Mascarão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mascarão no edifício da Bolsa de Nancy, na França.

Em arquitetura, um mascarão (do francês mascaron) é uma face decorativa, por vezes assustadora, chamada também de carranca, ou quimera cuja função originalmente era assustar espíritos malignos para que não entrassem no edifício. O conceito foi depois adaptado para se tornar um elemento puramente decorativo. O mais recente estilo arquitetônico a fazer uso de mascarões foi o Beaux-Arts.

Mascarão era igualmente, na Roma antiga, uma peça de bronze que representava um rosto masculino, barbudo, encimado por uma argola. Os mascarões eram soldados nos lados opostos de um balde metálico e pelas suas argolas passava uma asa, igualmente metálica, através da qual o balde podia ser suspenso.[1]

Referências

  1. ALARCÃO, Jorge de; BARROCA, Mário. Dicionário de Arqueologia Portuguesa. Porto, Figueirinhas, 2012, ISBN 978-972-661-219-3, p. 209.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Mascarão