Mauro Carlesse

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mauro Carlesse
Mauro Carlesse, enquanto presidente da Assembléia Legislativa
11.° Governador do Tocantins
Período 27 de março de 2018
até 6 de abril de 2018[nota 1];

de 19 de abril de 2018 até atualidade
Antecessor Marcelo Miranda
Presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins[1]
Período 1 de fevereiro de 2017
até 24 de junho de 2018
Dados pessoais
Nome completo Mauro Carlesse
Nascimento 25 de junho de 1960 (58 anos)
Terra Boa, Paraná
Partido PHS
Profissão empresário e agropecuarista
Website http://www.maurocarlesse.com.br/

Mauro Carlesse (Terra Boa, 25 de junho de 1960) é um político, empresário e agropecuarista brasileiro. Iniciou a carreira política ao se filiar ao Partido Verde (PV) em 2011, quando então já exercia a presidência do Sindicato Rural de Gurupi. Foi candidato a prefeito daquela cidade nas eleições de 2012. Em 2013, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e candidatou-se a deputado estadual em 2014, conquistando uma vaga para a 8ª Legislatura. Atualmente é filiado ao PHS.

Vida política[editar | editar código-fonte]

Em 2015,  o deputado estadual Mauro Carlesse (PTB), de Gurupi, no Sul do estado, ficou preso no departamento de assessoria militar da Assembleia Legislativa, em Palmas. A prisão foi decretada por causa de um processo de execução de pagamento de pensão alimentícia contra o parlamentar, que corre na comarca de Barueri (SP). Como o estado não tem uma cadeia especial, o juiz que expediu a ordem de prisão, em São Paulo, e o Tribunal de Justiça do Tocantins decidiram pela detenção do deputado no prédio da Assembleia Legislativa.[2]

No dia 8 de julho de 2016 foi eleito presidente da Assembleia Legislativa para o biênio 2017/2019.[3] Com a cassação do Governador do Estado, em 2018, assumiu o comando do executivo estadual interinamente até a realização de novas eleições estaduais.[4] Seu mandato foi brevemente interrompido, entre os dias 6 e 19 de abril, com o pedido de medida cautelar acolhido pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, que ordenou a recondução de Marcelo Miranda e Cláudia Lélis aos seus respectivos cargos de Governador e Vice-Governadora do Tocantins.[5][6]

Em abril de 2018, após 20 anos de processo, Carlesse foi condenado a pagar aluguéis em SP e teve recursos bloqueados pelo valor de mais de R$300.000 das contas e dos bens das 3 empresas. A ação trata-se de um despejo de imóvel no Estado de São Paulo por falta de pagamento cumulada  com cobrança movida pelo credor de Carlesse, Ephrain Guilherme Neitzke.[7]

Em 24 de junho de 2018 foi eleito Governador do Tocantins, tendo como vice Wanderlei Barbosa, também do PHS.[8] Na eleição suplementar a chapa venceu no segundo turno o senador Vicentinho Alves, do Partido da República.[9] Nas eleições estaduais de 2018, foi reeleito, desta vez para um mandato completo de 4 anos, como governador do Tocantins.[10]

Referências

Notas

  1. Em 22 de março de 2018, Marcelo Miranda e a vice-governadora Claudia Lelis tiveram seus mandatos cassados pelo Tribunal Superior Eleitoral por abuso de poder político. Com a Notificação entregue dia 27 do mesmo mês, Carlesse assume o Governo do Tocantins. Porém, dia 6 de abril de 2018, o ministro do STF Gilmar Mendes garante uma liminar a Marcelo Miranda e Claudia Lelis para que os mesmos voltem a seus cargos até que seu recurso fosse analisado pelo tribunal competente. Dia 19 de abril, após o recurso ser negado, Marcelo e Claudia voltam a ser cassados e Carlesse volta a assumir o governo.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Marcelo Miranda
Governador do Tocantins
2018 — atualidade
Sucedido por
-
Precedido por
Marcelo Miranda
Governador do Tocantins
2018 — 2018
Sucedido por
Marcelo Miranda


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.