Disciplinas de Hogwarts

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Matérias de Hogwarts)
Ir para: navegação, pesquisa

A Escola de Magia e Feiticeiria de Hogwarts é uma escola fictícia no universo da série literária Harry Potter, sendo o local onde se desenrola a maior parte do enredo. A escola dedica-se ao ensino da magia e sua grade curricular tem diversas matérias.

No primeiro ano os alunos devem cumprir as matérias obrigatórias, e depois, a partir do terceiro ano, além das matérias obrigatórias podem escolher dentre as disciplinas opcionais que querem estudar. No quinto ano, os alunos prestam o N.O.M. das matérias que escolheram para determinar se podem, ao atingir nota suficiente, prestar o N.I.E.M. no 7.º ano.

Todos os alunos do primeiro ano em Hogwarts têm sete matérias: Transfiguração, Feitiços, Poções, Astronomia, História da Magia, Defesa contra as Artes das Trevas e Herbologia. As aulas de voo (que não é considerado "disciplina escolar") também é obrigatória. No fim do segundo ano, os alunos devem escolher ao menos duas das seguintes disciplinas: Aritmancia, Estudo dos Muggles, Adivinhação, Estudo das Runas Antigas e Trato das Criaturas Mágicas.

Disciplinas obrigatórias[editar | editar código-fonte]

Defesa contra as Artes das Trevas[editar | editar código-fonte]

Uma matéria essencial para se tornar um auror é a matéria mais importante do mundo bruxo. Os alunos do 1° ano aprendem a feitiços básicos de defesa. Até 1992, o Professor era Quirinus Quirrell. No 2° Ano (1992-1993), os alunos aprendiam sobre Pragas Domésticas como Diabretes da Cornualha ou Gnomos de Jardins, e o professor era Gilderoy Lockhart. Já no 3° ano (1993-1994), o ensino se focava em Criatura das Trevas como Barretes Vermelhos, Grindylows, Bichos Papões e Lobisomens, e o professor era Remo Lupin. No 4° Ano (1994-1995), a disciplina era ensinada por Alastor Moody, e se focava na defesa das Maldições Imperdoáveis. O 5° Ano (1995-1996) foi ensinado por Dolores Umbridge, cujo assunto não foi especificado, pois a professora não queria aulas práticas, apenas teóricas (que, a propósito, não foram muito aceitas pelos alunos, mas Dolores Umbridge sempre achou que as ideias do Ministro da Magia eram a forma mais correta). No 6° ano (1996-1997), o professor foi Severus Snape, e os alunos estudavam as Maldições Imperdoáveis. No inicio do ano letivo de 1997 (em Setembro), Snape se tornou diretor, e o cargo foi assumido por Amico Carrow, que mudou a aula apenas para "Artes das Trevas".

Feitiços[editar | editar código-fonte]

É o tipo de magia em que se pode encantar um objeto para que ele aja de maneira diferente do normal. A disciplina de Feitiços engloba praticamente tudo que não seja Transfiguração, magia que muda a natureza de um objeto.[1]

Pode-se dizer que, se um tipo de magia não é transfiguração então se encaixa em feitiços. Um feitiço pode fazer um objeto piscar de cores variadas, pode fazer algo levitar, pode fazer uma pessoa dançar ou rir, pode criar uma bolha de ar em volta da cabeça de alguém. Em todos esses casos, o objeto ou a pessoa não sofre modificações, apenas faz uma coisa inesperada, diferente do habitual.

Os encantamentos são praticamente o oposto das maldições. Sua maior parte é positiva, enquanto que as maldições possuem um fundo negativo, mau. Isso não quer dizer que feitiços sejam uma magia fraca; um feitiço bem escolhido é uma ferramenta mágica poderosa inclusive contra azarações e maldições.

O professor Filius Flitwick foi um professor que se destacou no ensino da matéria.

Transfiguração[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Transfiguração

A Transfiguração é a arte da transformação através da magia, ou seja, a mudança da natureza da matéria.

Os alunos até ao quinto ano aprendem tópicos da transfiguração de objetos e animais, também os feitiços de conjuração que no máximo fazem aparecer coisas pequenas desparecer.

As classes de N.I.E.M. aprendem desaparecimento e conjuração de coisas grandes e também transfiguração humana.

Os professores que se destacaram no ensino desta matéria foram Minerva McGonagall e Albus Dumbledore.

Poções[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Poções

Em Poções, os alunos aprendem a fabricar, manusear e utilizar poções, antídotos e soros. Essas misturas, na maioria das vezes devem ser bebidas para criar o efeito esperado.

Os ingredientes vão do mais comum ao mais bizarro e fantástico, e os procedimentos para criar as poções podem ser complicados e levar bastante tempo.

Entre os professores que ensinaram esta matéria foram Horácio Slughorn e Severus Snape.

Herbologia[editar | editar código-fonte]

A Herbologia estuda plantas mágicas em geral, os fungos e suas propriedades, incluindo como cuidar das plantas, suas propriedades mágicas e seu uso. Algumas plantas mágicas são ingredientes básicos para poções, outras fazem efeito por conta própria.[1]

É uma matéria relativamente simples mas exige muito cuidado pois a maioria das plantas são venenosas ou atacam quem as toca. Com o passar dos anos os alunos estudam plantas de manuseio mais difícil e delicado.

As aulas de Herbologia são ministradas nas estufas e incluem trabalhos manuais, como replantar mandrágoras, cuidar de Bubotúberas (cujo pus puro causa bolhas na pele e é usado no combate às espinhas), lidar com Arapucosos.

Alguns professores foram Pomona Sprout e Neville Longbottom.

Voo[editar | editar código-fonte]

O Voo não é exatamente uma disciplina, mas seu ensino é obrigatório para os alunos do primeiro ano. Ensina como voar corretamente numa vassoura. Se o aluno quiser aprofundar, as aulas passam a ser matéria extracurricular.[1]

Os voos são praticados ao ar livre, porém, também há uma sala de aula para a aplicação de provas, e aulas com utilização do material de escrita e leitura.

A professora é Rolanda Hooch, que lecionou a matéria durante vários anos em Hogwarts.

História da Magia[editar | editar código-fonte]

A História da Magia é lecionada há muito tempo por um fantasma, o Professor Binns. Os alunos aprendem sobre episódios da história do mundo mágico, como as Rebeliões dos Duendes (século XVII) e as Guerras dos Gigantes (século XIX).[2]

Astronomia[editar | editar código-fonte]

Matéria lecionada pela professora Aurora Sinistra. Em Astronomia, os alunos aprendem a identificar corpos celestes e decifrar os mistérios do céu, dando significados mágicos aos eventos naturais no universo. As aulas são dadas na Torre de Astronomia.

Duelos[editar | editar código-fonte]

Duelos é uma antiga disciplina, que volta a ser lecionada no 2º ano de Harry, quando o mundo bruxo ou a escola está sob ameaça. Em Duelos aprende-se a se defender e atacar os seus inimigos com precaução.[2]

Dois dos lecionantes foram Gilderoy Lockhart e Severo Snape.

Disciplinas opcionais[editar | editar código-fonte]

Adivinhação[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Adivinhação (Harry Potter)

Adivinhação é uma matéria de Hogwarts que ensina como ler folhas de chá, bolas de cristal e ainda como interpretar sonhos. Como o próprio nome já diz, é uma arte mágica voltada para o futuro, e os aprendizes devem ter em mente que nem sempre as adivinhações estão corretas, sendo assim um ramo muito cheio de hipóteses.[3]

A matéria foi ensinada por Sibila Trelawney e o centauro Firenze, entre outros.

Runas Antigas[editar | editar código-fonte]

A disciplina Runas Antigas ensina os alunos a interpretar o significado das runas, pedras com letras do alfabeto rúnico que deriva dos povos nórdicos. Bathsheda Babbling[3]

Aritmância[editar | editar código-fonte]

A Aritmância é um ramo da magia que está ligada às propriedades mágicas dos números.

Um N.O.M de aritmância é necessário para concorrer a um emprego de desfazedor de feitiços no Banco Gringotes.

Aritmância foi ensinada pela Professora Vector. Nas suas aulas, os alunos devem estar aptos a escrever trabalhos e compreender os gráficos numéricos, que são parte do dever de casa.

Estudo dos Muggles[editar | editar código-fonte]

Estudo dos Muggles é uma matéria opcional de Hogwarts. As aulas incluem figuras mostrando muggle erguendo objetos pesados sem usar magia. Os alunos aprendem a importância da eletricidade para a tecnologia dos muggle, entre outros assuntos. A matéria dá ênfase aos aspectos físicos da vida sem magia.

Teve como um dos seus professores a Caridade Burbage, que foi assassinada por ser simpatizante dos trouxas. Depois de sua morte, Aleto Carrow aplica a matéria que se torna obrigatória e ensina como os muggles são um lixo e assim devem ser tratados. A matéria voltou aos moldes anteriores após a queda de Lord Voldemort.[4]

Trato das Criaturas Mágicas[editar | editar código-fonte]

Trato das Criaturas Mágicas é uma matéria de Hogwarts que ensina como tratar as criaturas do mundo mágico. Nos primeiros anos os alunos estudam criaturas pouco perigosas como crupes, amassos, vermes-cegos e tronquilhos. Conforme se passam os anos, as criaturas estudadas vão desenvolvendo mais complexidades e tornando-se verdadeiros desafios para os alunos.[3]

Nos N.I.E.M.'s, costuma-se exigir conhecimentos sobre equinos-alados (as raças de Testrálios, são, em geral tratadas à parte), hipogrifos, grifos, e trasgos.

O professor que se destacou foi Rúbeo Hagrid, que quase foi demitido após um hipogrifo chamado Bicuço (Buckbeak no original) quase arrancar o braço de Draco Malfoy (aluno da Sonserina ou Slytherin). Outra pessoa que lecionou essa matéria foi a Professora Grubbly-Plank, que atuou como substituta de Hagrid, quando este estava envergonhado pela descoberta do seu parentesco com gigantes, ou quando estava secretamente cumprindo tarefas sigilosas para a Ordem da Fênix.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c J.K. Rowling (1997). Harry Potter and the Philosopher's Stone (em inglês). Reino Unido: Bloomsburry. 263 páginas. ISBN 85-325-1101-5 
  2. a b J.K. Rowling (1998). Harry Potter and the Chamber of Secrets (em inglês). Reino Unido: Bloomsburry. 327 páginas. ISBN 972-23-2569-8 
  3. a b c J.K. Rowling (2000). Harry Potter and the Prisoner of Azkaban (em inglês). Reino Unido: Bloomsburry. 352 páginas. ISBN 85-325-1206-2 
  4. J.K. Rowling (2008). Harry Potter and the Deathly Hallows (em inglês). Reino Unido: Bloomsburry. 608 páginas. ISBN 978-85-325-2261-0