Mateus I da Lorena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mateus I, Duque da Lorena
Brasão de Armas da Casa da Lorena.
Cruz de Lorena, símbolo da Lorena no século XV.

Mateus I da Lorena também denominado Matias I da Lorena (1119 - 13 de maio de 1176) foi o Duque de Lorena de 1138 até sua morte.

Mateus sucedeu seu pai no momento em que a dinastia dos Hohenstaufen na Alemanha, assumia o poder. Mateus casou-se com Berta da Suábia, sobrinha do rei Conrado III e irmã do falecido Imperador Frederico Barbarossa, e fortalecendo assim os vínculos entre Lorena e do Sacro Império Romano.

Mateus I irá acompanhar Barbarossa nas suas muitas viagens, principalmente em 1155 quando este parte para Roma a fim de estar presente na coroação de Papa Adriano IV. Tomou também parte na luta entre o imperador eo antipapa Victor IV por um lado, e o Papa Alexandre III e os reis de França e Sicília, pelo outro.

No seu ducado, ele conseguiu o domínio graças a vários assaltos ilegais que fez à Diocese de Toul para o expandir, sendo por esse facto excomungado. Ele também fez grandes doações à igreja e fundou vários mosteiros, incluindo o Mosteiro de Clairlieu, onde ele e sua esposa foram enterrados.[1]

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Foi filho de Simão I da Lorena[2] , Duque de Lorena e de Adelaide de Lovaina, filha do primeiro casamento de sua madrasta, Gertrude da Flandres, com Henrique III de Lovaina. Do seu casamento Berta da Suábia (1138), ele teve:

  1. Simão I da Lorena (1140 - 1 de abril de 1206), sucessor de seu pai nos destinos da Lorena.
  2. Frederico I da Lorena (c. 1143 - 7 de abril de 1207), conde de Bitche e casado com Ludmilla da Polónia (? - 1223), filha de Miecislau III da Polónia (1126 - 13 de março de 1202).
  3. Judite da Lorena (falecida em 1173), casou com Stephen II, conde de Auxonne (1170)
  4. Alice da Lorena (? - 1200), casada com Hugo III da Borgonha, duque de Borgonha.
  5. Thierry da Lorena (morreu 1181), bispo de Metz (1174-1179)
  6. Mateus da Lorena (? - 1208), conde de Toul.
  7. Filha cujo nome os anais não registaram e que morreu jovem.[3] .

Bibliografa[editar | editar código-fonte]

  • Henry Bogdan, La Lorraine des ducs, sept siècles d'histoire.

Referências

  1. Georges Poull, La Maison ducale de Lorraine. Presses Universitaires de Nancy, 1991. 595 p. ISBN 2-86480-517-0. p. 35.
  2. Généalogie de Simon sur le site Medieval Lands
  3. Pauvres duchesses, l'envers du décor à la cour de Lorraine. Éditions Serpenoise, Metz, 2007. ISBN 978-2-87692-715-5. p. 13.