Marine Le Pen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marine Le Pen
Marine Le Pen (2014)
2° Presidente da Frente Nacional
Período 16 de janeiro de 2011
até presente
Antecessor(a) Jean-Marie Le Pen
Eurodeputada União Europeia
Período 14 de julho de 2009
até presente
Período 20 de julho de 2004
até 13 de julho de 2009
Conselheira regional de Norte-Pas-de-Calais
Período 26 de março de 2010
até presente
Conselheira regional de Ilha de França
Período 28 de março de 2004
até 21 de março de 2010
Conselheira regional de Norte-Pas-de-Calais
Período 15 de março de 1998
até 28 de março de 2004
Vida
Nome completo Marion Anne Perrine Le Pen
Nascimento 5 de agosto de 1968 (48 anos)
Neuilly-sur-Seine (92), França
Nacionalidade  França
Progenitores Mãe: Pierrette Lalanne
Pai: Jean-Marie Le Pen
Dados pessoais
Alma mater Universidade de Paris
Partido Frente Nacional
Religião Catolicismo Romano[1]
Profissão Advogada
Website www.marine2017.fr

Marine Le Pen (Neuilly-sur-Seine, Altos do Sena, 5 de agosto de 1968) é uma advogada e política de extrema-direita da França. Deputada do Parlamento Europeu desde 2004, foi eleita presidente da Frente Nacional em 16 de janeiro de 2011, em substituição a seu pai, Jean-Marie Le Pen. É também conselheira regional de Nord-Pas-de-Calais desde março de 2010 e conselheira municipal de Hénin-Beaumont desde março de 2008.

Foi candidata à presidência da França nas eleições de 2012. Em 7 de março de 2011, o jornal Le Figaro deu Marine como franca favorita nas pesquisas eleitorais para a eleição de 2012, com 24% dos votos, à frente do presidente Nicolas Sarkozy e do pré-candidato do PSF, já tendo garantido sua passagem para o segundo turno das eleições presidenciais.[2] Entretanto, no primeiro turno das eleições presidenciais francesas de 2012 ficou em 3º lugar, atingindo 18% dos votos, imediatamente atrás de Sarkozy e, dois lugares abaixo de François Hollande, candidato socialista e vencedor do primeiro turno. Foi o melhor resultado da Frente Nacional em eleições na França.[3]

Nos últimos meses vem impondo-se na vida política, obtendo recordes de audiência na televisão, com um talento oratório que faz recordar o de seu pai.[4] Seu pai, em 2002, conseguiu chegar ao segundo turno junto com Jacques Chirac. Com esta finalidade, Marine Le Pen adotou temas ligados ao sucesso de seu pai: oposição à imigração, retorno da pena de morte e denúncia da "casta política" e dos "eurocratas" de Bruxelas. Assim como o pai, gosta das frases trabalhadas e de provocar. Recentemente, comparou a ocupação nazista às rezas dos muçulmanos nas ruas, por falta de locais de oração. Seus discursos contra os muçulmanos são semelhantes a posições defendidas pela direita populista e a direita em outros países europeus, como Suíça, Polônia e Holanda.

Marine tem tomado medidas para moderar a imagem da Frente Nacional e fazer esquecer os desvios antissemitas ou negacionistas de seu pai, [5]que qualificou em 1987 as câmaras de gás de "um detalhe da história da Segunda Guerra Mundial", e livrar o partido das acusações de que membros da Frente Nacional têm simpatia pelo Nazismo. Em abril de 2011, Marine expulsou da Frente Nacional o legislador regional Alexandre Gabriac, que em uma foto divulgada pela revista Le Nouvel Observateur aparecia fazendo a saudação nazista em frente a uma bandeira nazista.[6]


Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Autobiografia[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Marine Le Pen
Oficial
Outros
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.