Matt Baker

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Clarence Matthew Baker, mais conhecido como "Matt Barker" (10 de dezembro de 1921 – 11 de agosto de 1959) foi um desenhista norte-americano de histórias em quadrinhos, notabilizado por desenhos da super-heroína Phantom Lady ou "Lady Fantasma". Baker esteve bastante ativo durante as décadas de 1930 e 1940, época conhecida como Era de Ouro dos quadrinhos. Ele também fez arte-final e trabalhou em um dos primeiros exemplos de graphic novel, a publicação da St. John Publications chamada It Rhymes with Lust (1950). Era especialista em desenhos em quadrinhos de mulheres bonitas (good girl art).[1]

Baker foi indicado ao Will Eisner Comic Book Hall of Fame em 2009 [2].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Matt Baker nasceu no Condado de Forsyth (Carolina do Norte) [3] e cresceu em Homestead na Pensilvânia. Foi educado na Cooper Union em Nova Iorque e mais tarde foi contratado pelo Iger Studio. A sociedade de Will Eisner e Jerry Iger era uma dentre vários artistas que trabalhavam com quadrinhos e ilustrações sob encomenda para editoras que desejavam investir no segmento. Além de Iger, Baker ligou-se a outras editoras tais como a St. John, Fiction House, Fox Comics e Quality Comics. Anos depois ele formou uma equipe independente com o arte-finalista Jon D'Agostino que usava o pseudônimo Matt Bakerino na Charlton Comics.

Phantom Lady[editar | editar código-fonte]

Capa da revista Phantom Lady de fevereiro de 1948

A personagem Phantom Lady, criada por Arthur Peddy, foi publicada pela primeira vez em 1941 na revista da Quality Comics que trazia material terceirizado produzido pelo Iger Studio. O cartunista Frank Borth mais tarde assumiu a arte. Após a Quality suspender a encomenda, a super-heroína apareceu em Police Comics #1-23 (agosto de 1941 – outubro de 1943), para atender a Fox Comics que requisitara uma aventureira sensual em suas histórias. Baker redesenhou o personagem que ficou assim com sua aparência mais conhecida. Essa versão (com os textos geralmente atribuídos a Ruth Roche, sem confirmação) estreou em Phantom Lady #13 (agosto de 1947), título que substituiu o anterior Wotalife. O novo título permaneceu até a revista número 23 (abril de 1949). A Phantom Lady de Baker apareceu também em All Top Comics #9-16 (janeiro de 1948 – março de 1949).

Outros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Capa de revista em quadrinhos com desenhos de mulheres, de Matt Barker
Capa de Lorna Doone, edição n° 32 de Classic Comics

Outros trabalhos de Matt Barker foram a série de humor leve militarista Canteen Kate, bem como a antologia de história de suspense Tales of The Mysterious Traveler; a aventura cômica "Sky Girl" na revista da Fiction House Jumbo Comics, cujos originais e mais tarde republicações apareceram nos números 69 a 139 (novembro de 1944 - dezembro de 1952); as aventuras na selva "Tiger Girl"; "Flamingo", "South Sea Girl", "Glory Forbes", "Kayo Kirby" e "Risks Unlimited". Baker ilustrou Lorna Doone para a Classic Comics em dezembro de 1946, sua única contribuição para essa série [4]. Em 1948, Matt Baker contribuiu para a capa da revista The Saint #4 publicada pela Avon. Ele geralmente recebe atribuições, sem confirmação, como desenhista da revista da Fox Rulah, Jungle Goddess #17–27 (agosto de 1948 - junho de 1949), título que substituiu o antigo Zoot Comics. Ele também produziu Flamingo em formato de tira sindicalizada, entre 1952 e 1954.

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Matt Baker fez muitas revistas de romances e outros títulos para a St. John Publications e trabalhou como freelance da Atlas Comics, antecessora da Marvel Comics, começando com uma antologia de cinco páginas cuja autoria é geralmente atribuida mas não confirmada a Stan Lee, na revista Gunsmoke Western #32 (dezembro de 1955). Durante algum momento desse período esteve no Estúdio de Vince Colletta. Baker desenhou histórias para a Atlas (Western Outlaws, Quick Trigger Action, Frontier Western e Wild Western). Mais assíduo para a companhia foram os quadrinhos de romance (Love Romances, My Own Romance e Teen-Age Romance) e histórias de ficção científica/sobrenatural para as revistas de antologia Strange Tales, World of Fantasy e Tales to Astonish ("I Fell to the Center of the Earth!" na revista número 2 de março de 1959, republicada em Marvel Masterworks: Atlas Era Tales to Astonish, ISBN 0-7851-1889-6). Baker também produziu desenhos para a Dell Movie Classic, edição de King Richard and the Crusaders [5].

Seu último trabalho conhecido (geralmente atribuido sem confirmação) foi a primeira página da história de seis "Happily Ever After", na revista da Atlas/Marvel Love Romances #90 (novembro de 1960). Seu último trabalho confirmado foi a história de seis páginas "I Gave Up the Man I Love!" em My Own Romance #73 (janeiro de 1960).

Ele morreu em agosto de 1959 de colapso cardíaco [6].

Referências

  1. Sérgio Codespoti (10 de outubro de 2006). «Dark Horse lança trabalho clássico de Matt Baker». Universo HQ 
  2. Comic-Con Acessado em 14-02-2013
  3. M. Keith Booker. Encyclopedia of Comic Books and Graphic Novels, Volume 1, ABC-CLIO (2010), Pg. 45.
  4. William B. Jones, Jr., Classics Illustrated: A Cultural History, with Illustrations (Jefferson, NC, and London: McFarland & Co., Inc., 2002), p. 44.
  5. Jones, Classics Illustrated: A Cultural History, p. 45
  6. Duin, Steve, and Mike Richardson. Comics Between the Panels, Dark Horse Comics, 1998. page #?

Ligações externas[editar | editar código-fonte]