Briceño Linares, "Educación: Llegar al hueso del asunto", A puerta cerrada, Bogotá, 25 de setembro de 2015; Mauro Band, "Ciclo Acervo e Memória", Informativo ASA, 1 de outubro de 2015; Giovanni Maria Ponta di Colnago, "Vesalius: O Homem no Centro", Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro, 5 de outubro de 2015; Sara Gruman, "Ciclo Acervo e Memória", Boletim ASA, 26 de outubro de 2015: Novidades; Sebastián D'Alessio, Palestra "Sonhos de Pintores e Configurações do Imaginário" de Mariano Akerman, Consulado General de la República Argentina, Rio de Janeiro, novembro de 2015; Rio de Janeiro, Pontificia Universidade Católica, Em Diálogo: 50 Anos da Declaração Nostra Aetate, 3 de novembro de 2015; "Em Diálogo", Notícias PUC-Rio, 6 de novembro de 2015; "PUC-Rio realiza seminário Em Diálogo", Assesoria de Comunicação Social PUC-Rio, 8 de novembro de 2015; "Em Diálogo", PUC Urgente, № 1281, Rio de Janeiro, 9-15 de novembro de 2015, p. 7; Olívia Nielebock e Dayane Barbosa, "Campus: Diálogo", Jornal da PUC, Rio de Janeiro, 11 de novembro de 2015 (acesso em 12 de novembro de 2015).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]