Matizes (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Matizes
Álbum de estúdio de Djavan
Lançamento Setembro de 2007 [1]
Gravação Junho de 2006 a Abril de 2007
Gênero(s) MPB
Duração 58:59
Idioma(s) Português (BR)
Formato(s) CD
Gravadora(s) Luanda Records
Produção Djavan
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Djavan
Perfil
(2005)
Ária
(2010)

Matizes é um álbum do cantor e compositor brasileiro Djavan, lançado em 2007. Possui canções nos ritmos e estilos mais variados, como samba, blues, baladas, boleros, bossa nova e canções típicas; muitas foram seus hits, como "Pedra", "Desandou", "Fera", "Delírio dos Mortais" e "Adorava Me Ver Como Seu".

Background[editar | editar código-fonte]

O álbum teve diversas críticas mistas e positivas. Em entrevista o cantor-compositor define o título do álbum a partir de sua canção título: "Há uma diversificação de gêneros, ritmos e arranjos que sugere uma certa gradação, por isso o nome Matizes.". Sobre a canção "Imposto" presente em destaque na maioria das críticas, Djavan diz: "É horrível você se sentir lesado para todo lado que se vira. E nem precisa de inspiração para escrever sobre isso. Basta viver no Brasil" [2].

Recepção[editar | editar código-fonte]

Mariano Prunes na Allmusic recebeu o álbum numa crítica mista ao se referir ao álbum como "mais uma exibição exemplar de seu estilo único de composição e canto", com ao desdobrar de sua crítica: "Não é nenhuma obra-prima, mas apenas uma multa para além de uma impecável discografia do Djavan", e se refere a faixas significantes como "Matizes", "Louça Fina", "Delírio dos Mortais" e "Pedra" [3].

O jornalista Hugo Sukman do jornal: O Globo recebeu o álbum numa crítica positiva (a referente crítica é apresentada como release para o álbum no site oficial do cantor). Hugo se refere ao álbum como "o mais radicalmente autoral de todos". Hugo traz críticas positivas as faixas do álbum, exaltando a grande parte das faixas do álbum, se referindo as canções "Joaninha" e "Azedo e Amargo" como um instant classic as comparando com as canções "Açaí" e "Oceano" (hits do cantor dos anos 1980); em "Joaninha" diz: "harmonia complexa, melodia original, sonoridade estranha, de resultado misterioso e encantador"; às canções "Fera", "Pedra" e "Adorava Me Ver Como Seu", Hugo as define como "Este trio de canções típicas mostra a síntese musical achada por Djavan {...} mostra como ele desenvolveu um discurso musical e amoroso próprio" [4].

Ider Oliveira do site "Canal Pop" (afiliado ao provedor de internet Terra Networks) em curta crítica positiva diz: "A qualidade musical impecável já era prevista, além do repertório versátil, com ritmos que passam por samba, jazz, pop, funk...". A nota é de 4 para 5 estrelas.[1]

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. Joaninha (Djavan) - 5:35
  2. Azedo e Amargo (Djavan) - 4:41
  3. Mea-Culpa (Djavan) - 4:04
  4. Imposto (Djavan) - 4:16
  5. Delírio dos Mortais (Djavan) - 3:50
  6. Louça Fina (Djavan) - 5:12
  7. Matizes (Djavan) - 4:59
  8. Por Uma Vida em Paz (Djavan) - 4:44
  9. Desandou (Djavan) - 4:35
  10. Adorava Me Ver Como Seu (Djavan) - 4:50
  11. Pedra (Djavan) - 4:38
  12. Fera (Djavan) - 7:38

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Djavan é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.