Mark Bingham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mark Bingham
Nascimento 22 de maio de 1970
Phoenix
Morte 11 de setembro de 2001 (31 anos)
Shanksville
Cidadania Estados Unidos
Alma mater Universidade da Califórnia em Berkeley
Ocupação empresário, jogador de rugby
Prêmios Arthur Ashe Courage Award

Mark Kendall Bingham (Os Gatos, 22 de maio de 1970 — Município de Stonycreek, 11 de setembro de 2001) foi uma vítima dos Atentados de 11 de setembro de 2001 como passageiro do Voo United Airlines 93.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi filho de Alice Hoagland, uma aeromoça (hospedeira de bordo) e mãe solteira, que o criou em Miami e desde 1983, em San Diego. Desde o secundário Bingham se destacou como jogador de rugby, servindo como oitavo e foi titular do São Francisco Fog RFC.

Com a idade de 21 anos tornou pública a sua homossexualidade e foi um empresário de Relações públicas.

11 de setembro de 2001[editar | editar código-fonte]

Bingham tinha intenções de assistir ao casamento de seu melhor amigo, do que seria padrinho. Levantou-Se tarde e perdeu o seu voo para San Francisco. Assim abordou o próximo voo para aquela cidade às 7:40; o voo 93 da United Airlines.

Durante o sequestro comandado por Ziad Jarrah, Bingham chamou a sua mãe, e informou-o da situação. A mãe de Bingham, que estava observando pela televisão as notícias sobre o ataque suicida contra o World Trade Center, percebeu as intenções dos sequestradores do voo de seu filho e, assim, ela lhe aconselhou que fizesse algo para ajudá-lo.

Mark Bingham foi um dos líderes da guerra contra os terroristas da Al-Qaeda.

Legado[editar | editar código-fonte]

Atualmente Bingham é citado como um exemplo de coragem em seu país, e como um orgulho da comunidade homossexual e do rugby americano.[2]

Referências