Mausoléu Imperial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mausoléu Imperial e túmulo do Imperador D. Pedro II e da Imperatriz Teresa Cristina.

O Mausoléu Imperial é uma pequena capela situada à direita do adro da Catedral de São Pedro de Alcântara, na cidade de Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro, Brasil. Abriga os restos mortais do Imperador D. Pedro II do Brasil, de sua esposa, a Imperatriz D. Teresa Cristina Maria de Bourbon, de sua filha, D. Isabel de Bragança, Princesa Imperial do Brasil e de D. Gastão de Orléans, Conde d'Eu e Príncipe Imperial Consorte do Brasil, além das tumbas do príncipe Pedro de Alcântara de Orléans e Bragança e de sua esposa D. Elisabeth Maria Adelaide Dobrzensky de Dobrzenicz.[1]

Translado[editar | editar código-fonte]

O mausoléu foi inaugurado pelo presidente Getúlio Vargas, em 1939, com achegada dos restos mortais de D. Pedro II e de D. Teresa Cristina. Foram repatriados do panteão da Igreja de São Vicente de Fora, em Portugal, em 1925, durante as comemorações do centenário de nascimento de D. Pedro II e passaram alguns anos abrigados na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, àquela época a Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo. Já os restos de D. Isabel e do Conde d'Eu foram lá inumados na década de 1950, repatriados do cemitério da comuna francesa de Eu. Os últimos restos a serem guardados foram os dos netos dos imperadores, trasladados do cemitério municipal da cidade em 1990.[2][3]

Construção[editar | editar código-fonte]

Em estilo neogótico que acompanha o do templo onde se encontra, o Mausoléu Imperial é adornado com pinturas murais representando a coroação de D. Pedro II e sua partida para o exílio, por ocasião do golpe da república no Brasil, em 15 de novembro de 1889. Os vitrais trazem as armas imperiais e figuras de santos católicos ligados à família imperial brasileira, assim como poemas escritos por D. Pedro II durante seu exílio.[2][3]

O Mausoléu Imperial é uma das atrações turísticas mais populares da cidade de Petrópolis.[1]

Túmulos[editar | editar código-fonte]

[2]

Referências

  1. a b FernandaSoares (2 de novembro de 2013). «Mausoléu Imperial e túmulos de famosos são atração em Petrópolis». G1 Região Serrana. Consultado em 25 de julho de 2019 
  2. a b c Camila Guerra (9 de abril de 2013). «Catedral de São Pedro de Alcântara. Mausoléu Imperial em Petrópolis». Viagens e Andanças. Consultado em 25 de julho de 2019 
  3. a b «Cinco curiosidades sobre a Catedral de Petrópolis». Acontece em Petrópolis. 25 de outubro de 2016. Consultado em 25 de julho de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]