Max Liebermann

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Palais Liebermann na Pariser Platz 7, a direita do Portão de Brandemburgo, destruído na Segunda Guerra Mundial
Max Liebermann em 1904
Jardim em Leiden, 1889, Berlim
Rapazes na praia, 1898, Nova Pinacoteca, Munique

Max Liebermann (Berlim, 20 de julho de 1847 - 8 de fevereiro de 1935) foi um pintor, gravurista e litógrafo alemão, essencialmente ligado ao impressionismo e ao primeiro grupo de vanguarda alemão. Filho de um empresário judeu, faleceu poucos anos antes da perseguição anti-semita.

Em Berlim, sua cidade de nascimento, Liebermann estudou primeiramente Leis e Filosofia, descobrindo que a sua vocação se voltava para os ambientes artísticos ao ingressar, em Weimar, numa escola de pintura e desenho, no ano de 1869. Estudou depois em Paris, em 1872, e na Holanda, durante 1876-1877. Regressando depois à Alemanha, instala-se em Munique por algum tempo, mas regressa à capital, Berlim.

Juntamente com Lovis Corinth e Max Slevogt, Liebermann tornou-se o expoente do impressionismo alemão. Usou a sua riqueza para comprar alguns trabalhos de artistas franceses, formando uma boa coleção de arte impressionista. Inspirado nestes trabalhos, e profundamente obscuros no estilo provocante e sensual de Manet, tornou-se um célebre retratista em Berlim. Todavia, as suas escolhas refletiam principalmente cenas do seu jardim, perto do Lago Wannsee, e o quotidiano burguês, habitual na pintura impressionista. A sua arte, mais do que nunca, torneava o impressionismo.

De 1899 a 1911, Max assistiu e colaborou na formação do primeiro grupo avant-garde, a Berliner Secession, traduzido, a Secessão de Berlim. Em 1920, reconhecido o seu trabalho, Max passa a presidir a Academia Prussiana das Artes, resignando o cargo em 1932, após a academia ter decidido que não empregava mais judeus ou descendentes seus. Após a marcha das tropas nazis através das Portas de Brandeburgo, celebrando a tomada de poder de Adolf Hitler, Liebermann comentou: «Não consigo comer tanto quanto gostaria de vomitar!».

Anos depois, em 1935, Max Liebermenn faleceu. Em 2006, a Sociedade Max Liebermann abriu ao público um museu permanente, com a sua obra e outros objetos pessoais.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Max Liebermann

Referências