Matilde Campilho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Matilde Campilho
Nascimento 1982 (40 anos)
Lisboa
Cidadania Portugal
Ocupação poetisa, escritora

Matilde Campilho (Lisboa, 20 de Dezembro de 1982) é uma escritora portuguesa.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Matilde Campilho é uma escritora e poeta portuguesa. No período de 2010 a 2013 publicou alguns poemas em jornais do Rio de Janeiro e de São Paulo. Em 2014 saiu o seu primeiro livro, Jóquei. O segundo livro, Flecha, foi publicado em 2020.

Obras[editar | editar código-fonte]

Entre as suas obras encontram-se:[3][4]

  • 2014 - Jóquei, Editora Tinta-da-China, re-editado pela Editora 34 em 2015
  • 2020 - Flecha, Editora Tinta-da-China [5]

Ascendência[editar | editar código-fonte]

Filha de Miguel Maria de Sousa e Holstein Campilho (1 de Junho de 1959), irmão de Pedro Holstein Campilho, neto materno do 5.º Duque de Palmela, Representante do Título de Marquês do Faial, 4.º Conde de Calhariz, 3.º Conde da Póvoa, Representante do Título de Barão de Teixeira e 3.º Visconde de Lançada, e primo em terceiro grau de José Eduardo Pinto da Costa e Jorge Nuno Pinto da Costa, e de sua mulher (22 de Junho de 1980) Maria da Piedade Campos Freire de Sárrea d'Orey (2 de Março de 1960), tetraneta do 1.º Conde da Donalda, 5.ª neta do 5.º Visconde com Grandeza de Asseca Almotacé-Mor do Reino, tetraneta do Representante do Título de Marquês de Sabugosa e 7.º Conde de Sabugosa e 9.º Conde de São Lourenço Alferes-Mor do Reino e trineta do 1.º Visconde de Margaride e 1.º Conde de Margaride, sobrinha-bisneta de José Cardoso de Meneses Martins.[6]

Referências

  1. A luso-carioca Matilde Campilho vai à Flip. Folha de S.Paulo, 29 de março de 2015
  2. Matilde Campilho, uma poeta nômade. O Globo, 21 de junho de 2014
  3. «Matilde Campilho | Wook». www.wook.pt. Consultado em 1 de fevereiro de 2022 
  4. «Pbras de Matilde Campilho presentes no catalogo da Biblioteca Nacional de Portugal». catalogo.bnportugal.gov.pt. Consultado em 1 de fevereiro de 2022 
  5. Santos, Daniel Rocha, Mário. «Matilde Campilho volta a ganhar. "Chapeau!"». PÚBLICO. Consultado em 1 de fevereiro de 2022 
  6. António Luís Cansado de Carvalho de Matos e Silva (2006). Anuário da Nobreza de Portugal 1.ª ed. Lisboa: Dislivro Histórica. pp. Tomo III. Morais Sarmento Campilho 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Matilde Campilho
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.