Marisa Letícia Lula da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Marisa Letícia Lula da Silva
Dona Marisa Letícia e Luiz Inácio Lula da Silva em foto oficial (Foto: Ricardo Stuckert / Agência Brasil).
Primeira-dama do Brasil
Período 2003 a 2010
Antecessor(a) Ruth Cardoso
Sucessor(a) Vago[1]
Vida
Nascimento 7 de abril de 1950 (65 anos)
São Bernardo do Campo, SP
Nacionalidade  brasileira
Itália italiana
Dados pessoais
Cônjuge Marcos Cláudio da Silva (1970-1971)
Luiz Inácio Lula da Silva (1974-presente)
Religião Católica romana

Marisa Letícia Lula da Silva GCCGCL nascida Marisa Letícia Rocco Casa, (São Bernardo do Campo, 7 de abril de 1950) foi a primeira-dama do Brasil de 1 de janeiro de 2003 a 1 de janeiro de 2011, quando seu marido, Luiz Inácio Lula da Silva, esteve no cargo de presidente da República.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vida familiar[editar | editar código-fonte]

Filha de Antônio João Casa (filho de Giovanni Casa e Carolina Gambirasio) e Regina Rocco (filha de Mariano Rocco e Giovanna Boff), Marisa nasceu numa família de imigrantes italianos (lombardos de Palazzago, província de Bérgamo[2] ) de origem agrícola. Morou com os dez irmãos no sítio dos Casa até os cinco anos de idade. Neste sítio, seu avô paterno construiu uma capela em homenagem a Santo Antônio[desambiguação necessária], ainda existente. Hoje, toda a área do sítio chama-se Bairro dos Casa, em homenagem a seus antepassados, pioneiros da região.

Em 1955, Marisa e sua família mudaram-se para o centro de São Bernardo do Campo, Região do Grande ABC, em São Paulo. Depois de frequentar uma escola humilde, Marisa foi transferida, na terceira série, para o Grupo Escolar Maria Iracema Munhoz. Aos nove anos, já tinha experiência como pagem de três garotas mais novas.

Aos treze anos de idade, com a autorização do pai, Marisa começou a trabalhar na fábrica de chocolates Dulcora, como embaladora de bombons. Permaneceu nesta até os dezenove anos de idade, quando se casou com o taxista Marcos Cláudio e deu à luz seu primeiro filho, Marcos. Seis meses após o casamento, ainda grávida, Marisa perdeu o marido, assassinado a tiros.

Mais tarde, em 1973, trabalhou como inspetora de alunos em um colégio estadual. Neste mesmo ano, já viúva, conheceu Lula no Sindicato dos Metalúrgicos de sua cidade-natal. Os dois se casaram sete meses depois. O relacionamento de mais de trinta anos gerou três filhos: Fábio, Sandro e Luís Cláudio. Marisa tem ainda uma enteada, Lurian, filha de Lula e sua ex-namorada Miriam Cordeiro.

Em 1980, quando Lula e diversos sindicalistas estavam presos devido às greves, liderou a Passeata das Mulheres, em protesto pela prisão dos sindicalistas.

Vida política de Lula[editar | editar código-fonte]

Marisa começou na vida política militando ao lado do marido (eleito presidente do Sindicato em 1975) para que outras mulheres se juntassem ao movimento sindical na região. Em 1978, iniciaram-se as greves no ABC paulista.

Foi Marisa quem cortou e costurou a primeira bandeira do Partido dos Trabalhadores, quando este foi fundado em 10 de fevereiro de 1980. Participou ativamente no início das atividades do partido, ajudando a criar núcleos e a estampar camisetas. Com a intervenção do Governo Federal no Sindicato em abril do mesmo ano, Lula e outros sindicalistas foram presos, e as reuniões eram realizadas ilegalmente em sua casa.

Nesse período, ela organizou uma passeata de mulheres pela libertação dos sindicalistas. Centenas de mulheres e de crianças, todas cercadas por policiais, tanques e cavalaria, saíram da Praça da Matriz e caminharam pela rua Marechal Deodoro até o Paço Municipal, retomando à Igreja da Matriz.

Durante as disputas eleitorais de 1982, 1986, 1994 e 1998, nas quais Lula se candidatou, Marisa dedicou-se aos filhos, à casa e às campanhas. Em 2002, entretanto, com os filhos já adultos, pôde se dedicar exclusivamente à campanha do marido.

Em 1º de janeiro de 2003, Marisa Letícia tornou-se a primeira-dama do Brasil. Em outubro daquele mesmo ano, recebeu a Grã-Cruz da Ordem do Mérito Real, durante a visita do Rei Haroldo V e da Rainha Sônia da Noruega. A 23 de Julho de 2003 foi agraciada com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade e a 5 de Março de 2008 com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo.[3] Nos oito anos como primeira-dama do Brasil, Marisa Letícia não participou ativamente de nenhum projeto, fato duramente criticado pela oposição. Tradicionalmente a primeira-dama realiza projetos sociais, em paralelo as ações oficiais.

No primeiro turno das eleições de 2006, Marisa não deu tanto apoio a Lula quanto nas eleições anteriores. Assim como o marido, acreditava que a disputa seria resolvida no primeiro turno. Entretanto, com a disputa encaminhada para segundo turno, Marisa começou a participar mais ativamente da campanha, mantendo uma agenda própria e realizando caminhadas sozinha em prol do marido em Brasília e em Goiânia.

Nomes[editar | editar código-fonte]

Marisa nasceu Marisa Letícia Casa, filha de Antonio João Casa e Regina Rocco Casa. Ao casar-se, seu nome passou para Marisa Letícia Casa dos Santos. Ao casar-se pela segunda vez, passou para Marisa Letícia Casa da Silva. Quando Lula incorporou seu apelido no nome, Marisa mudou novamente de nome, passando a chamar-se Marisa Letícia Lula da Silva.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Marisa Letícia Lula da Silva

Referências

  1. Nota: Dilma Rousseff é divorciada de Carlos Franklin Paixão de Araújo.
  2. http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL585151-5601,00.html
  3. http://www.ordens.presidencia.pt/
  4. Paraná, Denise. Lula, o filho do Brasil.São Paulo, Ed. Fundação Perseu Abramo, 3a. edição, 2a. reimpressão, 2008, p. 332

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedida por:
Ruth Cardoso
Primeira-dama do Brasil
20032010
Sucedida por:
Vago