Marighella (2019)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o filme de 2019. Para o filme de 2001, veja Marighella - Retrato Falado do Guerrilheiro.
Marighella
 Brasil
2019 •  cor •  155 min 
Direção Wagner Moura
Elenco Seu Jorge
Adriana Esteves
Bruno Gagliasso
Humberto Carrão
Luiz Carlos Vasconcelos
Adanilo
Gênero biografia, drama, suspense
Lançamento 14 de fevereiro de 2019 (Berlim)
2020 (Brasil)
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Marighella é um filme brasileiro de 2019, dirigido por Wagner Moura, baseado na vida de Carlos Marighella.[1] O filme, adaptado da biografia Marighella - O Guerrilheiro que Incendiou o Mundo, de Mário Magalhães, é o primeiro de Moura como diretor e conta com Seu Jorge como protagonista, Adriana Esteves, Bruno Gagliasso e Humberto Carrão, entre outros.[2]

O filme estrearia nos cinemas brasileiros em 20 de novembro de 2019, dia nacional da Consciência Negra[3], porém foi adiado para 2020 devido a problemas com a Agência Nacional do Cinema.[4]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Marighella estreou no 69° Festival Internacional de Cinema de Berlim, em 14 de fevereiro de 2019, fora da competição pelo Urso de Ouro.[5] A crítica alemã vê mitificação no filme, uma 'Epopeia cansativa', diz RBB.[6]

Diversas fontes reportaram que robôs foram utilizados para diminuir a avaliação do filme no site IMDb. Em resposta, o IMDb desativou as avaliações na página, que contava com mais de 15 mil avaliações, mesmo sem ter sido lançado nos cinemas.[7][8][9]

O filme também atraiu controvérsias políticas. De acordo com a crítica do Hollywood Reporter, "Wagner Moura apresenta o personagem de Mariguella como um herói e mártir da democracia e dos valores liberais, embora, na realidade, Mariguella fosse um marxista de extrema-esquerda", e que "Nos padrões atuais, muitos o considerariam um terrorista". [10] Além disso, a etnia de Marighella também foi debatida. No filme, Moura o retrata como um negro, o que levou a diversas críticas de simpatizantes de direita. Em resposta, Moura argumentou que "não há como discutir qualquer questão social no Brasil sem falar sobre questões raciais. Para mim, Marighella tinha que ser negro."[11]

Referências

  1. Bruno Carmelo (14 de fevereiro de 2019). «Festival de Berlim 2019: Wagner Moura apresenta o radical Marighella, retrato do guerrilheiro que enfrentou a ditadura». Adorocinema. Consultado em 19 de fevereiro de 2019 
  2. «'Marighella' é selecionado para Festival de Cinema de Berlim». Terra. Consultado em 19 de fevereiro de 2019 
  3. «Filme 'Marighella' estreará no Dia da Consciência Negra». Correio Braziliense. 12 de junho de 2019. Consultado em 21 de julho de 2019 
  4. «'Marighella' tem estreia adiada no Brasil por não cumprir prazos». iG. 13 de setembro de 2019. Consultado em 16 de setembro de 2019 
  5. «Filme 'Marighella', de Wagner Moura, estreia sob aplausos em Berlim». Folha de S.Paulo. 14 de fevereiro de 2019. Consultado em 19 de fevereiro de 2019 
  6. «Crítica alemã vê mitificação em 'Marighella': 'crença intocada na luta armada'». Folha de S.Paulo. 19 de fevereiro de 2019. Consultado em 20 de fevereiro de 2019 
  7. Reis, Julia; Pavarin, Guilherme (18 de fevereiro de 2019). «Bots tentaram derrubar nota de 'Marighella' no IMDb, mas não deu muito certo». Vice. Consultado em 19 de fevereiro de 2019 
  8. «Após ação coordenada anti-'Marighella', IMDB apaga críticas ao filme». VEJA.com. Consultado em 19 de fevereiro de 2019 
  9. «Direita derruba 'Marighella', esquerda contra-ataca e site americano retira avaliações». Folha de S.Paulo. 18 de fevereiro de 2019. Consultado em 19 de fevereiro de 2019 
  10. «'Marighella': Film Review». Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 21 de fevereiro de 2019 
  11. «Marighella: revolutionary biopic from Narcos' Wagner Moura criticised by Bolsonaro». The Guardian (em inglês). Consultado em 21 de fevereiro de 2019