Marlboro Man

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marlboro Logo.svg

O Marlboro Man é um personagem usado na publicidade de cigarros da marca Marlboro. A campanha criada por Leo Burnett Worldwide, é considerada uma das campanhas publicitárias mais brilhantes de todos os tempos.[1] Jack Landry, o executivo de publicidade da Philip Morris, coordenadamente com a agência de Leo Burnet apareceram com "comerciais que vão trazer novos fumantes para o Marlboro... [que transmitem] "a imagem certa para capturar a fantasia da juventude...[e projeta] um símbolo perfeito de independência e rebeldia individualista" - e assim surgia o "cowboy da Marlboro" ou Marlboro Man.[2]

Descrição[editar | editar código-fonte]

O Marlboro Man aparece como um cowboy solitário a cavalo, geralmente em atividades associadas ao Velho Oeste, conduzindo cavalos por rios em cenários de natureza. [3] As fotos eram importantes na construção do novo caráter e personalidade da marca e geralmente cobria uma página inteira de revista.[4]

Controvérsia[editar | editar código-fonte]

Cinco homens que apareceram em anúncios morreram de doenças pulmonares ligadas ao fumo:

  • David Millar, Jr., o original Marlboro man, morreu de enfisema em 1987,[5]
  • Dick Hammer, o único que não era um cowboy na vida real morreu de câncer de pulmão mas não era fumante[8]
  • Wayne McLaren, o primeiro que interpretou o Marlboro man, morreu de câncer de pulmão em 1992, aos 52 anos.[7] McLaren testemunhou a favor da legislação anti-tabagismo na idade de 51. Durante o tempo de ativismo anti-tabagismo de McLaren, a Philip Morris negou que a McLaren já tivesse aparecido em qualquer anúncio de Marlboro, em resposta, McLaren recolheu o depoimento de uma agência de talentos que o representou e um cheque de pagamento confirmando que ele tinha sido pago para um trabalho "impresso da Marlboro".[9] [10]
  • Eric Lawson, que era fumante desde os 14 anos, foi contratado para participar nos anúncios da Marlboro entre 1978 e 1981 morreu com cancro no pulmão, aos 72 anos no dia 10 de janeiro de 2014.[11]

Referências

  1. Katie Connolly (3 de janeiro de 2011). «Six ads that changed the way you think». BBC 
  2. "(...) o Marlboro Man foi o resultado de "meses tentando achar a imagem certa que capturasse a fantasia de mercado da juventude."", Ann Marie Barry. Visual Intelligence: Perception, Image, and Manipulation in Visual Communication. SUNY Press; 1997. ISBN 978-0-7914-3435-2. p. 278.
  3. Men and masculinities. 1. A - J. ABC-CLIO; ISBN 978-1-57607-774-0. p. 499.
  4. Julian Watkins. The 100 Greatest Advertisements 1852-1958: Who Wrote Them and What They Did. Courier Dover Publications; 2012. ISBN 978-0-486-14408-5. p. 217.
  5. Don Tapscott; David Ticoll. The Naked Corporation: How the Age of Transparency Will Revolutionize Business. Free Press; 2003. ISBN 978-0-7432-5350-5. p. 282.
  6. Tim Williamson. Escape from Smoking: Look Younger, Feel Younger, Make Money and Love Your Life!. John Wiley & Sons; 2011. ISBN 978-0-7303-7602-6. p. 25.
  7. a b Harold V. Cordry. Tobacco: A Reference Handbook. ABC-CLIO; 1 January 2001. ISBN 978-0-87436-967-0. p. 130.
  8. Angie Johnston. Today's a Great Day to Quit Cigarettes: Kick your smoking in the butt.. Angie Johnston; 2012. ISBN 978-0-9874744-0-7. p. 21.
  9. «Wayne McLaren, 51, Rodeo Rider and Model». The New York Times. 25 de julho de 1992. Consultado em 8 de setembro de 2013 
  10. Noel L. Griese. Conquering Cancer: Progress in 2003. Anvil Publishers, Inc.; 2004. ISBN 978-0-9704975-5-0. p. 109.
  11. «Antigo "Marlboro Man" morreu com cancro no pulmão» 


Veja também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]