Matthäus Merian

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Matthäus Merian
Nascimento 22 de setembro de 1593
Basileia, Suíça
Morte 19 de junho de 1650 (56 anos)
Bad Schwalbach, Alemanha
Ocupação gravurista

Matthäus Merian der Ältere (Basileia, 22 de setembro de 1593 - Bad Schwalbach, 19 de junho de 1650), ou Mateus Merian, o Velho (em português), foi um gravurista suíço que trabalhou em Frankfurt a maior parte de sua carreira, onde também manteve sua editora.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Início da vida e casamentos[editar | editar código-fonte]

Nascido na cidade suíça de Basileia, Merian aprendeu a arte da gravura em cobre em Zurique. Em seguida, trabalhou e estudou em Estrasburgo, Nancy e Paris, antes de retornar a Basileia em 1615. No ano seguinte, mudou-se para Frankfurt, na Alemanha, onde trabalhou na editora de Johann Theodor de Bry, filho do viajante e renomado gravurista Theodor de Bry.

Em 1617, Merian casou-se com Maria Magdalena de Bry, filha do editor, e associou-se durante um tempo a editora de Bry. Em 1620, eles se mudaram para Basileia, mas três anos mais tarde retornaram a Frankfurt. Eles tiveram quatro filhas e três filhos. Maria Magdalena de Bry morreu em 1645 e posteriormente Matthäus se casou com Johanna Catharina Hein. Cinco anos depois, Matthäus morreu, deixando a mulher com duas crianças pequenas, Maria Sibylla Merian (nascida em 1647), que mais tarde tornou-se ilustradora e naturalista pioneira, e um filho, Maximilian, que morreu antes de completar três anos.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Frankfurt ca. 1612; gravura de Matthäus Merian

Em 1623 Merian assumiu a editora de seu sogro, após a morte de Bry. Em 1626 tornou-se um cidadão de Frankfurt e pôde, doravante, trabalhar como um editor independente. Passou a maior parte de sua vida trabalhando em Frankfurt.

No início de sua vida, tinha criado mapas urbanísticos detalhados em seu estilo original, por exemplo, um mapa de Basileia (1615) e um mapa de Paris (1615). Com Martin Zeiler (1589 - 1661), um geógrafo alemão, e mais tarde (cerca de 1640) com o seu próprio filho, Matthäus Merian (o jovem, 1621 - 1687), produziu a série Topographia. O conjunto de 21 volumes foi coletivamente conhecido como Topographia Germaniae. O trabalho inclui vários mapas urbanísticos e vistas, bem como mapas da muitos países e um mapa-múndi, que tornou-se tão popular que foi reimpresso em muitas edições. Ele também assumiu e concluiu as partes posteriores e edições de Grand Voyages e Petits Voyages, originalmente iniciadas por de Bry em 1590.

O trabalho de Merian inspirou o trabalho Suecia antiqua et hodierna de Erik Dahlbergh.

Matthäus Merian morreu após vários anos doente, em 1650, em Bad Schwalbach, perto de Wiesbaden.

Após sua morte, seus filhos Matthäus e Caspar assumiram a editora. Eles continuaram publicando, sob o nome de Merian Erben (os Herdeiros de Merian), as obras Topographia Germaniae e Theatrum Europaeum.

Referências