Martin Luther, Heretic

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde fevereiro de 2018).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Martin Luther, Heretic
Reino Unido
EUA

70 minutos min 
Direção Norman Stone
Produção David M. Thompson
Roteiro William Nicholson
Elenco Jonathan Pryce
Maurice Denham
Hugh Dickson
John Nettleton
Clive Swift
Hugh Laurie
Distribuição British Broadcasting Corporation (BBC)
Family Films
Concordia Films
Lançamento 08 de novembro de 1983
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Martin Luther, Heretic é um filme de 1983 feito para comemorar os 500 anos do nascimento de Martinho Lutero. Ele foi lançado em 8 de novembro de 1983, no Reino Unido, dois dias antes de jubilar os 500º ano, em 10 de novembro. Estrelado por Jonathan Pryce como Martinho Lutero. Maurice Denham reprisou seu papel de Johann von Staupitz que ele atuou em 1973 no filme Lutero. O tempo do filme é de 1506 à 1522: inicia na vocação monástica de Lutero e vai até seu retorno do exílio em Wartburg, em 1522.

Inconsistências históricas[editar | editar código-fonte]

  • Alguns poderiam interpretar o retrato de Martinho Lutero, regressando a Wittenberg, que ocorreu no início de 1522, como a sua aprovação das mudanças radicais instigadas por Andreas Karlstadt no ano anterior. No entanto, historicamente, Lutero opôs-se a algumas das mudanças, bem como à imprudência das mudanças que aprovou. O filme faz a ruptura das mudanças radicais como a instigação de seu retorno, implicando assim, provavelmente com razão, a necessidade que ele sentiu para moderá-los. Ele pregou seus "Sermões de Invocavit" contra essa reforma radical em Wittenberg, e ele teve algumas das mudanças revertida.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]