Mariano Paredes y Arrillaga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mariano Paredes y Arrillaga
Nascimento 7 de janeiro de 1797
Cidade do México
Morte 7 de setembro de 1849
Cidade do México
Cidadania México
Cônjuge Josefa Cortés
Ocupação político, ministro, militar

Mariano Paredes y Arrillaga (Cidade do México, 1792 - Setembro de 1849) foi um militar ultraconservador mexicano que ocupou o cargo de presidente do México em 1846.[1][2][3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou a sua carreira militar no exército espanhol em 1812, combatendo o exército independentista na guerra da Independência do México até à sua adesão ao plano de Iguala após a proclamação deste em 1821.[1][2]

Liderou uma rebelião levada a cabo em 1 de Novembro de 1844, sendo bem sucedido na deposição de Antonio López de Santa Anna, a quem ajudara a ascender à presidência liderando o movimento que levou à destituição de Anastasio Bustamante em 1841.[1][2] No entanto seria preterido na eleição do novo presidente, sendo eleito José Joaquín de Herrera.[2]

No início do conflito com os Estados Unidos, foi nomeado e enviado para comandar o exército do norte que deveria repelir as incursões das tropas dos Estados Unidos no norte do México.[2] Em lugar disso, deteve-se em San Luis Potosí a partir de onde, em 14 de Dezembro de 1845, iniciou uma rebelião com vista ao derrube de Herrera.[2] Seria bem sucedido, sendo eleito presidente em 2 de Janeiro de 1846.[2]

O seu mandato foi curto e marcado pela ausência de tomada de quaisquer medidas com vista a repelir a invasão do país pelos Estados Unidos, nem mesmo após as derrotas sofridas nas batalhas de Palo Alto e Resaca de la Palma em 8 e 9 de Maio de 1846.[2]

O país caíu na anarquia generalizada, enquanto tentava combater a invasão americana.[2] O descontentamento era geral e Paredes seria deposto por uma revolta liderada por Santa Anna em Agosto de 1846, durante a qual foi preso e posteriormente exilado na Europa.[2] Após a ocupação da Cidade do México pelas tropas dos Estados Unidos em 1847 regressa ao México, insurgindo-se contra o tratado de Guadalupe Hidalgo após a retirada americana.[2]

Participaria numa última tentativa de rebelião em Guanajuato em Junho de 1848, a qual seria dominada por Bustamante, após o que Paredes permaneceu escondido durante vários meses até ser incluído numa amnistia declarada em Abril de 1849.[2] Regressa à Cidade do México onde morreu cinco meses depois.[2]

Referências

  1. a b c Orozco, Fernando (2004). Gobernantes de Mexico (em espanhol). Cidade do México: Panorama Editorial. p. 274 
  2. a b c d e f g h i j k l m Tucker, Spencer; Arnold, James R.; Wiener, Roberta; Pierpaoli (Jr.), Paul G.; Cutrer, Thomas W.; Santoni, Pedro (2013). The Encyclopedia of the Mexican-American War: A Political, Social, and Military History (em inglês). 1. Santa Bárbara: ABC-CLIO. pp. 300, 491–492 
  3. Gómez, Juana Vázquez (1997). Dictionary of Mexican Rulers, 1325-1997 (em inglês). Westport: Greenwood Publishing Group. p. 163 

Precedido por
Gabriel Valencia
Presidente do México (interino)
2 de Janeiro a 24 de Julho de 1846
Sucedido por
Nicolás Bravo