Masterplan - O Grande Mestre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Masterplan - O Grande Mestre
Logótipo do Masterplan.
Informação geral
Formato Reality show
Duração 6 meses
Criador(es) Endemol
País de origem Portugal Portugal
Idioma original português
Apresentador(es) Herman José
Marisa Cruz
Transmissão original 4 de Março de 2002 – 6 de Setembro de 2002

Masterplan - O Grande Mestre - ou simplesmente Masterplan - foi um reality show exibido pela SIC em 2002 e apresentado por Herman José e Marisa Cruz. Este reality show celebrizou Gisela Serrano, que ficou conhecida como "mulher-furacão". O programa acompanhava, durante 24 horas por dia, a vida de dois concorrentes (um homem e uma mulher), separadamente, assim como dois desafiadores (também um homem e uma mulher), que tentavam tomar o lugar dos concorrentes do mesmo sexo. Os concorrentes tinham de executar as mais variadas tarefas. A música do genérico deste reality show chama-se "Sigo a Viagem", do duo feminino Gémeas (ex-participantes da versão portuguesa de Popstars). Gisela Serrano, a concorrente mais popular - e também quem conseguiu permanecer mais tempo como concorrente no Masterplan -, acabou por desistir em Junho de 2002, citando cansaço na altura e afirmando, apenas uma década mais tarde, que alguém da produção do programa lhe tinha dito que os resultados seriam manipulados para que ela não vencesse o concurso.[1] Devido à sua desistência, acabou por não se qualificar para vencedora do Masterplan. As imagens das agressões entre Gisela Serrano e uma desafiadora, Sandra Leão, acabaram por ser publicadas alguns anos mais tarde no YouTube e tornaram-se num dos primeiros vídeos virais do YouTube "português".

No dia de estreia — 4 de Março de 2002 — o Masterplan atingiu uma audiência média de 9,7% e, entre as 20 e as 22h30, foi o quinto programa mais visto.[carece de fontes?]

Formato[editar | editar código-fonte]

Masterplan foi um programa original, ou seja, foi criado de raiz em Portugal, ao contrário da maioria dos reality shows emitidos no país, que são/foram adaptações de franchises internacionais. O programa foi inspirado no filme The Truman Show. O tempo de emissão era incerto e muito dependia do que ia acontecer. Foi previsto que o programa durasse, no máximo, um ano, mas acabou por ter uma emissão de 6 meses. O formato foi vendido a estações de TV dos Países Baixos, da Suécia - o concurso revelou-se um flop de audiências em ambos os países, principalmente no primeiro - e dos EUA.

No Masterplan, o dia-a-dia dos concorrentes era seguido por câmaras, 24 sobre 24 horas, passando depois na TV, em episódios de 30 minutos.

Nesse sentido, todas as pessoas - família, amigos, etc. - envolvidas na vida do concorrente também participavam na história (sendo necessário o seu acordo para tal).

Os dois concorrentes viviam a experiência de estarem nas mãos do "Grande Mestre", um ser invisível, sem rosto, sem corpo e sem voz, que comandava todos os movimentos dos mesmos através de mensagens escritas (SMS) enviadas para os seus telemóveis.

As mensagens eram ordens que tinham como finalidade pôr a descoberto as potencialidades que os concorrentes desconheciam possuir, precisando eles de usar todas as suas qualidades e capacidades para poderem cumpri-las. Estivessem eles onde estivessem, o "Grande Mestre" sabia sempre onde estavam, com quem estavam e o que tinham para fazer.

Semanalmente, os concorrentes eram confrontados com outros candidatos - os chamados "desafiadores" - que tinham de fazer o que fosse possível para os substituírem no concurso. À Sexta-feira, nas chamadas "galas" em directo, os telespectadores votavam para decidir quem ficava ou abandonava o Masterplan, através do site oficial do concurso, de chamada telefónica ou de SMS.

O programa diário[editar | editar código-fonte]

Emitido de segunda a sexta - normalmente depois do Jornal da Noite - e apresentado por Marisa Cruz, tinha a duração de 30 minutos e incluía os melhores momentos vividos pelos dois concorrentes e pelos respectivos desafiadores no dia anterior. Pretendia transmitir de uma forma tão fiel quanto possível o dia-a-dia de pessoas normais. O cuidado tido com a montagem visava obter uma narrativa que reflectia as aventuras e peripécias vividas.

O programa semanal[editar | editar código-fonte]

Era transmitido em directo às Sextas-Feiras, contando sempre com a presença dos concorrentes em estúdio. A Herman José, o apresentador, cabia o papel de comentar os acontecimentos da semana. O apresentador conversava quer com os concorrentes, quer com os familiares e amigos, assim como com os desafiadores da semana em questão.

Edições[editar | editar código-fonte]

Concorrentes[editar | editar código-fonte]

Gonçalo's Pets

Masterplan Famosos[editar | editar código-fonte]

Após o fim do Masterplan, tudo indicava que iria haver uma edição do programa com pessoas já conhecidas (inclusivamente, durante o últimos meses do Masterplan, houve concorrentes convidados, que eram personalidades já conhecidas do público português, como a astróloga e apresentadora de TV Maya). O próprio Herman José confessou que serviria também para comemorar os dez anos da estação e que o formato lhe agradava: "Sinceramente acho que a ligação entre a estação e a Endemol deve resultar!" Nos bastidores avançava-se que o mês de arranque desse formato seria Fevereiro de 2003. Francisco Pinto Balsemão também admitiu tal formato. Questionado pelo Correio da Manhã sobre a possibilidade de isso acontecer, Balsemão respondeu que tudo era possível e que se tratava de "uma hipótese a ponderar". Quanto ao facto de se tratar de copiar a concorrência, o "patrão" da SIC fez questão de realçar que o formato do Big Brother Famosos - onde, ironicamente, Gisela Serrano viria a participar, abandonando um reality show em preparação que iria acompanhar a sua vida conjuntamente com a família e Luís Mendes - também era "uma cópia do programa Casa dos Artistas brasileiro". Apesar de tudo isto, Masterplan Famosos não se veio a concretizar.

Referências

  1. Rodrigo, João (3 de março de 2012). «"MASTERPLAN", 10 ANOS DEPOIS GISELA SERRANO FALA DE "MANIPULAÇÃO NAS VOTAÇÕES"». blog-sic.blogspot.pt. Consultado em 16 de fevereiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]