Massimo Carmassi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Massimo Carmassi (Pisa, 5 de Junho de 1943) é um arquiteto italiano.

Vida[editar | editar código-fonte]

Massimo Carmassi se formou em 1970 na Faculdade de Arquitetura de Florença, na Itália. Fundou o Ufficio Progetti – escritório de arquitetura da prefeitura da cidade de Pisa - em 1974, restando como diretor até 1990. De 1981 até 1985 foi também Presidente da Ordem dos Arquitetos de Pisa e Região. Entre os diversos reconhecimentos à sua carreira profissional, recebeu a Medalha de Ouro Heinrich Tessenow, da fundação Heinrich Tessenow Gesellschaft e V. (Alfred Toepfer Stiftung F.V.S.), foi nomeado Acadêmico no setor de Arquitetura da Accademia delle Arti del Disegno com sede em Florença desde 1563, e ainda nomeado Acadêmico pela Accademia Nazionale di San Luca, fundada em 1593. Ė membro da Internazionale Bauakademie Berlin e Honorary Fellow do American Institute of Architects. Seu trabalho se estende seja ao setor do restauro seja àquele da arquitetura contemporânea e do projeto urbanístico. Atualmente é professor de projeto arquitetónico e urbanístico no Istituto Universitario di Architettura de Venezia (IUAV) tendo ensinado anteriormente projeto arquitetónico nas Faculdades de Arquitetura italianas de Ferrara, Génova, Turim, Reggio Calabria, e fora da Itália, na Accademia di Architettura di Mendrisio (Università della Svizzera Italiana), no Hochschule der Kunst de Berlim, e na Syracuse University de Nova Iorque.

Filosofia de projetol[editar | editar código-fonte]

“Na realidade os edifícios antigos se apresentam aos nossos olhos como somatório das infinitas intervenções de gerações de promotores, habitantes, arquitetos; trata-se de edifícios gerados por muitos autores, muitas vezes desconhecidos. Este condição investiu tais construções de um grande valor, de uma rara beleza dificilmente catalogável e frequentemente resultante do acaso e da contingência. O nosso fim último é aquele de conservar e restituir à luz tal riqueza, não somente em termos de património documental, mas igualmente em termos de unidade estética”.[1]

Principais obras[editar | editar código-fonte]

No setor da arquitetura e do projeto urbanístico:

  • Pisa (IT) 1982-2002: Cimitero di San Piero a Grado
  • Pontedera (Pisa- IT) 1993-1998: Edificio Cooper 2000
  • Cascina (Pisa- IT ) 1998: Interferometro Virgo, antena interferométrica para ondas gravitacionais
  • Roma 1998-99: Palazzo Congressi Italia-EUR. Concurso Internacional, entre os sete projetos selecionados
  • Roma 2000: Ampliação da Galleria Nazionale d’Arte Moderna de Roma, Concurso Internacional, entre os oito projetos selecionados
  • Livorno(IT) 2001: Reestruturação urbana do bairro Shangai
  • Pisa 1986-2002: Reconstrução do Complesso di San Michele in Borgo, residências económicas, serviços
  • Fermo(IT) 2002: Reestruturação do lado norte do centro histórico, estrutura de acesso à parte alta da cidade e terminal de ônibus.
  • Trevi (Perugia-IT) 2002: Complexo escolar na praça Garibaldi
  • Arezzo (IT) 2002: Ampliação do Cimitero Urbano
  • Torino 2003:projeto de reestruturação urbana do complexo comercial, de serviços e residencial na área denominada “Lingottino”
  • Roma 2004: Reestruturação urbana do complexo do porto fluvial
  • Parma (IT)2007: Complexo residencial e de serviços para oitocentos estudantes no campus universitário
  • Arcore (Milão –IT) 2007: Escola Materna

No setor do restauro:

  • Pisa 1979/98: Recuperação da cinta das muralhas medievais (mura medioevali), dos edifícios e das áreas adjacentes
  • Pisa 1989: Restauro do Teatro Municipal Giuseppe Verdi - Teatro Verdi (Pisa)
  • Siena (IT) 1992: Ospedale di Santa Maria della Scala. Restauro do complexo multifuncional destinado a uso como Museu. Concurso, 2° classificado
  • Lipsia, Alemanha 1995: Reconstrução da Markt Galerie no centro histórico para residências e escritórios – concurso, 1° prêmio
  • Senigaglia (IT)1998: Restauro do Forum Annonario como Biblioteca Municipal e Arquivo Histórico
  • Gavorrano (IT)2001: Restauro da estrutura de extração mineral de Ravi-Marchi
  • Guastalla (IT) 2001: Restauro do Palácio Ducal da família Gonzaga como Museu e Biblioteca Municipal
  • Ferrara (IT)2002: Polo museológico de arte moderna e contemporânea de Ferrara, projeto
  • Lucca (IT)2002: Restauro do Real Collegio no Convento de S. Frediano como museu de arte sacra
  • Verona (IT)2009: Restauro dos Silos di ponente e do panificio da Caserma de S. Marta para a Faculdade de Economia e Comercio da Università degli Studi
  • Roma 2009: Restauro da “Pelanda” do'ex mattatoio (Roma) no bairro Testaccio

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Progetti per una città. Pisa 1975-85, Electa, Milano 1986;
  • G. Ciucci, Francesco Dal Co, Atlante dell’Architettura Italiana del Novecento, Electa, Milano,1991, p. 71;
  • S. Polano con M. Mulazzani, Guida all’architettura italiana del ’900, Electa, Milano, 1991, pp. 370-371
  • Massimo Carmassi, Pisa, il rilievo della città, a cura de F. Sainati, Alinea Editrice, Firenze, 1991
  • Architettura della semplicità, Electa, Milano 1992;
  • Presidenza del Consiglio dei Ministri (a cura di), Immagini dell’architettura italiana 1970-1990, Poligrafico, Roma, 1993 p.84;
  • Il Restauro del Teatro Verdi di Pisa, Pacini, Pisa 1994;
  • Red., Massimo Carmassi, in Enciclopedia Treccani. volume de atualização, Enciclopedia, Roma 1995
  • G. Lelli (a cura de), Massimo Carmassi. Progetto urbano e architettura, Alinea, Firenze, 1996
  • Del Restauro: quattordici case, Electa, Milano 1998;
  • V. Fontana, Gli ultimi vent’anni, in Profilo di architettura italiana del Novecento, Marsilio, Venezia, 1999, pp.283;
  • Massimo Carmassi, in V. Magnago Lampugnani (a cura di), Dizionario dell’architettura del Novecento, Skira, Ginevra-Milano, 2000 p. 78;
  • M. Carmassi, Approcci Metodologici, Progetto di restauro, Metodologie di progettazione del Restauro, in Il Manuale del Restauro Architettonico, (direttore scientifico L. Zevi), Mancosu Editore, Roma, 2001, PP. 151-211
  • E. Godoli (cura di), Architetture del Novecento. La Toscana, Regione Toscana-Fondazione Michelucci-Edizioni Polistampa, * Firenze, 2001 pp. 156-159, 304-311, 324-325;
  • R. Ingersoll, Massimo Carmassi, in “c3korea”, n. 214, 2002 pp. 68–145 (monografico);
  • Massimo & Gabriella Carmassi, Senigallia Pubblic Library, Verba Volant, Londra 2002;
  • The Phaidon Atlas of contemporary world architecture, Phaidon Press, London, 2004 p. 569:
  • M. Mulazzani, Opere e progetti, Massimo e Gabriella Carmassi, Electa, collana Documenti di architettura, introdução de F. Dal Co, Electa, Milano 2004
  • AA. VV., Identità dell'architettura italiana 3, introdução de Paolo Zermani, Edizioni Diabasis, pp. 34–35;
  • Massimo Carmassi, Pisa, la ricostruzione di San Michele in Borgo, Il Poligrafo, Padova 2005;
  • Massimo Carmassi, Conservazione e architettura, Progetto per il campus universitario di Verona, Marsilio, Venezia 2007.

Notas [editar] 1.^ cit. Davide Turrini, Il restauro secondo Massimo Carmassi, intrevista in “Costruire in laterizio”, n°127 janeiro/fevereiro, pp. 40–43

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. cit. Davide Turrini, Il restauro secondo Massimo Carmassi, entrevista em “Costruire in laterizio”, n°127 janeiro/feverereiro, pp. 40-43

Ligações externas[editar | editar código-fonte]