Marinha do Exército de Libertação Popular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
中国人民解放军海军
Marinha da China
Naval Ensign of the People's Republic of China.svg
Ensígnia Naval da República Popular da China
País  China
Corporação Marinha
Sigla PLAN
Criação 1950
História
Guerras/batalhas Guerra Civil Chinesa
Guerra Sino-vietnamita
Pirataria na Somália
Logística
Efetivo 250 000 militares
469 navios
650 aeronaves
Comando
Comandante Almirante Wu Shengli

A Marinha do Exército de Libertação Popular em tradução literal dos caracteres "PLA" que quer dizer "Nacional Libertação Armada"(chinês simplificado: 中国人民解放军 海军; chinês tradicional: 中国人民解放军 海军; pinyin: Zhōngguó Rénmín Jiěfàngjūn Hǎijūn) é o ramo naval do Exército de Libertação Popular da China. Até o início de 1990, desempenhou um papel subordinado às forças terrestres chinesas. Desde então, passou por uma rápida modernização. É atualmente a segunda maior marinha do mundo. Com um efetivo de mais de 250.000 militares, também inclui 35.000 da Força de Defesa Costeira e 56.000 Fuzileiros Navais, além de 56.000 da Aviação Naval Chinesa que operam várias centenas de aviões baseados em terra e helicópteros baseados em navios. Como parte do seu programa global de modernização, a Marinha Chinesa tem um plano para ser uma marinha de águas azuis.[1]

Missão[editar | editar código-fonte]

Unidades navais principais na região militar da China, em 2006. (Fonte: Departamento de Defesa dos Estados Unidos)

Tempos de paz:

  • Patrulha marítima das águas territoriais
  • Estabelecer presença nas águas territoriais disputadas e proteger os atuais interesses
  • Combater a pirataria, o contrabando e realizar busca e salvamento
  • Manter a segurança das águas territoriais
  • Apoio logístico aos combatentes em guarnições de ilhas
  • Manter a segurança das linhas marítimas de comunicações

Tempos de guerra:

  • Defesa litorânea dos mares locais
  • Bloqueio ou proteção das rotas marítimas vitais e pontos de estrangulamento (por exemplo, Estreito de Taiwan)
  • Transporte tático, suporte e operações anfíbias das forças terrestres
  • Defesa aérea
  • Operações anti-submarino
  • Engajamento de navios inimigos
  • Apoio logístico aos combatentes em guarnições de ilhas

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História Naval da China
Um marinheiro chinês armado com um fuzil derivado do AK-47, em 1986.

A Marinha do Exército de Libertação Popular formou-se com o efetivo das unidades da Marinha da República da China, que desertaram para o Exército de Libertação Popular perto do fim da Guerra Civil Chinesa. Em 1949, Mao Zedong afirmou que "para se opor à agressões imperialistas, devemos construir uma poderosa marinha". Durante a operação de desembarque na ilha de Hainan, os comunistas utilizaram juncos de madeira equipados com canhões de montanha como transporte e também como navios de guerra contra a Marinha da República da China. A Academia Naval foi criada em Dalian em 22 de novembro de 1949, em sua maior parte com instrutores soviéticos. A Marinha foi criada em setembro de 1950, através da consolidação das forças navais regionais sob o comando do Departamento Geral de Pessoal em Jiangyan, e atualmente em Taizhou, província de Jiangsu. Nos ultimos anos, em vista das tentativas americanas de fechar as rotas de abastecimento de materias-primas para a China, o pais iniciou um enorme plano de reaparelhamento de seus meios navais, hoje ha 84 navios de guerra Stealth em construcao na China com extimativa de serem entregues a marinha ate 2017.

Equipamento[editar | editar código-fonte]

Porta-aviões
Nome Origem Tipo Quantidade Observações Foto
Classe Kuznetsov  União Soviética Porta-aviões 1 Antigo Varyag, atualmente comissionado pela República Popular da China com o nome Liaoning
USNWC Varyag01.jpg
Navio de assalto anfíbio
Nome Origem Tipo Quantidade Observações Foto
Classe Yuzhao  China Navio de assalto anfíbio 2 (3 em serviço, 3 em construção)
Yuzhao (Type 071) Class Amphibious Ship.JPG
Contratorpedeiro
Nome Origem Tipo Quantidade Observações Foto
Classe Luyang II  China Contratorpedeiro 2 (2 em serviço, 4 em construção)
Fleet Hangchow Bay Bridge-1-.jpg
Classe Luzhou  China Contratorpedeiro 2 (2 em serviço)
US Navy 090423-N-1251W-103 Sailors assigned to the guided-missile destroyer USS Fitzgerald (DDG 62) man the rails and render honors to the People's Liberation Army Navy.jpg
Classe Luyang  China Contratorpedeiro 2 (2 em serviço)
Fleet Hangchow Bay Bridge-1-.jpg
Classe Luhai  China Contratorpedeiro 1 (1 em serviço)
Chinese destroyer Shenzhen DDG167.jpg
Classe Sovremennyy  China Contratorpedeiro 4 (4 em serviço)
Destroyer Okrylenny.jpg
Classe Luhu  China Contratorpedeiro 2 (2 em serviço)
Chinese destroyer HARIBING (DDG 112).jpg
Classe Luda  China Contratorpedeiro 13 (13 em serviço, 3 retirados)
Luda-III Zhuhai DN-SD-01-05827.jpg

Referências

  1. «Chinese navy urged to go from coastal waters to oceans». News.xinhuanet.com. 2009-03-07. Consultado em 2010-10-25. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.