Maubara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa de município de Liquiçá

A vila costeira de Maubara está situada nas coordenadas (8°37'S, 125°12'E) na região montanhosa coberta por floresta tropical em Timor-Leste, no posto administrativo de Maubara, município de Liquiçá, a oeste da cidade de Liquiçá.

A maior parte da população fala Tocodede. Maubara conta com uma praça de mercado e um centro de saúde. A vila é o centro da administracão do suco de Vaviquinia.

História[editar | editar código-fonte]

Os Países Baixos ocuparam Maubara, o que é testemunhado pela presença das ruínas de uma fortaleza neerlandesa, sobranceira à baía. Maubara, que era um enclave em territórios portugueses de Timor, passou no ano 1851 para o domínio português em troca pela ilha de Flores até então controlada pelos portugueses.

A cidade esteve presente no noticiário internacional em setembro de 1999 devido a vários casos de estupro e assassinato cometidos pelo grupo rebelde Besi Merah Putih em oposição ao voto de independência timorense.

Património edificado em Maubara[editar | editar código-fonte]

A cidade e conhecida pela sua fortaleza, um edificio de origem holandesa, datado provavelmente de 1756. Conta com muros bem conservados com um canhão. A casa no interior da fortaleza data provavelmente da segunda metade do século XX.[1]

O Posto de Alfândega foi construído no ano 1920. Hoje é um centro de formação com biblioteca e um posto de turismo.[2]

A Escola de Padre Medeiros construída na primeira metade do século XIX foi destruída pela Diocese de Maliana e reconstruída como uma residência de traça semelhante. Serviu originalmente como escola. [3]

A Igreja de Maubara e um edificio de planta rectangular de estilo neoclássico, mandado construir pelo Padre Medeiros, Governador das Missões de Timor entre 1877-1897.[4]

Weblinks[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Maubara

Ligações externas e Referências[editar | editar código-fonte]

  • [1] Patrimonio architectónico de origem portuguesa de Liquiçá, p. 97
  • [2] Patrimonio architectónico de origem portuguesa de Liquiçá, p. 91
  • [3] Patrimonio architectónico de origem portuguesa de Liquiçá, p. 102
  • [4] Patrimonio architectónico de origem portuguesa de Liquiçá, p. 107